segunda-feira, 10 de outubro de 2016

2 mortos e 11 feridos em ataque terrorista islâmico em Jerusalém

 
Continua a campanha de assassínio de judeus promovida por Mammoud Abbas.
O Mundo apoia, claro! 
Há 80 anos, os anti-semitas gaseavam e queimavam os judeus nos campos de concentração nazis, ou abatiam-nos e atiravam-nos para as valas comuns, nos países comunistas. O motivo era não gostarem dos judeus e quererem que estes se juntassem aos seus irmãos na sua Terra.
 
Hoje, que os judeus do Mundo se juntaram aos que estão em Israel, ininterruptamente, desde há mais 5 mil anos, o Mundo exige que os judeus abdiquem da parcela ínfima que resta da sua Terra,  deem lugar aos colonos muçulmanos. E se deixem matar todos, pois não podem viver na sua Terra nem são bem-vindos em lado nenhum.
 
O pretexto oficial é um país que nunca existiu, a "Palestina" Árabe:
 

 
Mas a verdadeira razão é a de sempre: o ódio aos judeus.
 


Duas pessoas morreram e onze ficaram feridas na sequência de um ataque a tiro perpetrado por um terrorista islâmico em Jerusalém.


De acordo com um comunicado da polícia publicado poucos minutos após o incidente, o terrorista dirigiu-se de carro até um cruzamento perto da sede da polícia e abriu fogo indiscriminadamente, ferindo civis.


Continuou então o seu caminho em alta velocidade na direcção do norte da cidade, e abriu fogo contra uma segunda mulher que viajava de carro e que também ficou gravemente ferida.

Em seguida, dirigiu-se para a zona de Sheikh Jarrah, onde estacionou o seu veículo. Avistou uma moto da polícia vindo na sua direcção e abriu fogo contra os agentes. Um deles ficou gravemente ferido e o outro com ferimentos ligeiros.

O terrorista foi finalmente morto pela polícia.


As forças de segurança estão à procura de possíveis suspeitos e criaram várias barreiras na área.

Os serviços de emergência chegaram ao local onde prestaram cuidados às vítimas.

Uma mulher de 60 anos e um dos polícias atingidos pelos tiros do terrorista sucumbiram aos ferimentos, disseram os médicos que tentaram ressuscita-los no Hospital Hadassah, em Jerusalém.

O terrorista, de 39 anos, é do bairro de Silwan em Jerusalém Oriental.

- Redigido com elementos do EUROPE-ISRAEL. Se tem facilidade a ler Francês, aconselhamos-lhe vivamente este site, que é periodicamente atacado pelos hackers islamo-esquerdistas porque mostra a verdade.




O bando terrorista Hamas (idolatrado pela esquerda mundial e pelo Ocidente em geral) já reivindicou o ataque e os festejos já grassam entre os islamistas. Os comunistas jornaleiros goulões já devem estar a preparar proclamações indignadas pelo "assassínio de mais um palestino inocente".
 
Enquanto isso, os judeus choram a morte de mais dois inocentes, que seria facilmente evitável se o Mundo não estivesse em peso contra Israel e a apoiar o mundo islâmico, que tenta há 1,400 anos obliterar os judeus.
 
A indiferença, o ódio e o regozijo com o assassínio de judeus inocentes é o mesmo hoje que era nos tempos de Hitler ou de Stalin.
 
 
HOMENAGEM ÀS VÍTIMAS
 
 
Yosef Kirma tinha 29 anos e era um agente de Polícia condecorado por ter impedido um massacre islamista numa escola. Mais uma vez, arriscou a vida para salvar a dos cidadãos a quem serve. Não sobreviveu.
 
Levana Malici, que vivia em Jerusalém desde os anos 60,  trabalhou no Knesset durante 30 anos. Deixa três filhos e seis netos. 
 
Que Deus os acolha na Sua paz, e que traga paz depressa a Israel e ao Mundo.
 
Isso está na sua mão também. Na sua, que nos lê. Apoie Israel. Apoie o BEM.
 

Sem comentários:

Enviar um comentário

Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.