sexta-feira, 26 de agosto de 2016

Polícia belga abate terrorista muçulmana. E se fosse em Israel?

Em cima, as autoridades belgas abatem uma terrorista. Em baixo, as autoridades israelitas abatem uma terrorista. Os belgas agiram bem. Os israelitas são "assassinos". O terrorismo é o mesmo.

22 de Agosto, Uccle, Bélgica. Uma muçulmana desata aos gritos de "Allahu Akbar" e a atacar pessoas à facada (o "Islão nosso de cada dia"...).
A Polícia belga abateu-a. É o que a Polícia deve fazer quando terroristas se lançam sobre cidadãos inocentes.
Mas se tivesse sido em Israel, esta aplicação correcta do protocolo policial e do senso-comum, levaria o nome de "execução arbitrária":

Dois vídeos do mesmo ataque:

 

Vai fazer um ano que as lideranças islâmicas apelaram à intensificação da matança de judeus. Demos a essa campanha genocida neo-nazi a designação de INTIFACADA

Como sempre, a Comunidade Internacional regozija-se com a matança de judeus:

'Autoridade Palestina' manda degolar judeus e o Mundo aplaude

Por isso, porque o Nazismo continua vivo e recomenda-se, quando a Polícia de Israel faz exactamente o mesmo que a Policia da Bélgica, chove o ódio: 

Dia do Ódio a Israel na ONU - 1

Dia do Ódio a Israel na ONU - 2

Dia do Ódio a Israel na ONU - 3

Sem comentários:

Enviar um comentário

Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.