sexta-feira, 12 de janeiro de 2018

"Palestinos" festejam assassinato de pai de 6 (como de costume)

Na sequência de:

Pai de 6 assassinado a tiro na Samaria




A cultura de terror, ódio e morte que o mundo adora.


"Resultado: um colono morto", anuncia uma postagem doentia no Facebook do partido político do presidente "palestino", Mahmoud Abbas.


Apenas algumas horas depois de terroristas "palestinos" terem alvejado e assassinado um homem israelita a tiros perto de Shechem (Nablus) na terça-feira. A facção "palestina" Fatah, liderada pelo presidente "palestino", Mahmoud Abbas, glorificou o assassinato num post no Facebook, que apresentou o ataque como uma "operação" bem sucedida. A publicação usou estatísticas e números das atrocidades numa tentativa retorcida de humor.

"A operação de Nablus em números: a duração total da operação: 30 segundos. A distância entre os carros: 20 metros. O número de balas que foram disparadas: 22. Aquele que realizou a operação é experiente e avisado, e escapou do local. O resultado: um colono morto", lê-se no texto, de acordo com uma tradução da Palestinian Media Watch (PMW).


Raziel Shevach e família.



Os terroristas "palestinos" mataram Raziel Shevach, residente de Havat Gilad, no norte da Samaria, num tiroteio na noite de terça-feira. Shevach, pai de seis filhos, tinha 35 anos. Os terroristas "palestinos" que assassinaram Shevach fugiram da cena no seu veículo.

O PMW observa que os "palestinos" frequentemente se referem a todos os israelitas e até mesmo a turistas mortos em ataques terroristas como "colonos". Por exemplo, quando o cidadão americano Taylor Force foi assassinado por um terrorista em Tel Aviv, em Março de 2016, as notícias da televisão "Autoridade Palestina" classificaram os 11 israelitas feridos e Taylor Force como "colonos".

O grupo terrorista Hamas elogiou o ataque, acolhendo o "acto heróico que serve como resposta aos crimes de Israel contra o nosso povo na Cisjordânia, em Jerusalém e na mesquita de Al-Aqsa. Todos os planos para enfraquecer nossa resistência falharão. O governo de Israel é responsável pelas ramificações e resultados de suas políticas racistas e extremas".

O porta-voz do Hamas, Hussam Badaran, disse que o ataque terrorista "foi uma bofetada no rosto de Israel após o reconhecimento do presidente [Donald] Trump de Jerusalém como a capital de Israel"

"Não é difícil perceber porque não há paz"

Em resposta ao ataque, o embaixador dos EUA em Israel, David Friedman, criticou os "palestinos": "Um pai israelita de seis filhos foi morto na noite passada a sangue frio por terroristas 'palestinos'. O Hamas elogia os assassinos e as leis da AP que lhes proporcionam recompensas financeiras. É fácil perceber porque não há paz".

Nickolay Mladenov, Coordenador Especial das Nações Unidas para o Processo de Paz no Médio Oriente, afirmou, após o ataque, que "não há justificativa para o terror e para quem o tolera, o elogia ou o glorifica. Este não é o caminho para a paz! Os perpetradores do ataque de ontem devem ser levados à justiça".

Friedman referia-se a um relatório divulgado na terça-feira pelo Ministério da Defesa de Israel, que detalhava o sistema de pagamento "palestino" aos terroristas "palestinos" e suas famílias.






De acordo com a lei "palestina", quanto mais odioso for o acto de terror cometido, maior a recompensa. 

Especificamente, terroristas condenados de três a cinco anos de prisão recebem do governo "palestino" 580 dólares por mês, o que equivale à renda média "palestina"

A "Autoridade Palestina" paga aos terroristas condenados a 20 anos ou mais de prisão por 2.800 dólares por mês.

O relatório mostra que, em 2017, a "Autoridade Palestina" (AP) compensou os terroristas e os parentes mais próximos de mais de 347 milhões de dólares.



---------------------------------------


COMENTÁRIO


As lágrimas da ONU são de crocodilo. A função da ONU, hoje em dia, está praticamente reduzida a tentar extinguir Israel, emitindo resoluções que condenam Israel por existir, e transferindo milhões para os terroristas encarregados dessa missão. 


Consulte as nossas secções ONU e UNWATCH.

Guterres ofereceu recentemente mais uns milhões ao mega-terrorista Abbas, destinados a comprar armas e munições para matar israelitas e a recompensar os terroristas que o fazem:



Top 10 das acções anti-Israel mais INSANAS da ONU em 2017


O assassinato de israelitas e as celebrações subsequentes são a regra. Na nossa secção INTIFACADA, pode assistir a vídeos do incitamento ao terrorismo por parte do mega-terrorista Mammoud Abbas, dos ataques a judeus e das celebrações da morte e dos ataques suicidas.

São estes os "parceiros para a paz" que o mundo, hipocritamente impõe a Israel. Todo o mundo vive debaixo da jihad islâmica há 1400 anos. Todo o mundo a combate há 1400 anos. Aos judeus, é pedido que "façam a paz" com quem há 1400 anos faz tudo para os extinguir e tomar posse do microscópico Estado de Israel.

Porque é que ONU não impõe aos países da Europa, da África, da Ásia, da América, da Oceânia, um "processo de paz" com a Al-Qaeda, com o Boko-Haram ou com o ISIS? Porque é que a ONU não impõe aos franceses que se sentem à mesa das negociações com o califa do ISISPorque é que a ONU não impõe aos nigerianos que se sentem à mesa das negociações com o líder da Al-Shabab?

Pessoalmente tenho mais respeito pelos nazis do que pelos "pacifistas" que alimentam o mito do "processo de paz", enquanto financiam os terroristas e fazem figas para que estes acabem o trabalho dos nazis. Não suporto hipócritas.


----------------------------------------------------



Quando matam não-judeus são terroristas. Quando matam judeus são heróis.



Às pessoas de boa-fé que compram a narrativa Made in URSS de que os judeus "invadiram a Palestina", aconselho a secção MITOS SOBRE ISRAEL.

Não se esqueçam de que os maometanos se acham no direito de conquistar e submeter todos os povos, começando pelos judeus e pelos cristãos. A seguir a Israel são Portugal e Espanha que estão na lista de terras a reconquistar. Para o Islão, nós também somos "colonos"; da nossa própria terra:

ISIS e Al-Qaeda a caminho de Portugal e Espanha

ISIS volta a ameaçar Portugal (e agora, ainda somos doidos?)

(Os islamo-comunistas do Google/Youtube retiraram parte dos vídeos mas contamos repô-los).




"Está na hora meus irmãos. Está na hora de demonstrar ao mundo a força do islamismo e de combater os infiéis! O plano está traçado e preparado. Iremos tomar conta de portugal e deste povo fraco e levaremos o nosso Islão ao mais elevado patamar do desejo do Senhor!"

Proclamação no site da Comunidade Islâmica de Lisboa 




P.S. - Esta é apenas uma das mesquitas em projecto para Portugal - E em Palmela há uma escola que forma imãs (NOTA: os islamo-comunistas do DN retiraram o artigo. Os jornalistas estão todos ao serviço da jihad islâmica).


Sem comentários:

Enviar um comentário

Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.