domingo, 11 de junho de 2017

7 Instantâneos do Ramadão de 2017


"REZEMOS POR": Uma amostra da lista de massacres islâmicos desde o 11 de Setembro.
Vamos meter a mão no pote do Ramadão de 2017 e retirar, completamente ao acaso, 7 bolas. Vamos abri-las e revelar o conteúdo. Apenas 7, numa tômbola de 90 ataques terroristas e 1076 mortos (contabilizados) em 16 dias de Ramadão. 
1 - Muçulmano ataca um casamento em Espanha, aos gritos de "Allahu Akbar!", e tenta atacar o padre antes de ser expulso da igreja pelos amigos do noivo.

     O estudante marroquino de 22 anos foi preso após o incidente em Valladolid, na Igreja de San Pablo no sábado passado.  A cerimónia foi interrompida por 20 minutos.  Os convidados temiam que pudesse ser um ataque terrorista e a polícia procurou explosivos.
Daily Mail


2 - Chefe da Polícia de Londres saúda diversidade das vítimas dos massacres jihadistas.


“Chefe da Polícia de Londres: A diversidade das vítimas demonstra a diversidade que faz Londres excelente"
Breitbart, 10 de Junho 10, 2017
"É desesperadamente triste e pungente, mas entre os que morreram há britânicos, franceses, australianos, canadianos e espanhóis. Em termos das testemunhas com que falamos até agora, das 300 pessoas, há cerca de 20 países de origem diferentes. E a população britânica de Londres vem de todos os tipos de origens e de todo tipo de fés e etnias".

Quão maravilhoso: todos estamos a morrer juntos, num mosaico gloriosamente multicultural. Fazer algo realista sobre a ameaça terrorista da jihad, para que possamos celebrar a nossa "diversidade" na vida e não na morte? Não! Isso seria "islamofóbico".


3 - Supremacistas islâmicos bloqueiam a cidade de Colónia, para os seus banquetes nocturnos de carne halal, de animais abatidos de forma bárbara, enquanto recitam as suas rezas ao deus Alá em altifalantes.
Os transeuntes, observam, em silêncio, na sua Terra, já perdida para os colonos.


4 - NOVA IORQUE: Homem aos gritos de "Allahu Akbar" destrói a porta da igreja, ameaça explodi-la e matar todos os cristãos.


O muçulmano Noel Droni, perguntou a um homem de 37 anos no exterior da Igreja de Times Square, na W. 51st St., se ele era cristão, disse a Polícia. Quando o homem disse a Droni que era cristão, Droni supostamente tirou uma chave de bocas da mochila e partiu a porta de vidro da igreja.

Pix 11 Ele gritou "Allahu akbar", árabe para "(O nosso) deus é maior", e depois prometeu violência, disse a polícia. "Eu vou explodir a igreja e matar todos os cristãos", disse ele, de acordo com documentos do tribunal.




5 -  Selecção nacional de futebol saudita recusa um minuto de silêncio pelas vítimas da jihad de Londres: "Os atacantes são mártires e vão para o paraíso"!

O Papa Francisco e o Arcebispo de Cantuária estão, sem dúvida, a caminho da Arábia Saudita para explicar à selecção nacional de futebol saudita que o verdadeiro Islão e a boa compreensão do Alcorão rejeitam todas as formas de violência.

"Aos seus olhos, os atacantes são mártires: o xeque islâmico afirma que a equipa nacional Arábia Saudita recusou o minuto de silêncio pelas vítimas do terror em Londres porque, segundo a lei da Sharia, não é pecado para um muçulmano matar um não crente"
Daily Mail Australia


VERGONHOSAMENTE, os comentadeiros branquearam o acto, afirmando que os minutos de silêncio são contra a cultura muçulmana. É uma total falsidade. Lembramos, por exemplo a reacção dos turcos ao minuto de silêncio após o Massacre do Charlie Hebdo:
"Antes do início do amistoso entre Turquia e Grécia, em Istambul, a torcida local vaiou e gritou "Alá é grande" durante o minuto de silêncio em homenagem aos mortos por terroristas islâmicos em Paris. A Turquia é considerada o país mais moderado do mundo muçulmano."


6 - Reino Unido: Muçulmano aos gritos de "Allah Allah!" e "Eu vou matar-vos a todos!" entra em bairro judaico. Não foi considerado relacionado com terrorismo.
 "Foi detido ao abrigo da Lei de Saúde Mental".

Claro. É apenas o surto global de doenças mentais.
Afinal, o que mais poderia ser? Porque é que um muçulmano - um membro da Religião da Paz e da Tolerância - percorreria uma área judaica a gritar que iria matar toda a gente? Muçulmanos a gritar que matarão judeus por Alá? É absolutamente inaudito!

Essa negação e ignorância deliberada por parte das autoridades britânicas resultará em nada menos do que a morte da Grã-Bretanha.4
Robert Spencer

"Um homem foi detido pela polícia no norte de Londres depois de percorrer uma área fortemente judaica gritando 'Allah Allah' e 'vou matar-vos a todos'"
 Mailonline, 8 de Junho de 2017



7 -  O "Prémio Jornalistas Contra a Discriminação" da União Europeia foi dado ao jihadista que atacou a Polícia com um martelo na Catedral de Notre Dame, pelos seis artigos pró-migrantes.
O "jovem argelino de 40 anos" estava a viver à custa dos contribuintes europeus, e era "estudante".


O "Prémio Jornalistas Contra a Discriminação" da UE foi atribuído em 2009 ao muçulmano Hamid Farid Ikken, um "jihadista altamente educado e muito viajado", por escrever artigos pró-migrantes.

Durante o ataque islâmico, Farid Ikken, "o jornalista
premiado gritou: "Isto é pela Síria", enquanto batia num agente da Polícia com um martelo, na frente da catedral mais icónica da França".

O Estado Islâmico prometeu infiltrar o fluxo de refugiados na Europa, e conseguiu; Violações em massa e massacres são o resultado. No entanto, as políticas suicidas de imigração são consideradas essenciais para a tolerância ocidental e a rejeição da discriminação. O ataque de Farid Ikken ilustra como essas políticas estão erradas.
Breitbart, 7 de Junho de 2017

Entenda de uma vez:


NÃO EXISTE NAZISMO "MODERADO".
NÃO EXISTE COMUNISMO "MODERADO".
NÃO EXISTE MAFIA "MODERADA".
NÃO EXISTEM GANGSTERS "MODERADOS".
NÃO EXISTEM ASSASSINOS "MODERADOS".
NÃO EXISTE ISLÃO "MODERADO".

Sem comentários:

Enviar um comentário

Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.