domingo, 10 de abril de 2016

Irão declara-se pronto para a guerra aos infiéis, mas está tudo OK!


Na sequência do aclamado "acordo nuclear", o aiatolá Khameini, líder do país que mais patrocina o terrorismo global, anunciou ao Irão a "rendição das superpotências", o "ocaso do poderio norte-americano" e a "ascensão do Irão a superpotência".

É confrangedor assistir ao espectáculo de uma elite de políticos caquéticos que se arrojam aos pés do trapalhão islamista Hussein Obama por tudo e por nada, e mais recentemente por causa do chamado "acordo nuclear" com o Irão. É-nos dito que foi mais um passo em direcção à paz global! Dar a bomba atómica ao regime psicopata iraniano promove  paz global??? Como???

Outras medidas Obamísticas de "promoção da paz global" levaram à afirmação planetária do Estado Islâmico e contribuem para o assassínio global de não muçulmanos - só cristãos, são abatidos 11 a cada hora: 



O IRÃO grita"Morte à América! Morte a Israel! Morte aos Infiéis!". A Imprensa bate palmas, os políticos batem palmas, e, consequentemente, o público bate palmas.
"O Irão está pronto para a guerra com os Estados Unidos" - declara o Comandante iraniano. 
"O Exército da República Islâmica está pronto para a para a guerra com os Estados Unidos e seus aliados ocidentais", disse o Comandante da Guarda Revolucionária do Irão, Major-General Mohammad Ali Jafari. E também deplorou certos países árabes pelo seu "apoio vergonhoso a Israel".
"Durante anos, temos vindo a construir o poder na presunção de uma guerra generalizada com os Estados Unidos e seus aliados, e desenvolvemos todas as nossas capacidades e recursos para vitórias decisivas sobre tais inimigos", disse Jafari na terça-feira, numa reunião de comandantes séniores da Guarda Revolucionária, em Teerão, segundo a agência de notícias Tasnim, do Irão.


 
Ainda decorriam as reuniões do famoso acordo nuclear, e já Mohammad Ali Jafari clamava "vitória sobre o inimigo" e exigia o levantamento imediato das sanções.
"Antes das opções políticas e diplomáticas já vínhamos preparando uma opção militar" - sublinhou Jarafi. 

Embora dizendo que o Irão não deseja a guerra, Jafari também disse que o Irão vê um confronto militar "como uma oportunidade", reiterando que os Estados Unidos não serão capazes de "fazer porra nenhuma"


O "Punho de Ferro"  é um cartaz de propaganda iraniana, com um gigantesco punho feito de bombas nucleares. Khameini posta-o regularmente no twetter, com outros de igual "bom gosto". Em Agosto de 2015 Jafari e seus comparsas  riam-se do acordo nuclear e garantiam que o Irão seria a sepultura dos infiéis.

Ecoando as declarações da liderança iraniana, Jafari prometeu que o Irão irá avançar com o seu programa de mísseis, dizendo que novos mísseis, com mais precisão e poder destrutivo, continuarão a ser produzidos em massa.
O Irão violou várias vezes as resoluções do Conselho de Segurança das Nações Unidas (CSNU),  quando testou mísseis de médio alcance. O Conselho de Segurança está agora a procurar maneira de penalizar o Irão e os Estados Unidos ameaçaram com novas sanções contra o programa de mísseis do Irão.
Entre os muitos mísseis disparados pelo Irão em provocação clara ao Mundo, o Irão disparou recentemente dois mísseis de médio alcance (1.400 km) com a inscrição "ISRAEL DEVE SER APAGADO DO MAPA". A 13 de Março deste ano, a Embaixadora Samantha Power condenou a atitude do Irão. E eles raladíssimos...

O general iraniano também destacou extensos planos da Guarda Revolucionária do Irão para "mostrar uma reacção apropriada" às "condutas estúpidas" dos aliados árabes dos norte-americanos. "Regimes como a Arábia Saudita, Bahrein e seus pares, são símbolos de subdesenvolvimento político moderno, e a Guarda Revolucionária fez preparativos para responder à sua grosseria e ao comportamento estúpido que constitui a confiança no poder dos Estados Unidos", ameaçou Jafari.

Um dos tweets de Khameini diz que se houver guerra em consequência deste acordo, "quem emergirá como derrotado serão os agressivos e criminosos Estados Unidos". Ao lado, uma imagem de Obama a cometer suicídio. Eloquente...

Jafari também deplorou certos países árabes pelo seu "apoio vergonhoso a Israel", bem como "a matança de pessoas inocentes no Iémen e Palestina", ameaçando que "os países árabes, em breve irão buscar vingança."

http://unitedwithisrael.org/iran-ready-for-war-with-us-iranian-commander-declares/?utm_source=MadMimi&utm_medium=email&utm_content=Sanders+Won%27t+Apologize+to+Israel%3B+Cruz+Bakes+Matzah+and+Says+%27God+Bless+Netanyahu%27&utm_campaign=20160408_m130723560_Sanders+Won%27t+Apologize+to+Israel%3B+Cruz+Bakes+Matzah+and+Says+%27God+Bless+Netanyahu%27&utm_term=Iran+Ready+for+War+With+US_2C+Iranian+Commander+Declares


- Quando se refere à "matança de pessoas inocentes no Iémen e Palestina" o Jafari não está a referir-se à Intifacada ou a outra qualquer habitual matança de judeus em Israel, que é única "Palestina" que alguma vez existiu. Nem à perseguição dos judeus do Iémen, que já fugiram quase todos para Israel.

Mas desta ideologia esquizofrénica, que se vai queixando de ser agredida enquanto prepara a aniquilação de quem não lhe fez mal algum, o que esperar? 

A "vingança" de que Jafari fala é a mesma que anima qualquer outro terrorista islâmico. A mesma "vingança" que anima os terroristas de Molenbeek, de Paris, de Madrid, de Londres, de Boston, de Nova Iorque, de Bali, de Lahore, de todo o lado, de todos os dias. A "vingança" contra quem não aceita a Religião da Paz,  na respectiva versão dos perpetradores em questão.


O TERRORISMO GLOBAL

Sem comentários:

Enviar um comentário

Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.