domingo, 1 de abril de 2018

Hamas envia menina de 7 anos para enfrentar as tropas israelitas


O Hamas é um grupo terrorista islâmico e nazi, que em nada difere do ISIS, da Al-Qaeda, do Boko-Haram. Mas como o Hamas ataca prioritariamente Israel, a Imprensa mundial está ao lado do Hamas e contra Israel.
 Visite a nossa secção HAMAS
O Hamas ordenou ao povo de Gaza (o qual oprime e que chacina indiscriminadamente) que marchasse sobre Israel. As acções de infiltração e sabotagem na fronteira sucedem-se. Israel defende-se. Mais nenhum país do mundo é censurado por parar uma invasão.
Lembramos que o "heróico" Hamas, que os jornalistas tanto amam, usa crianças para cavar os túneis por onde leva o terrorismo ao interior de Israel, e depois executa as crianças. Matam as próprias crianças após estas escavarem os túneis que depois lhes permitem ir matar as crianças israelitas.
O "heróico" Hamas mandou uma menina de 7 anos contra os soldados israelitas na esperança de que ela morresse.
Que romântico! De um lado, os soldados israelitas armados (os malandros! onde é que já se viu, soldados armados?). E do outro, uma criancinha de 7 aninhos, desarmada! É "óbvio" que os israelitas são os maus!!!
Este raciocínio, propalado pelos media, faz sentido na cabeça das pessoas.
Portanto: se eu amanhã atacar a Polícia à pedrada ou à facada, eu "tenho razão", porque eu só tenho pedras e facas, e a Polícia tem armas!
Mas se é tão fácil, porque é que Israel não pega também numa criança de 7 anos e a envia em direcção aos terroristas do Hamas? Porque os terroristas do Hamas matam qualquer israelita (sobretudo crianças) que apanhem a jeito.

"A Morte é Doce", diz a TV "palestina" à juventude


É esta a diferença entre Israel e os seus inimigos:


Hamas envia uma menina de 7 anos para enfrentar as Forças de Defesa de Israel, sacrificando claramente o seu bem-estar para obter alguns pontos no campo das relações públicas.
Por: United with Israel 



O IDF (Forças de Defesa de Israel) prometeu usar todas as medidas à sua disposição para garantir que a marcha de massas liderada pelo Hamas de Gaza até a fronteira de Israel na sexta-feira não se transformasse num incidente violento em massa.
O ministro da Defesa, Avigdor Liberman, e o major-general Yoav Mordechai, chefe do Coordenador de Actividades Governamentais nos Territórios, advertiram o grupo terrorista de que as Forças de Defesa de Israel responderiam com força a qualquer provocação.  
"Qualquer um que se aproximar da fronteira está a pôr em perigo a sua vida", alertou Mordechai, enfatizando a mensagem do IDF de que não vê a marcha como uma marcha civil pacífica, como o Hamas vem reivindicando.  
No entanto, cerca de 20.000 "palestinos" concentraram-se em seis locais ao longo da fronteira entre Gaza e Israel, num ataque contra a soberania israelita, orquestrado pela organização terrorista Hamas.
Os manifestantes estão a queimar pneus, a atirar cocktails Molotov e pedras contra a cerca da fronteira e contra as forças do IDF.
As tropas estão a responder usando métodos de dispersão de distúrbios, bem como tiros para evitar tentativas de danificar a infra-estrutura de segurança israelita e ataques às tropas do IDF.
Até às 16h desta sexta-feira, seis "palestinos" foram mortos no confronto com o IDF  e mais de 500 ficaram feridos.
O Hamas também enviou uma menina de sete anos para marchar em direcção à cerca da fronteira. Um porta-voz do IDF disse que as tropas garantiram que ela voltasse para seus pais em segurança.
"A organização terrorista Hamas está a usar cinicamente mulheres e crianças, enviando-os para a cerca e colocando em risco suas vidas", afirmou.
Uma táctica comum usada pelo Hamas contra Israel é o uso de escudos humanos, causando baixas em massa para ganhar a guerra de relações públicas:



Israel valoriza a vida de crianças "palestinas", agindo com redobrada cautela quando sabe que o Hamas está a usar crianças como escudos humanos.

.................................

Na Operação Protecção-Limite, em Gaza, as baixas causadas por Israel foram de terroristas, que actuam sem uniforme e disparam do meio da multidão civil e a partir de hospitais, escolas, mesquitas, casas de habitação, ambulâncias, etc.. Neste ataque do Hamas contra Israel, usando a população civil, está a suceder o mesmo, como contamos relatar em próximos posts
 Israel possui simplesmente

O Exército Mais Moral na História da Guerra


- No 1º caso abaixo, podemos ver um pai árabe que manda o filho em direcção às tropas israelitas, enquanto grita aos soldados que lhe matem o filho. Este senhor faz parte da infame família Tamimi, constituída por terroristas e propagandistas profissionais anti-Israel.
- No 2º caso, podemos ver pais muçulmanos que enviam  filhos menores para se fazerem explodir.
- No 3º caso, um de muitos vídeos em que pais muçulmanos vendem os filhos em leilão para eles se fazerem explodir contra infiéis ou contra muçulmanos de seitas rivais:

Pais que mandam filhos explodir-se


 

Sem comentários:

Enviar um comentário

Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.