domingo, 15 de março de 2015

Vede, as Barragens Invisíveis de Israel!...


São mais uma fabulosa obra de engenharia. Ora veja:


"Centenas de palestinos ficaram desalojados depois de Israel ter aberto as comportas do rio e lhes ter inundado as casas. Horas antes, de o Estado Judaico ter cortado a electricidade nas cidades da Cisjordânia" - é o título completamente aldrabado do Mail Online. Ambas as "notícias" são FALSAS.

Todos os dias recebemos um ramalhete de notícias de abusos sistemáticos da Imprensa sobre o Estado de Israel, através da organização HONESTREPORTING. Se vos contasse metade do que me chega (e QUE pode chegar a vós, basta que subscrevam a newsletter), não sairíamos daqui...
Há coisas muito graves, há a calúnia criminosa, pura e simples - ver Operação Protecção-Limite , especialmente este post. e a cumplicidade da Imprensa internacional com os terroristas.
 

Cheias em Gaza. Adivinhe de quem é "culpa"

E há coisas que rondam o surrealista, como a alegação do grupo terrorista Hamas, há algumas semanas, de que as cheias em Gaza se deveram à "abertura das comportas das barragens" em Israel, para inundar deliberadamente o território. Ora acontece que não há nenhumas "barragens" nem nenhumas "comportas" para abrir, e a chuva que caiu em Gaza foi a mesma que Deus e Alá, respectivamente, enviaram...

Imagem do Daly Mail online com a legenda que atribui a Israel a culpa pelas inundações.
As aldrabices  do Daily Mail Online foram repetidas por exemplo pela Al-Jazeera, RT (Russia Today), Maan News, e até pelos chineses da Xinhua - para além do Al-Público e Companhia, como é costume. A aldrabice já tinha sido usada em 2013 (notícia do The Times of Israel, com vídeo) aliás. E com o mesmo sucesso. A HONEST REPORTING desmontou a propaganda, aqui e aqui. O Daily Mail Online corrigiu o erro, mas não pediu desculpas nem deu destaque à correcção como deu à não-notícia.

 ÁGUA MOLE EM PEDRA DURA 


O terrorista Ismail Haniyeh, líder do Hamas,  passa o copo de whisky para a sua amante ocidental esconder dos fotógrafos.
As infra-estruturas (ou a ausência delas) foram as culpadas por estas cheias. A população de Gaza vive na miséria, enquanto as elites vivem vidas de bilionários, e o dinheiro que resta (ver post anterior) é empregue em armas, munições e estruturas terroristas para atacar Israel.
Mas de onde veio - neste caso - tão extraordinária alegação? Pode ter sido um puro aproveitamento da paranóia antissemita global. Ou pode ter sido um aproveitamento criativo de uma realidade. É que o Egipto inunda regularmente os túneis que os terroristas do Hamas constroem, para fazer entrar em Gaza armas, dos seus irmãos que operam no Deserto do Sinai.

O Estranho Caso do Tubarão Judeu (Carcharodon Judeum)
Assim, com "notícias" deste calibre, se vai moldando a opinião pública no preconceito e no ódio a Israel e aos judeus. Ontem eram acusados de comer crianças e envenenar poços, hoje são acusados de abrir comportas invisíveis ou de treinarem tubarões assassinos. Água mole em pedra dura, tanto dá até que Auschwitz...
Mas água mole em pedra dura funciona nos dois sentidos, e a VERDADE há-de vencer a MENTIRA do Jornalismo institucional.

O QUE A IMPRENSA NÃO MOSTRA 
Este é um dos vídeos feitos por cidadãos de Gaza (muçulmanos) que, correndo risco de vida, enviam para o Mundo Livre as cenas de matanças públicas de cidadãos cujos "crimes" são, por exemplo cantar durante um casamento, ou pertencer ao grupo do Arafat, e não ao Hamas
O autor do vídeo pergunta porque é que é aceite dançar nas ruas quando crianças israelitas e ocidentais em geral são assassinadas, e em Gaza o Hamas chacina os próprios cidadãos, e ninguém se queixa? Porque o ódio aos «infiéis» tudo suplanta. Até a razão.

Este passou na  TV "palestina" recentemente: um clérigo muçulmano, em frenesi de ódio, como é da praxe, afirma que "os judeus são macacos e porcos, e adoradores de divindades". Não admira que esta gente tenha uma obsessão antissemita, se é esta a educação que recebe, do berço à tumba.
Caberia à Imprensa mostrar isto ao Mundo. Não mostra.

 AINDA MAIS SURREALISMO

Perante estes exemplos, ficamos abismados com o rigor da pena de 6 meses de suspensão, sem pagamento, aplicada ao jornalista Brian Williams da CNN, por ter dito, em 2003, quando em serviço no Iraque, que uns mísseis passavam por debaixo do helicóptero, quando na verdade assobiavam a uma certa distância do mesmo. Se este jornalista foi suspendo, metade da redacção do Al-Público deveria estar na prisão!

2 comentários:

  1. Uma coisa notável foi que quando Israel finalmente reagiu ao bombardeamento massivo dos fachas de gaza do Hamas não faltavam imagens de Gaza destruída completamente. Depois disso imensas imagens de Gaza não mostram qualquer destruição: ou os fachas são rápidos a construir ou aconteceu mais do mesmo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A destruição que o Egipto lá provoca, de cada vez que resolve alargar a barreira de segurança, a Imprensa não mostra. O Egipto, enquanto houver possibilidade de um governo islamista, é «amigo»...

      Jota Jota

      Eliminar

Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.