segunda-feira, 12 de junho de 2017

Dinamarca - crueldade extrema com os animais nos guetos muçulmanos

Em mês de Ramadão, temos dado algum destaque à pseudo-religião islâmica e aos seus horrores, que diariamente assolam o mundo. Mas não são apenas os seres humanos a sofrer com esta ideologia patológica. O modo como os muçulmanos tratam os animais é igualmente repugnante. Veja a nossa secção ANIMAIS.



Dinamarca - crueldade extrema com os animais nos guetos muçulmanos: cabeças arrancadas aos gatos, gatinhos cortados e intestinos puxados para fora

O abate Halal é um exemplo cruel da visão da cultura islâmica sobre os direitos dos animais. O tratamento de animais dentro de áreas dominadas pelos muçulmanos é outro.

AVISO: Este artigo contém descrições gráficas da crueldade animal. Jovens, crianças e adultos sensíveis podem querer evitar ler este conteúdo.

"Eu vi gatos sendo pontapeados como bolas de futebol. Eu vi gatos com as pernas arrancadas e olhos vazados. Vi gatos com as cabeças esmagadas, outros com a pele arrancada, outros com as pernas e as costas quebradas".

É assim que uma mulher que trabalha com a Protecção Animal Dinamarquesa descreve o horrível tratamento de animais nas áreas dominadas pelos muçulmanos em Vollsmose, um subúrbio de Odense, a terceira maior cidade da Dinamarca.

"O pior que eu vi foi um monte de gatinhos rastejando com as entranhas de fora, porque os muçulmanos lhes abriram as barrigas", diz ela.

Therese. S. Wilbert, directora da Danish Cat Protection, concorda que a área não é segura, especialmente para gatos:

"Em Vollsmose, o grau de abuso para com os gatos é pior do que em outros lugares da Dinamarca. Geralmente são crianças menores de dez anos de idade que abusam dos animais", diz ela. Wilbert diz que apenas em 2016, a Cat Protection recebeu 20-25 relatórios sobre abuso animal em Vollsmose, "mas muitos casos não são relatados, pelo que a quantidade de crueldade animal provavelmente é muito maior".

É difícil para as autoridades ajudar os animais, uma vez que a área é muito insegura. Quando uma voluntária da Agência Dinamarquesa de Protecção Animal entrou na área para salvar um gato abusado, ela foi atacada pelos moradores locais de origem migrante. O ataque foi filmado.

"Um grupo de jovens atacou uma trabalhadora de serviços de protecção animal quando ela entrou em Vollsmose para resgatar um gato que havia sido ferido.

Os jovens detiveram a ambulância de animais, abriram a porta da ambulância, roubaram a chave de ignição, arrancaram o cabelo da mulher e gritaram na sua cara. A luz traseira do carro foi esmagada e o carro foi amolgado. A mulher teve que deixar o gato e fugir, para sua própria segurança".

Desde este ataque, a Agência Dinamarquesa de Protecção Animal já não envia pessoas para a área para ajudar animais abusados.

O ataque à ambulância animal em Vollsmose foi filmado, mostrando os locais que atacavam a mulher, arrancando os seus cabelos descobertos e forçando-a a deixar a área.




---------------------------------------------


“A grandeza de uma nação e o seu progresso moral podem ser avaliados pela forma como trata os seus animais”.
Mahatma Gandhi


Do canal Palestina Livre  uma amostra de como os "palestinos" tratam os animais:









Não esquecer:



SE FOR CAPAZ, ASSISTA AO TRATAMENTO DOS ANIMAIS EM GAZA.
OS MAIS FOLCLÓRICOS ENTRE OS "AMIGOS DOS ANIMAIS" NÃO TÊM UMA PALAVRA PARA OS ABUSOS SOBRE OS ANIMAIS PRESCRITOS PELO ISLÃO OU PRATICADOS PELOS MUÇULMANOS. 
VEJA UMA VASTA COMPILAÇÃO DE BARBÁRIE ISLÂMICA SOBRE OS ANIMAIS:

AQUI !

Um dos nossos posts mais populares de sempre é este:

Ana Vegana Canibal


E ilustra bem que a generalidade dos activistas dos direitos dos animais (com excepções, entre as quais me incluo), não estão nada interessados em defender os animais. São apenas uma extensão do marxismo cultural e estão interessados em dar o seu contributo para a destruição da Civilização, e se possível dos humanos:

Sem comentários:

Enviar um comentário

Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.