domingo, 7 de agosto de 2016

Os obcecados islamonazis e suas teorias da conspiração

Judeus: sempre culpados de uma coisa, do seu oposto, e de tudo o que fica no meio!

Temos às vezes por aqui trolls, nazis assumidos ou semi envergonhados (quando alguém se define como nazi e apoia Hitler, já estamos conversados), apoiantes da jihad, que vêm bolsar inanidades e insultos anti-semitas ao nosso blog (o costume: que os judeus é que financiaram o Hitler para eles os matar todos no Holocausto, etc.), e que são incapazes de entender que:

a) Por haver alguns judeus ricos, nem todos são ricos. E ser rico nem é crime...

b) Por haver alguns judeus que foram comunistas, nem todos os comunistas eram judeus (Stalin ou Mao, Hoxa ou Castro, Pol Pot ou os Kims, etc.).

c) É doença, a generalização sistemática ("o Woody Allen casou com a enteada, logo, os judeus são todos pervertidos como ele", etc.), e a acusação (sem provas) de que os judeus mexem na sombra os cordelinhos do Mundo há 6 mil anos (geralmente para se fazerem matar a eles mesmos, aos milhões).

d) São tão obcecados pelo ódio anti-semita, que conseguem ver numa declaração de fraternidade universalista uma proclamação imperialista (apesar de os judeus nunca terem tido nenhum Império, ao contrário de tantos outros - nós, portugueses, por exemplo).

e) Etc., a loucura é tanta e tão aleatória, como é próprio da ideologia nazi, que nem resposta tem.

Para essas pessoas, este artigo publicado na Questom Judaica, chega como resposta:

QUATRO FORMAS DO MITO DA CONSPIRAÇOM JUDIA

ALGUNS MOMENTOS HISTÓRICOS SIGNIFICATIVOS DA CONSPIRAÇOM JUDIA

Não que alguma vez alguma resposta os satisfaça. Para eles, só Psiquiatria, ou a intervenção Divina. Rezamos por eles. Fazermos do nosso blogue um consultório psiquiátrico para tratar cada loucura que lhes passe pela cabeça, cada acusação absurda, cada teoria da conspiração, isso é que não podemos.Vamos esclarecendo, na medida das nossas possibilidades (por exemplo: Hitler e o Grande Mufti de Jerusalém (COM VÍDEOS))
Já as pessoas honestas consigo mesmas, se tiverem dúvidas, podem sempre ESTUDAR - em Inglês ou em Português. Ou até no nosso blogue.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.