quarta-feira, 24 de junho de 2015

MAS!!!.. MAS!!!... MAS!!!... - 1



O Exército de Israel está a ser acusado de ter sido demasiado cuidadoso ao evitar baixas civis 
O IDF (Forças de Defesa de Israel) está a ser criticado por especialistas militares internacionais, devido aos seus esforços na protecção de civis, um "precedente perigoso", que outros Exércitos não podem atingir.

Centro de Comando da operação militar contra os terroristas do Hamas, em Gaza, no Verão passado. Esta operação militar seguiu-se a mais de 12 mil mísseis disparados de Gaza contra os civis israelitas, entre outros acções terroristas do Hamas contra civis.
Novos estudos sobre a acção do IDF durante a Operação Protecção-Limite, em Gaza, revelam que o Exército foi excepcionalmente cuidadoso quando se tratou de atacar alvos terroristas situados em áreas habitacionais.

Caça da Força Aérea de Israel em acção (Ofer Zidon/Flash90)

O The Weekly Standard publicou uma reportagem sobre a Unidade de Direito Internacional do IDF, descrevendo a acção desse departamento legal quando se trata de evitar vítimas civis, nos ataques aos alvos terroristas confirmados. 
"O IDF reúne informação detalhada sobre quem habita nos edifícios onde funcionam bases terroristas; telefona aos moradores, envia mensagens de texto e lança panfletos desde o ar, avisando que vai realizar um raide aéreo; usa drones com câmaras sofisticadas, para se certificar de que os civis foram evacuados; e finalmente dispara uma salva ligeira sobre o telhado, como aviso final; emprega apenas o armamento necessário, cuidadosamente escolhido, e de elevada precisão, para assegurar que apenas - esperam os Comandantes e os especialistas em Direito do IDF - apenas sejam destruídos os depósitos de armas (ou outros alvos terroristas) sejam destruídos, mas não os aposentos circundantes" - explica o artigo.
"É por demais evidente que os Comandantes do IDF vão muito para além de tudo quando o Direito Internacional exige quando se trata de proteger vítimas civis", explica Willy Stern, Professor da Faculdade de Direito de Vanderbilt.
O Hamas e os seus escudos humanos em Gaza, durante a referida operação militar. Os Comandantes do IDF cancelaram inúmeras operações, para evitar atingir civis.

Um dos posts que dedicámos a esta operação, sem paralelo na História, onde pode encontrar vídeos do uso de escudos humanos pelo Hamas, dos ataques dos terroristas, dos ataques selectivos de Israel e dos incentivos dos bilionários líderes do Hamas (em lugar seguro) para que os cidadãos se deixassem matar pelos bombardeamentos de retaliação:

Porque morrem os 'palestinos'


Também não têm paralelo na História as duas semanas que Israel esteve a ser bombardeado, com os cidadãos todos recolhidos em abrigos anti-bomba, até decidir responder ao bombardeamento massivo dos terroristas de Gaza.

 
À esquerda: cartaz do Hamas, incentivando os cidadãos a  irem para os telhados proteger as bases terroristas situadas em blocos habitacionais. À direita: os cidadãos, entusiasmados, cumprindo a exortação, agrupam-se nos telhados durante os bombardeamentos do IDF.

CONTINUA

2 comentários:

  1. Respostas
    1. Taí:

      http://amigodeisrael.blogspot.pt/2015/07/mas-mas-mas-2.html

      http://amigodeisrael.blogspot.pt/2015/07/mas-mas-mas-conclusao.html

      Abraço :-)

      Eliminar

Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.