sexta-feira, 27 de abril de 2018

JUSTIÇA POÉTICA: Feminazis islamófilas suecas estupradas pelos seus protegidos


Os "refugiados" estão cá para procriar com as mulheres europeias. Não vão para nenhum país islâmico. Vêm colonizar-nos e substituir a nossa população.

O que vos contamos neste post está longe de ser novidade:

Ela foi mostrar quão pacífico é o Islão...


A nova realidade na Europa é o estupro islâmico em larga escala. A nossa secção JIHAD SEXUAL dá uma pequena ideia do que se passa. Este post também vai para lá.
As feminazis suecas pedem literalmente para serem estupradas. Mas quando lhes calha a vez, custa um bocadinho mais, e depois queixam-se...
Até os mais ardorosos defensores da invasão islâmica acabam por reconhecer que o Islão é INCOMPATÍVEL com qualquer outra forma de viver e pensar.
E sim, o estupro de mulheres não muçulmanas (os não-muçulmanos são considerados escravos dos muçulmanos) é 100% islâmico. Clique o confira o Top-10 dos mais pacíficos mandamentos da Religião da Paz:
Tu deves ter relações sexuais com escravas sexuais e trabalhadoras escravas. Alcorão 4: 3, 4:24, 5:89, 33:50, 58: 3, 70:30


Tentando provar que os "xenófobos" e "islamófobos" estão errados sobre os imigrantes muçulmanos serem perigosos, uma mulher sueca de meia-idade acompanhou dois imigrantes afegãos ao seu centro de asilo ... e foi violentada e sexualmente abusada por eles.


Elas dão as boas-vindas aos muçulmanos, mas eles são peremptórios:

"As mulheres brancas só são boas para uma coisa: para os muçulmanos f ***** e usarem como lixo"

Daily Mail - Uma mulher sueca de 40 anos foi brutalmente violada por um adolescente muçulmano afegão, Anwar Hassani, enquanto outro emigrante muçulmano, Fardi Hesari, a molestou. A vítima disse à Polícia que se interessou pelos adolescentes, quando soube que eram migrantes do Afeganistão.
Ela explicou que era membro de um grupo do Facebook que faz campanha contra a deportação de migrantes da Suécia. Numa entrevista policial, ela disse que "os outros pensam que eles [os migrantes] devem voltar para casa, mas ela opõe-se a isso".

As feministas suecas pedem literalmente para não serem protegidas dos estupradores maometanos. Dizem que preferem ser estupradas por eles a serem defendidas pelos homens europeus. E sempre a tremerem de ódio - e de olhos esbugalhados, gaita! PORQUÊÊÊÊÊ os olhos assim sempre arregalados????...

Ela disse que Hassani começou a tocar-lhe o corpo, e que o afastou dizendo "Eu não quero, eu não quero", mas ele pôs-se em cima dela e puxou-lhe as calças para baixo. Hassani disse-lhe várias vezes para ela ficar "quieta", e começou a estuprá-la apesar de ela gritar em protesto. 
Hesari, que estava deitado na cama ao lado deles, desceu do colchão e começou a apalpar-lhe os seios enquanto se masturbava. Ao mesmo tempo, Hassani penetrou-a analmente, causando-lhe "dor excruciante".

"Sueca foi estuprada em grupo, analmente, oralmente e vaginalmente por 20 muçulmanos em área proibida a infiéis na Suécia. Quando pediu ajuda aos transeuntes, disseram-lhe que ela era "nojenta" e deixaram-na coberta de esperma". Um dos muçulmanos queixou-se de que, quando abriu a boca à infiel para a estuprar oralmente, ela tinha a boca seca e um outro muçulmano teve que lhe cuspir na boca - pessoalmente, acho que foi islamofobia da parte da mulher estuprada.
 
Activista sueca que faz campanha contra a deportação de imigrantes muçulmanos da Suécia foi estuprado e agredida sexualmente por dois requerentes de asilo muçulmanos afegãos na Suécia.


77% dos estupros na Suécia são cometidos pelos muçulmanos, que são 2% da população.
 
VOICE OF EUROPE - Uma mulher sueca de meia-idade foi estuprada e abusada por dois requerentes de asilo afegãos nas suas acomodações de refúgio, relata o Fria Tider. A mulher, que era membro de um grupo do Facebook contra deportações de imigrantes, tentava provar que os xenófobos estão errados sobre o facto de que os afegãos são perigosos.


Um dos enriquecedores culturais e o local onde se deu o enriquecimento.


Ela conheceu os dois refugiados do Afeganistão em frente a um bar e decidiu acompanhá-los ao seu centro de asilo em Ljungby.
Quando chegaram, as coisas mudaram rapidamente. Eles beberam álcool e um dos homens começou a tocá-la, apesar de ela ter dito que não queria e apesar dos seus protestos repetidos.

O chefe da Polícia, Stephen Jerand, já avisou todas as mulheres de que não devem sair depois do pôr-do-sol,  pois podem ser estupradas, ou "algo mais terrível". Os árabes e os norte-africanos, organizados em gangues de estupro, têm cometido actos de grande violência. Os ataques têm como alvo não apenas o ambiente de bares mas as mulheres que vão para o trabalho. É o Islão, amiguinhos...

Mais tarde, um dos homens, chamado Anwar, estuprou-a vaginal e analmente, enquanto o outro se masturbava ao lado dela. Foi uma experiência muito dolorosa, disse ela. A mulher ficou traumatizada pela experiência horrível e agora tem problemas de sono. (Alguém está ralado?).
A Suécia ganhou a distinção de ser a capital da violação da Europa… graças à imigração muçulmana em massa.

------------------------------------------

O nosso comentário foi feito basicamente na introdução.

A Capital Europeia da Jihad Sexual

E são elas (e eles) que PEDEM, literalmente:

Feministas pedem: “Não nos protejam dos estupradores islâmicos!”

A Suécia vota na extrema-esquerda feminista que está no poder. A preocupação nº 1 do eleitor sueco é apoiar os terroristas islâmicos na obliteração de Israel. Terem as suas mulheres e crianças estupradas não os incomoda minimamente.
Há quem argumente que estupros ocorrem em todas as culturas. É verdade, mas o Islão é a única onde estuprar mulheres e crianças é legal e bem visto pelas leis religiosas e civis (que no caso do Islão são uma e a mesma coisa).
Ou seja: para eles, estuprar as mulheres "infiéis" é um direito e um  dever. Os "infiéis", na óptica do Islão, são inferiores e merecem ser castigados.
  
Visite a nossa secção JIHAD SEXUAL.
 

Uma senhora de 29 anos, mãe de família, foi estuprada por 12 selvagens maometanos afegãos, durante 7 horas, continuamente. Oralmente, analmente e vaginalmente, com três selvagens de cada vez a estuprarem-na. Os outros maometanos assistiam e aplaudiam, enquanto chamavam "puta" e "cabra" à senhora. Apenas 7 tiveram penas simbólicas e os jornalistas abafaram o caso. Na óptica do Islão, esta senhora teve direito à maior honra concedida a uma mulher não-muçulmana.



Vídeo permanentemente retirado: selvagens maometanos gabam-se de terem estuprado rapariga alemã virgem e de a terem coberto de sémen e terra. E quem for contra é "racista"!

Esta, felizmente, não precisou de ser estuprada para abrir os olhos:

 

NOTA: O que aqui mostramos é apenas um relance da desgraça que e o Islão. Se aceder ao BARE NAKED ISLAM ou ao VOICE OF EUROPE, por exemplo, terá informação permanente sobre a invasão do Mundo Livre pelo Islão. Basta accionar a tradução automática. 


Islão? Não, obrigado!

6 comentários:

  1. Respostas
    1. Para mim, chega que eles não nos matem a nós :)

      Eliminar
  2. Confesso que fico algo chocado quando leio histórias deste género. Sempre encarei as feministas, pelo menos aquelas que dão o corpo ao manifesto nas ruas, como meras idiotas úteis... mas este nível de ingenuidade narcisista é verdadeiramente confrangedor! Sujeitar-se a este suplício em nome da ideologia não é só ter o cérebro muito bem lavadinho, é sobretudo nunca ter tido cérebro para começar!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. As neo-feministas são um ramo do Comunismo. E o Comunismo sempre foi assim: se a realidade não obedece à ideologia, mente-se sobre a realidade.

      Os venezuelanos morrem de fome, mas a ONU diz que aquilo é uma maravilha. Os comunistas dizem que a Coreia do Norte é o Paraíso na Terra.

      OdF

      Eliminar
  3. O Brasil está recebendo milhares de Venezuelanos diariamente fugindo da fome e do caos na Venezuela.

    E as comunistas e socialistas daqui amam a Venezuela, mas quando tiram férias vão todas para Nova Iorque fazer compras no capitalismo....

    ResponderEliminar
  4. Só uma nova, e poderosa cruzada porá fim ao Islã.

    Essa nova cruzada deverá pôr fim aos abusos do islã no ocidente e reconquistar todos os territórios perdidos para o islã desde 612 depois de cristo.

    Não devemos nos esquecer de 29 de maio 1.453 !!

    ResponderEliminar

Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.