quinta-feira, 11 de junho de 2015

Quem mata quem?

 
Mais um ataque islamista. Uma menina apunhalada em Ramla. Leu alguma coisa na Imprensa?

Anteontem em Ramla, a sudeste de Tel-Aviv, um árabe israelita apunhalou uma menina quando esta saía de um centro comercial. Segundo testemunhas, o terrorista gritava palavras em Árabe antes de ter tentado assassinar a jovem.

O punhal cravou-se a milímetros da coluna vertebral, e a menina está no hospital, entre a vida e a morte. Este é um vídeo amador feito no local imediatamente a seguir à agressão:



 

Nada de novo debaixo do Sol. Na Idade Média os judeus eram acusados de amassar pão com sangue de crianças cristãs. Foram queimados vivos nas fogueiras, aos milhares, sob pretextos desses. O libelo de sangue dura até hoje. Pergunte-se a qualquer cidadão politicamente correcto, que dá uma vista de olhos pelas "gordas" dos jornais enquanto bebe a bica matinal no café da esquina, e ele, depois de assegurar que não tem nada contra os judeus (só os odeia e quer vê-los todos mortos), parte logo para a acusação velha de milénios: "os judeus matam crianças".

É tristemente irónico. Quando os Hebreus saíram do Egipto, de regresso à sua Terra, encontraram-na ocupada por povos que efectivamente sacrificavam as suas crianças aos deuses pagãos. Reconquistaram a Terra de Israel e aí restabeleceram uma das mais antigas nações do Mundo. Estabeleceram um código moral que impregnou todo o mundo civilizado. E que tem na infância o mais sagrado dos bens, que se deve proteger acima de todos.

Quando, no ano 70 d.C., foram expulsos de Israel em grande número pelos Romanos, os Judeus enfrentaram um exílio de quase dois milénios, sempre sob acusações de matarem crianças.

Hoje, os Árabes criam os seus filhos para se fazerem explodir em Israel, matando judeus. Os islamistas do Hamas usam as crianças para escavarem os túneis de terrorismo e a seguir executam-nas. Os islamistas do ISIS ou do Boko-Haram leiloam crianças tão jovens quanto 1 ano de idade para escravatura sexual. Etc., etc., etc.. Mas é Israel quem é acusado de matar crianças árabes.

Se não está familiarizado com o tema, agora, graças à Internet, pode num instante actualizar-se. Basta dar uma vista de olhos nas nossas secções HAMASCRIANÇAS, PALLYWOOD.

Se você é do calibre do meu cunhado João, e não quer educar-se, pelo menos pare de usar argumentos hipócritas e estúpidos. Seja um homenzinho e admita: Odeia os judeus e quer dar cabo deles todos. Fica-lhe melhor a honestidade.

 

Educando o meu cunhado


Sem comentários:

Enviar um comentário

Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.