segunda-feira, 10 de outubro de 2016

Muçulmanos em delírio festejam assassínio de judeus em Israel (VÍDEOS)

O Holocausto e os pogroms nunca acabaram. Todos os dias são assassinados judeus apenas por serem judeus, para gáudio dos muçulmanos, da extrema-esquerda e dos nazis:


 
Multidões de muçulmanos tomaram as ruas para festejar o assassinato de dois judeus ontem em Israel. A senhora mais felicitada (e delirante de alegria) é a mãe do terrorista. Os goulões devem estar a abrir o champanhe.
 
Os vídeos devem ser rapidamente censurados pelo lóbi islamo-esquerdista:
 
 
 
 
 
 
 

 
Em puro êxtase está também a filha do assassino, que usa o twitter para mostrar ao mundo o seu júbilo por ter um pai que mata judeus:

 

A mãe do assassino está a receber calorosas saudações também nas redes sociais:



 
 
Mesmo aqui na Europa, as celebrações públicas dos muçulmanos pelo assassínio de "infiéis" ainda não atingiram este grau. Lá chegaremos...
 
Os muçulmanos em Israel e em outros países também festejaram efusivamente o ataque terrorista da Al-Qaeda de Bin Laden em 11 de Setembro de 2001:
 
 
 
 
E festejam sempre que matam "infiéis". Por exemplo:
 

 
O raciocínio habitual no Ocidente, civilizado e incapaz de conceber tamanha malvadez, é de que "algum mal lhes fizeram, para eles reagirem assim, matando pessoas".
 
Nada mais longe da verdade. Isto é a essência do Islão, uma ideologia de morte, conquista e submissão. Matar, torturar, estuprar, destruir, é o dia-a-dia do Islão desde há 1,400 anos.
 
Todos os dias, a toda a hora, em todo o lado, Islão é ódio, morte e sofrimento.
 
Se duvida, em vez de desatar a insultar-me, ESTUDE e CONFIRME:
 
 
 
  • Lei Islâmica em Ação
  • Ex-Muçulmanos
  • Islão a Nu
  • Olho na Jihad
  • Riposte Laique
  • Quoting Islam
  • Raymond Ibrahim
  • Pamela Geller
  • Answering Muslims
  • Winds of Jihad
  • Islam Watch
  • Sultan Knish
  • Muammad e os Sufis
  • Gates of Vienna
  • Answering Islam
  • Bare Naked Islam
  • The Religion of Peace
  • Jihad Watch
  •  

    Sem comentários:

    Enviar um comentário

    Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.