sexta-feira, 26 de fevereiro de 2016

Ela foi mostrar quão pacífico é o Islão...

ACTUALIZAÇÃO

Lei da rolha nas Polícias europeias

Os posts mais recentes do nosso blogue* tiveram como mote a onda de estupros da Passagem de Ano, que foi simplesmente grande demais para ser abafada, como é política das autoridades políticas, policiais e dos media. Mas hoje chega-nos a notícia de que a Polícia de Colónia lançou uma investigação para apurar quem divulgou os relatórios internos relativos ao assédio e agressões sexuais na véspera de Ano Novo. A Imprensa mundial só teve acesso a esses ataques ultrajantes quatro dias após o incidente.
* Ver   


e anteriores.
1. DA DOCE IDEOLOGIA À AMARGA REALIDADE 

 
De uma vez por todas, senhores extrema-esquerdistas, hippies, islamófilos, poetas sonhadores e outros românticos:  A REALIDADE NÃO DEPENDE DOS VOSSOS SONHOS COR-DE-ROSA! O Islão não é "A Religião da Paz". Esta senhora, que queria provar esse "ponto de vista", foi violada e morta ao abrigo da ideologia islâmica.

O texto que se segue é traduzido e condensado do site YES, I'M RIGHT:
UMA MULHER RESOLVEU PERCORRER O MÉDIO ORIENTE À BOLEIA*, PARA PROVAR QUE OS MUÇULMANOS SÃO PACÍFICOS - FOI ESTUPRADA E MORTA POR MUÇULMANOS.

* "Carona", para os nossos leitores brasileiros. 

Nós, conservadores, temos má reputação quando dizemos que os muçulmanos e o Islão não obedecem a ideologias pacíficas. Os liberais (a maior parte da esquerda, e a extrema-esquerda) argumentam que os muçulmanos e o Islão são absolutamente pacíficos. Mais uma vez, fica patente que eles estão errados, só que, infelizmente, foi preciso alguém morrer da pior maneira imaginável.

Esta notícia pode ser um pouco mórbida, mas achamos que é importante divulgá-la, para mostrar aos liberais de coração mole a dura realidade.
 
É uma história chocante e triste que deve ser compartilhada e bem divulgada. Uma mulher italiana que resolveu ir de boleia da Itália a Israel para promover a paz mundial, foi estuprada e assassinada por muçulmanos na Turquia.

Via The New York Times:
O corpo nu de Giuseppina Pasqualino di Marineo, 33 anos, conhecida como Pippa Bacca, foi encontrado nuns arbustos, perto da cidade de Gebze, na sexta-feira.
A artista tinha dito que queria mostrar que poderia colocar a sua confiança na bondade das pessoas locais. A polícia turca diz ter detido um homem em conexão com o assassinato.
Os relatos dizem que o homem levou a polícia ao corpo. A senhora di Marineo pretendia ir de boleia de Milão até Israel e aos "Territórios Palestinianos", com uma colega artista, no seu projecto "Noivas on Tour".
 
Aos leitores antiquados (como nós) esclarecemos que, nos dias que correm, andar à boleia é "Arte". Só que uma coisa é calçar as sandálias, meter o bornal ao ombro, a erva ao bolso, a foice e o martelo na lapela, tomar banho em patchouli, e ir ao Festival Islâmico de Mértola. Outra coisa é a realidade do Islão!

Esta viagem à boleia era considerada uma peça de arte performativa. A viagem através de quase uma dúzia de países, nos Balcãs e no Médio Oriente, muitos deles recentemente devastados pela guerra, foi concebida para destacar que "ao superar diferenças e reduzir o nível de conflito, indivíduos e culturas poderiam unir-se", disse a artista companheira de viagem, a senhora Moro, numa entrevista por telefone. "Conhecer pessoas era a chave" - concluiu.

A viagem da artista Bacca foi interrompida perto da aldeia de Gebze, cerca de 40 milhas ao sudeste de Istambul. Um homem desempregado, Murat Karatas, 38 anos, confessou tê-la assassinado, a 31 de Março, disseram as autoridades.

"Aceitar boleia de estranhos era crucial para o sucesso do desempenho artístico", disse Moro. A declaração das artistas no seu site, bridesontour.fotoup.net, diz: "apanhar boleia é escolher ter fé nos outros seres humanos, e o homem, como um pequeno deus, recompensa aqueles que têm fé nele."


O assassino (um deles) e a vítima.
Moro explicou: "Nós queremos mostrar que não se pode promover o amor entre as pessoas, se se está escondido em classe executiva. Uma pessoa não pode ir para, digamos, as Ilhas Maurícias, e comer massas italianas. Você não vai entender as pessoas até que você parta o pão com elas, porque é nas pequenas diversidades que irá encontrar semelhanças."

--------------------------------
Eis o que acontece com uma religião que estupra e mata a quem não respeita as suas leis e não adora o seu deus

Isto é absolutamente nojento e não tem lugar no nosso mundo moderno, e o facto de que quase não houve cobertura noticiosa deste caso - a não ser em obscuras secções de artes de alguns jornais -  diz tudo sobre a agenda de mentira dos media.
Fonte: BBC, The New York Times 

2. LAVAGEM CEREBRAL

Assim terminou a experiência de Pippa Bacca. Assim terminam os pacifismos imprudentes que não levam em conta a realidade.


Com todo o respeito que as pessoas bem intencionadas (como a falecida senhora Bacca) nos merecem, esta gente é tremendamente ingénua. Mas não é sua culpa exclusiva, pois os media divulgam incessantemente propaganda islamista, induzindo a população do Mundo Livre em erro.  

E a ideologia política 'avant-garde' faz o resto. 

Elegeram como a causa de todos os males o Ocidente, o Judeo-Cristianismo, a iniciativa privada e a economia de mercado, a democracia, o sexo masculino, a pele branca. E por contrapartida, tudo o resto é intrinsecamente bom, puro, impoluto, livre das garras sujas do "homem branco".

Nem a morte de Pippa demoveu a sua companheira de viagem artista de continuar a provar a teoria que ambas acalentam. Quando a ideologia se sobrepõe à realidade, é assim.

3. NENHUMA OUTRA RELIGIÃO ADMITE O ESTUPRO, A TORTURA, A MUTILAÇÃO, O ASSASSÍNIO, O CANIBALISMO E O GENOCÍDIO!  

O argumento clássico do Islão é que estupros ocorrem em todas as sociedades. É verdade. Mas nas sociedades decentes, os estupros são punidos, não são encorajados ou tolerados:

O Ex.o imã da Mesquita de Al-Aqsa, em Jerusalém (o alibi dos muçulmanos para exigirem soberania sobre a cidade e o país, um edifício onde há há alguns anos pastavam cabras e onde se pratica parkour e terrorismo) não hesita em ordenar a jihad sexual sobre as mulheres "infiéis":
 


No post anterior demonstrámos, mais uma vez, que a escravatura sexual e o estupro das mulheres infiéis são parte integrante do Islão. O assassínio dos "infiéis" também. Estupro, tortura, genocídio, assassinato dos "infiéis" - ATÉ O CANIBALISMO! - não são ocorrências esporádicas; fazem parte da própria essência do Islão.


- Algumas secções do nosso blogue sobre o que afirmamos:

Jihad Sexual Mulheres Crianças


- Alguns sites que mostram o Islão que os media escondem: 

4 comentários:

  1. Muito bom artigo, deveria ser melhor divulgado. Farei minha parte. Espero que outros consigam ter acesso a essa leitura que deveria ser obrigatória.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado, Celso. É uma ínfima parte da calamidade islâmica diária que varre o Mundo e que é sonegada pelos media.

      Eliminar

Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.