quinta-feira, 27 de outubro de 2016

Jerusalém - Festa dos Tabernáculos 2016


O que é o Sucot? Por este nome, quem teve um educação católica, como nós e como a maior parte dos portugueses, não saberá. Mas se falarmos na Festa das Tendas, ou na Festa dos Tabernáculos, já sabemos. 
A Festa das Tendas evoca o Êxodo, quando os Israelitas andaram no deserto durante 40 anos e se abrigavam em tendas. É uma chamada à consciência histórica e à noção, sempre presente no Judaísmo, de que tudo vem de Deus.

Edifícar com alegria para o Sucot

Quando havia Templo em Jerusalém,  Israel e todas as nações/goym (recordamos que a palavra goym significa "nações", e que Israel é uma das nações do Mundo) eram convidadas a celebrar em união esta festa. 
Não podemos deixar de admirar esta tradição, que se cumpre, sem interrupções, há quase 4 mil anos. Mesmo nos tempos mais difíceis, com a Terra de Israel ocupada pelos inúmeros invasores que se sucederam, mesmo nos campos de extermínio nazis, os judeus celebraram o Sucot.


Nos dias desta celebração, os judeus tomam as suas refeições e pernoitam em tendas construídas especialmente para esta ocasião, com os formatos ditados pela inspiração e os materiais disponíveis.

 

Sucá significa "tenda. Sucot significa "tendas".

Neste vídeo, Yaakov Lehman passeia por Jerusalém e conversa com todos os tipos de judeus, dos mais ortodoxos aos mais liberais, sobre o significado da Festa das Tendas:

A cerimónia de Birkat Cohanim (Bênção Sacerdotal) no Kotel (Muro Ocidental ou Muro das Lamentações) teve a participação de dezenas de milhar de judeus que se reuniram para o Sucot vindos de todo o mundo.  
A bênção vem de Números 6: 23-27, onde Aarão e seus filhos são mandados fazer a seguinte bênção sobre o povo judeu: "Que o Senhor te abençoe e te guarde, que o Senhor faça sua face lançar luz sobre ti e se compadeça de ti, Que o Senhor levante o seu rosto para ti e te dê a paz".

Sobre a resolução da UNESCO de negar os laços judeus com o Monte do Templo e Muro das Lamentações, o rabino Shmuel Rabinowitz, rabino do Muro das Lamentações e dos locais sagrados de Jerusalém, afirmou: 
"Em toda a história do Mundo, eu não sei de uma 'potência ocupante' cuja terra esteja cheia das relíquias dos seus antepassados. A santidade do Monte do Templo e do Muro das Lamentações para o povo judeu vem de há muitas gerações".
 Veja o nosso post:

UNESCO nega relação do povo judeu com Israel


"Os milhões de fiéis que vieram rezar no Muro das Lamentações em frente ao Monte do Templo, são a resposta judaica à UNESCO", acrescentou. 
Milhares de judeus no Muro Ocidental, este ano como desde há quase quatro mil anos, ininterruptamente; os judeus são o POVO NATIVO de Israel:

Sem comentários:

Enviar um comentário

Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.