segunda-feira, 22 de fevereiro de 2016

Homenagem ao jovem pai assassinado em Israel

No seguimento de


Com o nosso profundo pesar por mais esta vítima inocente, mais uma vida ceifada pela onda de terrorismo islâmico que irrompeu no início do Ano Novo Judaico, a Intifada das Facas, decretada por Mahmoud Abbas.


A mais recente vítima do terrorismo palestino era um "verdadeiro herói de Israel"
Tuvia Yanai Weissman, 21 anos, assassinado na presença da Esposa e da filha, correu corajosamente para enfrentar o terrorista palestino, apesar de não ter nenhuma arma. 
Mais de mil pessoas participaram no  seu funeral, na sexta-feira de manhã, em Jerusalém.
Tuvia Yanai Weissman, soldado de combate no IDF (Forças de Defesa de Israel)  casado e pai de uma menina de quatro meses de idade, foi esfaqueado até à morte num supermercado, na região de Binyamin, a norte de Jerusalém, na quinta-feira à tarde.

Detalhes sobre o seu heroísmo foram revelados no elogio fúnebre, na cerimónia que teve lugar  no cemitério do Monte Herzl, em Jerusalém.

De licença e sem a sua arma de serviço, Weissman não hesitou e acorreu a ajudar a deter o ataque terrorista.

O jovem tinha frequentado uma academia pré-militar em Kfar Eldad, a sul de Jerusalém, antes de ingressar no IDF. O Rabino Shmuel Natanzon, chefe da Academia, disse que Times of Israel que Weissman era um líder natural, um "gigante com um sorriso contagiante".

Natanzon disse no seu elogio: "Quanta luz espalhaste! Estavas hesitante em ir para um curso de comandante ou ficares na tua unidade de combate. Sabias que tinhas de ser um exemplo e um símbolo. Não poderias ter ficado a assistir."

O vídeo Youtube do casamento de Tuvia e Yael Weissman tornou-se viral após a tragédia:


"Tivemos muitas conversas até altas horas da noite, eras um amigo de verdade", disse o rabino, de acordo com o Arutz Sheva. "Como estavas orgulhoso da tua Esposa Yael, da vossa filha Neta, quantas fotos nos enviavas, de vocês e da vossa bebé", acrescentou.
"Yael disse-me ontem que estavas noutro corredor do supermercado, ouviste os gritos, ela protegeu Neta e tu desapareceste. Não poderias ter ouvido os gritos e não agir, é assim que tu eras, não tinhas arma ... lutaste com as mãos, com o corpo, com todo o coração", disse Natanzon.

O pai de Weissman recordou: "Amavas tanto a vossa filha Neta. Levaste-a a ver as flores no Negev um dia antes de teres sido assassinado. Nenhum ódio e nenhum inimigo vai acabar com esse amor!", relatou o Arutz Sheva.
A jovem viúva de Weissman, em lágrimas, disse: "Estavas sempre cheio de uma doação interminável. Se não tivesses corrido para parar os terroristas, não serias o Yanai que eu conheço e por quem me apaixonei. Lamento que não tenhas podido acompanhar Neta um pouco mais. Tantos sonhos que tínhamos..." continua o Arutz Sheva. 
"Yanai, és um verdadeiro herói de toda a nação de Israel", afirmou Yael. "Sabias que não tinhas nenhuma arma, e, no entanto, acorreste a proteger as pessoas. Quero agradecer-te por ter merecido aprender com o exemplo de um homem talentoso e especial. Obrigado em nome da nossa filha."

Ontem, domingo, três dos vários ataques terroristas evitados pelas autoridades em Israel, estavam para ser levados a cabo por jovens, que admitiram terem sido motivados pela campanha de incitamento levada a cabo pelos clérigos muçulmanos e pelos líderes dos colonos árabes em Israel, nomeadamente o mega-terrorista Mahmoud Abbas. O motivo de mais esta guerra contra Israel é a pretensão muçulmana de erradicar os judeus da face da Terra e de apagar do mapa o único (e minúsculo) Estado Judaico do Mundo - bem como todos os países não muçulmanos. Imprensa e políticos coniventes aprovam o terrorismo dirigido contra os judeus e contra Israel. Convém-lhes.

Esta e outras notícias chegam-nos através do site UNITED WITH ISRAEL (UNIDOS COM ISRAEL), que tem versão em Espanhol. A você que nos lê e é amigo da Verdade e do Bem, pedimos que defenda esses valores e apoie Israel. 
 


2 comentários:

  1. Honra a este homem! Homem como nós, com sonhos como nós vítima do ódio gratuito.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Subscrevo. Um grande exemplo. 21 anos apenas, marido e pai exemplar, sacrificou a vida para evitar um massacre maior.

      Eliminar

Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.