quarta-feira, 17 de janeiro de 2018

Netanyahu aprofunda os laços com a Índia, olhando para o futuro


Netanyahu disse que é importante para Israel que a Índia, uma das principais potências do mundo, queira estreitar laços com o Estado judeu. 
Por: Aryeh Savir, World Israel News 

O primeiro-ministro Benjamin Netanyahu concluiu o primeiro dia da sua visita de Estado histórica de seis dias à Índia no domingo, onde foi recebido calorosamente pelo primeiro-ministro indiano Narendra Modi no aeroporto. 
A visita oficial de Netanyahu celebra os 25 anos desde o estabelecimento de relações diplomáticas entre os dois países e ocorre cerca de seis meses após a histórica visita de Modi a Israel em Julho.

  
Netanyahu desembarcou em Deli, onde recebeu uma 'saudação surpresa' do Primeiro-Ministro Modi.


Reunido com o Ministro dos Negócios Estrangeiros da Índia, Sushma Swaraj, Netanyahu disse que era "uma verdadeira honra e uma verdadeira alegria estar aqui"
"Há muito entusiasmo, não só nas nossas reuniões ao nível de governos e líderes, mas também nas pessoas. Eu vejo isso e é reconfortante", afirmou Netanyahu, dizendo que estava ansioso para melhorar ainda mais os laços entre os dois países. 
Em Hebraico, Netanyahu disse que é importante para o Estado de Israel que uma das principais potências do mundo, a Índia, queira desenvolver uma colaboração próxima em muitas áreas, incluindo economia, comércio, segurança e agricultura
Swaraj disse que os sentimentos positivos em torno da visita de Netanyahu eram "mútuos".

"Esse sonho tornou-se realidade" 
"Estávamos ansiosos pela vossa visita. Depois da visita do primeiro-ministro Modi, todos nós queríamos muito receber-vos na Índia. E hoje, esse sonho tornou-se realidade", disse o ministro. 
Swaraj enfatizou a amizade especial entre os dois países, lembrando as visitas recíprocas do ano passado, que reflectem o aprofundamento dos vínculos. 

O Presidente da República de Israel, Reuven Rivlin, e o Primeiro-Ministro da Índia, Narendra Modi.

Os laços entre os dois países estreitaram-se consideravelmente nos últimos anos, especialmente desde que Modi assumiu o cargo. 
O relacionamento teve um novo impulso durante a visita do presidente indiano Pranab Mukherjee a Israel em 2015 e a visita recíproca do presidente Reuven Rivlin à Índia em Dezembro passado. 
À noite, Modi deu um jantar em honra de Netanyahu e sua esposa Sara, na sua residência oficial em Nova Deli. 
Durante a visita oficial, serão realizadas reuniões profissionais entre as duas partes e serão assinados acordos bilaterais nos campos da energia, ciber-tecnologia e aviação.


---------------------------------

"Os judeus nunca experimentaram a perseguição na Índia" - lembra Netanyahu.
Numa conferência de imprensa conjunta em Nova Deli, Netanyahu chamou ao seu homólogo indiano "um líder revolucionário no melhor sentido da palavra" revolução":


"Durante 2.000 anos, o povo judeu sofreu a perseguição em muitos países, mas nunca na Índia", disse o primeiro-ministro israelita ao seu homólogo em Nova Deli. 
O primeiro-ministro Benjamin Netanyahu agradeceu a Narendra Modi, "não só pela honra que me deu, mas também ao povo de Israel e ao Estado de Israel". 
Modi foi o primeiro líder da Índia a visitar Israel, disse Netanyahu, chamando a essa visita um evento histórico, especialmente para os israelitas de origem indiana. 
Em 2.000 anos, judeus na Índia nunca experimentaram anti-semitismo, observou o primeiro-ministro israelita.

---------------------------------

Órfão sobrevivente do ataque terrorista de Bombaim regressa ao local de ataque


Quase 10 anos depois de os seus pais, os emissários do movimento Chabad, o rabino Gavriel e a esposa Rivka Holtzberg, terem sido assassinados por terroristas islâmicos na Índia, Moshe Holtzberg, de 12 anos, regressou ao local pela primeira vez.  
Moshe Holtzberg retornou pela primeira vez ao local do ataque em Mumbai, na Índia, onde os seus pais foram assassinados. Moshe juntou-se ao primeiro-ministro Benjamin Netanyahu numa cerimónia para descerrar uma placa memorial que homenageia os seus pais no Centro Chabad de Bombaim, onde foram mortos num ataque terrorista islâmico. 
A placa servirá como primeira pedra para o memorial planeado para o local, que incluirá o apartamento onde viviam os Holtzberg e o sítio exacto onde ocorreram os assassinatos. 



Moshe tinha apenas dois anos quando os seus pais foram assassinados, juntamente com outras seis pessoas, no Centro Chabad, que foi um dos alvos de 10 islamistas radicais que se infiltraram Mumbai e abateram 166 pessoas durante três dias de terror. 


Sandra SamuelMoshe Holtzberg.


Moshe foi salvo pela sua ama indiana, Sandra Samuel, que o protegeu durante o a matança, e viajou com ele para Israel, onde recebeu cidadania em 2010. Ela permanece em contacto directo com Moshe, que vive com os seus avós maternos em Afula.





---------------------------------

Quando Modi esteve em Israel, foi saudado na sua Língua natal:


Agora, os indianos retribuíram. Vídeo aqui.


"Temos encontrado aqui muito amor", diz Netanyahu no Taj Mahal
"Na Índia, temos encontrado muito amor, amor por Israel, e aqui estamos no templo do amor", disse Netanyahu ao visitar o famoso Taj Mahal.


O primeiro-ministro Benjamin Netanyahu e sua esposa, Sara, chegaram a Nova Deli para uma histórica visita de seis dias à Índia, onde o líder israelita e o seu homólogo, Narandra Modi, estão a reforçar os laços entre os dois países em muitas áreas. 
Acompanhado pelo monge e político Yogi Adityanath, ministro-chefe do Uttah Pradesh, um Estado no norte da Índia, o primeiro-ministro israelitae sua esposa fizeram escala para visitar o magnífico Taj Mahal. 
"Este é um momento de descontracção numa visita muito intensiva. Gostaria de agradecer ao primeiro-ministro indiano Modi também por nos proporcionar este momento. Na Índia, temos encontrado muito amor, amor por Israel, e aqui estamos no templo do amor".

Fontes: United With Israel e World Israel News


---------------------------------


Israel e a Índia são desde sempre alvos primordiais da política islâmica de invasão e genocídio. Ambos os países foram obrigados pelas potências coloniais europeias a dar grande parte aos muçulmanos (a Jordânia e Gaza; e o Paquistão, respectivamente). Israel e a Índia vivem cercados de países islâmicos (todos ditaduras, obviamente), que lhes negam o direito de existir. Ambos os países são obrigados a manter dentro das suas fronteiras uma população hostil, que não é leal ao Estado e que apoia a aspiração islâmica do Califado Global. Israel e Índia só têm a ganhar em se unirem.

A aliança do Leão Israelita com o Tigre Indiano:



Israel e Índia inovam, para um futuro melhor:

 

Longa vida a esta aliança!

Sem comentários:

Enviar um comentário

Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.