domingo, 7 de janeiro de 2018

Há 3 anos, éramos todos "Charlie"




Faz hoje 3 anos que os jihadistas martirizaram a Redacção do Charlie Hebdo, porque estes desenharam Maomé - e representar Maomé, como não poderia deixar de ser, é proibido no Islão. E os maometanos fazem questão de impor esse preceito à Humanidade.

Ficam aqui os retratos das vítimas, com a nossa homenagem:

Para além do ataque contra a revista Charlie (onde alguns dos cartunistas mortos eram judeus, p. ex. o genial Wolinsky), os jihadistas atacaram também o Hyper Casher, um supermercado judeu. No Hyper Casher ninguém tinha desenhado Maomé, mas matar judeus é sempre altamente meritório no Islão.


Manifestação em Paris.


Toda a gente foi Charlie. Ninguém foi Hyper Casher.  O terrorismo islâmico contra os judeus é totalmente ignorado pelos media, quando não é abertamente louvado.
Aquando do massacre do Charlie Hebdo, e como acontece sempre que há algum massacre islamista, os islamistas e os seus aliados nazis, culparam... os judeus!
Maratona de Boston, 11 de Setembro, Manchester Arena, Pizzaria Sbarro em Israel, Bataclan, Centro Comercial em Nairóbi/Quénia, discoteca Pulsar em Orlando, atropelamentos em Nice, em Paris ou em Berlim, são sempre ataques de "falsa bandeira". São sempre "os judeus", "os sionistas", a Mossad, o "Goldman-Sachs", o Mort Goldman da Farmácia Goldman do Family Guy


Mort Goldman e Petter Griffin.


Enquanto dão vivas aos jihadistas (que até anunciam previamente os massacres na Internet, em vídeo, que são filmados em acção e que se gabam e são premiados, quando sobrevivem) os islamistas e os neo-nazis acusam "os judeus" de terem sido os autores de cada massacre. O Diabo em pessoa não se lembraria desta...


Os terroristas islâmicos do Massacre do Charlie Hebdo, três deles abatidos em flagrante, eram muçulmanos conhecidos como tal e deixaram declarações de autoria. Ainda assim, há quem defenda que se tratava de agentes da Mossad disfarçados, ou coisa que o valha...

Uma pessoa relativamente normal tem até vergonha de argumentar sobre semelhante estupidez, mas façamos o sacrifício: segundo os teóricos da conspiração, os jihadistas do Charlie eram "judeus disfarçados de muçulmanos". Então porque é que foram ao Hyper Casher matar uns quantos judeus? Foi "para disfarçar"!

"Le Petit Journal", 1929, maometanos chacinando judeus nas ruas de Jerusalém.


Por exemplo: as mesmas pessoas que cultivam tão inteligentes teorias afirmam simultaneamente que o Holocausto:

a) Nunca existiu.
b) Existiu e foi muito bem feito, que é para os judeus não terem a mania de existir.
c) Foram os judeus que se fizeram martirizar aos milhões para despertarem a compaixão do mundo, porque gostam de se armar em vítimas.

Judeus a armarem-se em vítimas. Como eles se riam, enquanto eram assassinados nas câmaras de gás...

"Um Vestido Novo Para Um Ódio Antigo" - Pilar Rahola


Os judeus são as principais vítimas do jihadismo, desde o século 7. Maomé tratou logo de dar o exemplo pelas suas próprias mãos, e decretou a perseguição eterna aos judeus e aos cristãos, porque ambos recusaram converter-se à Religião da Paz...
Desde que começou a presente invasão islâmica da Europa, os ataques anti-semitas dispararam, sendo os judeus o grupo social mais atacado pelos maometanos. Em Israel, basta consultar a nossa secção INTIFACADA para se ter uma ideia de como os judeus são fustigados pela jihad. E ai dos judeus que ousem defender-se, que chovem as condenações de todo o Mundo!

Um caso ao acaso:  Defenestrada em nome do Islão:



Voltando ao JE SUIS CHARLIE, e passada a vaga de indignação com o primeiro ataque jihadista em massa na Europa do século 21, as pessoas depressa se cansaram de amanhar cartunes e mudar a bandeira no perfil do Facebook.
Os governos europeus continuam a inundar a Europa de maometanos. Os maometanos continuam a impor a sua supremacia. Os europeus continuam com medo dos maometanos. Os europeus continuam a achar mais cómodo culpar os judeus pela invasão islâmica - ainda que sejam os governos europeus e a União Europeia (ambos ferozmente anti-semitas) a impor a islamização do nosso continente.

O maometano Mohamed Merah invadiu uma escola judaica em Toulouse e executou  um rabino e três crianças judias. Um de muitos episódios de anti-semitismo maometano em França. A Esquerda simpatiza profundamente com estes assassinos

Nada de novo. Os judeus são culpados por tudo. Pelo Capitalismo e pelo Comunismo, por não irem para Israel e por irem para Israel, pela religiosidade e pelo ateísmo, por uma coisa e pelo seu oposto.
A Europa trocou meia dúzia de judeus (que já cá estavam, em muitos casos, há dois mil anos, perfeitamente integrados nas respectivas sociedades e contribuindo activamente para o bem-estar das mesmas) por milhões de maometanos, que estão a destruir a Europa e que vão ser, a breve trecho, a população do nosso continente:

União Europeia lança "Eurislam" - o projecto de islamização da Europa



Hoje como sempre e até ao Fim dos Tempos...

Sem comentários:

Enviar um comentário

Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.