sábado, 21 de março de 2015

As Oprimidas Mulheres de Israel...



Sudão, paraíso islâmico: autoridades castigam mulher que ousou vestir calças.

A ONU, hoje em dia, é pouco mais que uma mafia. É uma ferramenta para apoiar ditaduras e agendas políticas islamistas e comunistas. Sob os marcadores UN Watch e ONU temo-vos trazido alguns aspectos escabrosos e caricatos da actuação desse organismo.


Em 2014, a ONU conseguiu produzir 20 condenações contra Israel - a sua obsessão preferida, o seu ódio de estimação. Os motivos das condenações foram por exemplo Israel ter-se defendido do ataque do Hamas no Verão - ver Operação Protecção-Limite - um ataque sem precedentes na História da Humanidade, em que um país inteiro esteve duas semanas consecutivas sob bombardeamento até ripostar. E ripostou à altura da sua reputação de Exército mais moral da História, apesar de isso ter custado vidas inocentes de israelitas.


Mulher israelita

Mas não se pense que Israel só tem "culpas" por não se deixar massacrar. Mesmo quando está quieto, Israel tem culpa. O bater de asas de uma borboleta israelita em Jerusalém provoca uma carga de pancada numa mulher muçulmana. Ora vejam este exemplo:


ONU - a louca furiosa antissemita Navi Pillay - "Quando os homens 'palestinos' espancam as suas mulheres, a culpa é de Israel"

É assim, meus amigos. O nível é este.

Por isso nem podemos dizer que tenhamos ficado surpreendidos com esta notícia, que o jornal alemão Algemeiner hoje nos traz:

ONU afirma que Israel é o país que mais viola os direitos das mulheres

Não a Síria, onde as forças do governo rotineiramente usam o estupro e outras violências sexuais e tortura contra as mulheres como uma táctica de guerra. Onde, em 2014, o regime de Assad matou de fome, torturou e executou pelo menos 24.000 civis, e três milhões de pessoas - a maioria mulheres e crianças - são refugiados.Não a Arábia Saudita. Onde as mulheres são fisicamente punidas se não usarem as roupas obrigatórias, estão quase totalmente excluídas da vida política, não podem conduzir, não podem viajar sem um parente do sexo masculino, recebem metade da herança dos seus irmãos, e onde o seu testemunho vale a metade do de um homem.

Não o Sudão. Onde não é proibida a violência doméstica. Onde não há idade mínima para o sexo "consensual". Onde a idade legal do casamento para as meninas é 10 anos. Onde 88% das mulheres com menos de 50 anos foram submetidas à mutilação genital feminina.  Onde são negados às mulheres direitos iguais no casamento, herança e divórcio.

Não o Irão. Onde todas as mulheres que se registaram como candidatas presidenciais nas últimas eleições foram desclassificadas. Onde o "adultério" é punível com a morte por apedrejamento. Onde as mulheres que resistem aos violadores e os matam são executadas. Onde a Constituição proíbe juízes do sexo feminino. Onde as mulheres devem obter o consentimento dos seus maridos para trabalharem fora de casa ».



 Mulheres israelitas

Qualquer pessoa pode ir a Israel e constatar, com os seus próprios olhos, que por lá as mulheres gozam dos mesmos direitos que os homens, como aqui em Portugal ou em qualquer país livre e democrático. E dos mesmos deveres também.

 
 Rana Aslam, ex-Miss Israel. Árabe.


Se desembarcarem  em qualquer país islâmico, terão desde logo que tapar pernas e cabelo, não usar maquilhagem e não andarem sem companhia masculina, sob pena de serem presas, assaltadas, violadas ou assassinadas. Ou acabarem num mercado de escravas sexuais.


Mulheres e meninas israelitas

São frequentes os relatos de mulheres ocidentais que são violadas nos países islâmicos e depois condenadas - porque nessas paragens a culpa da violação é da mulher!!! 

Falou-se bastante da norueguesa de 25 anos, que foi violada no "moderno" Dubai, e apanhou 16 meses de cadeia por... sexo fora do casamento! Falou-se menos de Alicia Gail, uma australiana de 27 anos, também violada e condenada no mesmo país.


Mulheres israelitas

Nem vale a pena começarmos a contar casos. No nosso marcador MULHERES, que está longe de ser exaustivo, damo-vos alguns exemplos do que é condição feminina no Islão, em contraste com os países livres, que a Esquerda palestinianista e filo-muçulmana verbera, por causa dessa coisa a que chamam depreciativamente a "tradição judaico-cristã".


Mira Awad. Actriz, cantora, compositora. Representou Israel no Festival Eurovisão de 2009. Árabe.

Só as notícias de hoje acerca dos direitos das mulheres no mundo muçulmano, davam pano para mangas. Uma ao acaso:

Hoje: Grupos de defesa dos direitos das Mulheres no Egipto concentram-se em frente ao parlamento, pedindo que não sejam aprovadas as leis do casamento de meninas com homens adultos e o sexo com cadáveres de mulheres (ambas as práticas permitidas e parte integrante do Islão). Notícia por exemplo no Al-Arabya.

MAIS ALGUMAS MULHERES (JUDIAS, ÁRABES, DRUZAS, ARAMEIAS, BEDUÍNAS, ETC.), EXTREMAMENTE OPRIMIDAS, EM ISRAEL:
 

 


























9 comentários:

  1. Israel é um país ruim, pois oprime as mulheres. Odeio países assim!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Cristiane,

      Leia com atenção o post, sff.. O vídeo NÃO É DE ISRAEL! O título do post é uma IRONIA!

      Em Israel as mulheres gozam de todos os direitos que os homens gozam, tal como aqui em Portugal ou aí no Brasil.

      Oliveira

      Eliminar
    2. È IRONIA!!!! não viu as fotos??? nossa, ter que explicar é o cumulo!

      Eliminar
  2. muito legal a postagem...irei compartilhar!! o video do sudão foi o que me chamou atençao... penso numa grande covardia feita ali...chocante...e sei q nao é nem a metade!! e hoje ao ver lembrei-me dos atentados da França nesses ultimos dias... a mídia e os governantes estao tao preocupados com esse fato, e claro foi horrivel tambem, mas quantas pessoas nesses países extremistas sao mortas todos os dias e quem pode fazer algo realmente que traga mudança nao o faz e milhoes de vidas sao perdidas... sabe penso hoje que somos todos seres humanos e apesar eu ser brasileiro voce portugues, eles sauditas, americanos, israelitas, alemaes...esquecemos que vivemos sob o mesmo céu, viemos do mesmo lugar e desse jeito para onde vamos? sou religioso e clamo a Deus pra que ele apenas me guie e me de sabedoria pra fazer sempre o melhor.... e o interessante que Deus pra todos nós é um só no final....entao qual será o problema deles é a minha pergunta? sera que só quando esses problemas lá vem para o lado de nossos outros irmaos ocidentais que devemos tomar providencias? é um fator a se pensar muito!!!!

    ResponderEliminar
  3. Israelitas são mestres da mentira enganações e vitimismo. Querem por a culpa nos demais países por seus erros. Maior lixo reduto de parasitas da humanidade.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O Carlos Guerreiro ilustra bem o grau de ódio e iliteracia dos inimigos de Israel. Nem percebeu a ironia do título. Leu o título e "concordou".

      Nem vale a pena pedir-lhe que PROVE as suas afirmações. Nazis são assim. Acéfalos, bárbaros, cheios de ódio cego.

      Temos pena de si, Carlos. Sinceramente.

      Eliminar
  4. Amo a cultura deles, é um país democrático. Infelizmente, a mídia manipula a verdade que há por trás.
    Colocam-os como culpados por todo o conflito existente, sendo que na verdade, estão apenas na defensiva.

    ResponderEliminar
  5. aqueles que abençoarem Israel serão abençoados e os que o amaldiçoarem serão amaldiçoados. assim diz o Deus deles(o mesmo a quem eu sirvo). Glórias ao nome do Senhor Deus de Israel!!!!!!!!!!!! para todo o sempre!!!!!!

    ResponderEliminar

Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.