quinta-feira, 11 de fevereiro de 2016

Cristiano Ronaldo alvo da fúria anti-semita

Cristiano Ronaldo (que não é propriamente conhecido  pela sua erudição na Política, mas que é propagandeado como apoiante da jihad islâmica) tem estado sob fogo cerrado porque fez um anúncio em Israel.


O site PaLIEStine.com está mais uma vez em baixo. Foi atacado pelos pró-terroristas e anti-semitas, como de costume. Este site  dedica-se a desmontar a propaganda anti-Israel (vulgo Pallywood) promovida pela poderosa máquina global islamista e extrema-esquerdista.
Ao longo de milhares de anos, tem havido sempre uma razão qualquer para odiar os judeus. Hoje o pretexto é a nação imaginária da "Palestina".
Se a causa "palestina" tivesse solidez, se fosse real e não uma invenção grosseira, porque é que que seria necessária uma máquina de MENTIRA global para a promover?
E porque é que é necessário calar as vozes que a desmontam?

Nesta frente de propaganda neo-nazi, em que pontua o famigerado bando BDS, as figuras públicas são amplamente manipuladas, usadas sem seu consentimento, e até ameaçadas de morte, caso manifestem algum traço de simpatia por Israel.


A REALIDADE DAS PESSOAS DE BEM E A FICÇÃO DOS ODIADORES
Cristiano Ronaldo aparece em incontáveis montagens fotográficas e em vídeos que sugerem que se converteu ao Islão. Esta é das mais conhecidas:
Com um bocadinho de Photoshop e um bocadinho de credulidade do público, pega-se numa foto de Lionel Messi, e aí está, outro apoiante dos terroristas:
 
Na realidade, em 2015, o F.C. Barcelona até fez uma digressão de paz por Israel e pelos territórios israelitas ocupados pelos Árabes. A Política ficou de fora desta digressão, e deve ficar fora eventos desportivos - até por imposições regulamentares federativas.
 
Mas há quem queira à viva força politizar Messi e Ronaldo, dois rivais na arte do pontapé na bola, e investi-los do cargo de odiadores anti-semitas.


UMA CAMPANHA ALEGRE

Algumas imagens da digressão do Barcelona por Israel, em que podemos ver, por exemplo, israelitas judeus e árabes a assistirem lado a lado, pacificamente, aos jogos; os jogadores do Barça a confraternizarem com o público e com os líderes israelitas, e a orarem no Kotel (vulgo Muro das Lamentações):











Claro que não faltaram alguns terroristas a queimarem bandeiras do Barça, sobre o "terrível muro do apartheid", que na realidade é uma cerca de segurança, quase toda em arame farpado, que protege vidas inocentes, e que tem as dimensões assustadoras que podeis ver na foto:




Gente viciada no ódio não concebe viver de outro modo.



CRISTIANO RONALDO ALVO DE ÓDIO ANTI-SEMITA
Cristiano Ronaldo atacada no Twitter por protagonizar um anúncio israelita 
O jogador de futebol internacional, Cristiano Ronaldo, foi atacado nas redes sociais depois de estrelar um anúncio de TV em Israel.
A estrela portuguesa de 31 anos, que joga por Portugal e pelo Real Madrid, aparece num novo anúncio para a empresa de cabo israelita HOT, ao lado de três comediantes israelitas que exibem exagerados penteados à jogador de futebol. O anúncio é intitulado, "200MB Internet - Mais rápido do que Ronaldo" e pode vê-lo abaixo:



Ronaldo parece satisfeito com a sua aparição no anúncio, e postou um link para o vídeo para os seus 40 milhões de seguidores no Twitter:
O tweet provocou debates entre pró-Israel e apoiantes pró-palestinos com detractores usando o hashtag, #FreePalestine, juntamente com s suas mensagens.
(Há rumores de que vou ser uma estrela em Israel. Não no futebol... num anúncio da HOT - escreveu Cristiano, por muitos dado como muçulmano e pró-terrorista).
Para os pró-palestinos, este acto de cooperação com uma empresa israelita foi o suficiente para darem a Ronaldo um "cartão vermelho" imediato. Enquanto alguns  decidiram boicotar Ronaldo, outros twitaram o seu apoio à estrela e a Israel.
Como é frequentemente o caso com o movimento Boicote, Desinvestimento e Sanções (BDS) e os apoiantes pró-palestinos, qualquer celebridade que manifeste o seu apoio ao Estado judaico ou simplesmente coopere com empreendimentos israelitas, enfrenta uma reacção intensa. Há uma grande pressão sobre os artistas para cancelarem performances em Israel. Apesar disso, Israel está a assistir a um boom de artistas internacionais que fazem a viagem à Terra Santa.

Cristãos Unidos por Israel - Reino Unido


- Numa nota à margem, lembramos que a irmã de Cristiano, a Kátia, conquistou os tops israelitas com esta canção:

 

O que talvez não abone muito a favor do bom gosto musical  no Estado Judaico, mas gostos não se discutem ;-)

A MALVADEZ SEM LIMITES 

A malvadez dos odiadores dificilmente conhece limites. Os terroristas islâmicos, tal como os seus apoiantes ocidentais, são gente demente e sem moral (ainda recentemente o partido M.R.P.P. saudou entusiasticamente o Massacre de Paris). Circunspectos académicos ocidentais, são tão abjectos como os mais ferozes terroristas islâmicos -  até as crianças israelitas eles odeiam. 


Dois exemplos dos milhares que o site PaLIEStine expôs:


Imagens com crianças mortas nos conflitos que grassam constantemente no mundo islâmico são sempre recicladas para passarem por crianças "mortas pelos israelitas". Estas foram mortas pelos terrorista da Al-Qaeda na Síria, mas passam por ser vítimas de Israel. Muita gente engole. Conferir aqui.


É de um cinismo sem limites, mas é o que este gente é paga para fazer. Este bebé passa por ser uma vítima dos malandros dos israelitas. O bebé é israelita e foi vítima dos terroristas! Conferir aqui
E como estes casos há muitos milhares, num bombardeamento incessante de MENTIRA.
O Mundo Islâmico é um Inferno, como podemos conferir em levantamentos exaustivos como o que faz o site ISLÃO A NU, mas isso em nada preocupa os odiadores de Israel.
A mesma gente que boceja (ou aplaude) enquanto os cristãos e outras minorias são queimados e enterrados vivos todos os dias, espuma de ódio porque o Cristiano Ronaldo fez um anúncio para uma empresa de Israel, o micro-país que é o único livre e democrático no Médio Oriente. É isso que os incomoda - a Democracia e a Liberdade!

E JÁ QUE FALAMOS EM FUTEBOL:


Um jogo entre a selecção da Austrália e a da Palestina, em 1939. Palestina foi o nome da Terra de Israel, da nação judaica, sob os domínios Romano e Britânico. Os jogadores da selecção eram judeus, os cidadãos do país eram judeus, como sempre foram, desde há 3.800 anos:



A bandeira da Palestina em 1939, na famosa Enciclopédia Larousse:



Uma História de milénios de presença contínua dos judeus na terra de onde são os nativos, na Terra de Israel, não pode ser posta em causa por alegações absurdas de uma troupe que invadiu Israel em 1920, como está agora a invadir a Europa. Está tudo registado em vídeo.

As reivindicações de soberania islâmica sobre Israel têm tanta razão de ser como as que fazem sobre Portugal, Espanha e sobre o Mundo inteiro!

Sem comentários:

Enviar um comentário

Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.