terça-feira, 21 de janeiro de 2014

Anelka, a «vítima»

  

O neo-nazi Anelka destilando o seu ódio

O Público (como seria previsível), continua a sua campanha de branqueamento do anti-semitismo em França. O futebolista neo-nazi  e supremacista islâmico Anelka, é apresentado como a vítima, e os judeus como os hiper-sensíveis com a mania da perseguição. Como de costume.

 


A «quenelle» é um gesto anti-semita, mas as coisas não se resumem a um gesto, como a imprensa anti-semita faz crer. Anelka afirma-se apoiante de Dieudonnè ( candidamente apresentado pelo Público como um «comediante») e Soral (ex-comunista e anti-semita fervoroso) - patrocinados e financiados pelo Irão, e que pregam, juntamente com Le Pen e a facção neo nazi da Frente Nacional, a extinção dos judeus.

Isto não refere a Imprensa anti-semita e pró-islâmica. Como de costume.

É claro que, intoxicados por esta propaganda suja, muitos opinadeiros de café já decretaram que a «quenelle» não é anti-semita.  Nós diremos mesmo mais: o gesto Sieg Heil também não era anti-semita. Aliás, o Hitler também não era anti-semita. Os judeus é que gostam de se armar em vítimas. O que são 6 milhões de inocentes metidos no forno após as mais ignóbeis torturas? O que são vários 6 milhões dizimados em todo o mundo islâmico desde há 65 anos a esta parte, em represália pela independência do minísculo Estado Judaico? Basicamente, o anti-semitismo é uma invenção dos judeus! O anti-semitismo não existe! E quem disser o contrário, vai direitinho para a câmara de gás!


Mohamed Merah, o assassino de Toulouse, também não era anti-semita. Matou uma catrefa de judeus a mando da Al-QAeda e o pai vai apresentar queixa contra as autoridades francesas, porque o filho, na sua óptica, é inocente. Estava possivelmente apenas fazer comédia, como o Dieudo...

Via Europe-Israel (o site está neste momento sob ataque informático):
"Numa altura em que cresce a controvérsia sobre o anti-semita Dieudonné, é útil recordar o que descobrimos no ano passado: Soral e Dieudonné são financiados pelo Irão e pela Síria. São agentes ao serviço do Islamismo Xiita.
Neste documentário, as duas personagens mostram os seus laços estreitos com os regimes islâmicos xiitas. Estes dois indivíduos trabalham para levar os cristãos a converterem-se ao Islão xiita usando o anti-semitismo ... Infelizmente para eles, muita juventude sunita suburbana não se deixa enganar por estes dois agentes do serviço do Irão.

A verdade sobre Dieudonné e Alain Soral é revelada neste vídeo: ambos são agentes iranianos. Dieudonné converteu-se ao Islão há vários anos. Quanto a Alain Soral, comunista desapontado com o colapso da União Soviética, tem desenvolvido uma doutrina que tem o único objetivo de promover o Islão e a Revolução Islâmica iraniana ..."





A estratégia de ignorar e passar discretamente foi a escolhida pelos judeus antes do Holocausto.  Para além de terem «ganho« com isso um genocídio, ganharam a própria negação do genocídio. Desta vez, não estão com a mesma disposição. Gente de mau-feitio, já se vê...

VER TAMBÉM:

Dar canal a Dieudonné 

Sem comentários:

Enviar um comentário

Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.