domingo, 21 de junho de 2015

O Terrorismo Cujo Nome Não Deve Ser Pronunciado



Hoje,  em Graz, Áustria, um muçulmano bósnio atropelou deliberadamente um grupo de pessoas, causando três mortos (um deles um menino de 7 anos) e 30 feridos. Saiu do carro, sacou de uma faca e atacou os transeuntes e a Polícia à facada.
Em Outubro passado, o Estado Islâmico (ISIS) emitiu este apelo aos muçulmanos no Ocidente:
"Se não forem capazes de encontrar um DEI [dispositivo explosivo improvisado] ou uma bala ... esmaguem a cabeça dos infiéis com uma pedra, matem-nos com uma faca, atirem-lhes com o carro para cima, atirem-nos de um lugar alto, estrangulem-nos, ou envenenem-nos. Incendeiem-lhes as casas, o carro e os negócios. E destruam-lhes as culturas."
A Polícia não investiga (porque está proibida de o fazer) e a versão oficial é sempre de que se trata de um doente mental.
O CORREIO DA MANHÃ, por exemplo, consegue dar a notícia inteirinha sem a mínima alusão a que se tratou de acto terrorista islâmico. Ainda se tivesse havido uma pistola israelita...


NO RAMADÃO É PIOR

Ainda vamos no 3º dia do Ramadão, o mês sagrado do Islão, e o saldo é de 20 ataques terroristas islâmicos, 205 mortos e 201 feridos. 

O site The Religion of Peace faz a contabilidade diária do pouco que chega ao conhecimento público. Os números reais são bem maiores.



Danny Gonen parou para ajudar os árabes, e eles mataram-no.

O israelita Danny Gonen, de 25 anos, é um dos 205 mortos contabilizados nestes três dias de Ramadão. Dois terroristas muçulmanos fingiram estar em dificuldades na estrada. Danny e o seu companheiro de viagem pararam para lhes dar assistência, e foram alvejados à queima-roupa. Seguiu-se um ataque a tiro contra todos os judeus que circulavam na área.

TERRORISMO E "ACASO"


Ontem, o terrorista Dylann Roof entrou numa famosa igreja Protestante de Charleston, Estados Unidos, e assassinou 9 pessoas a tiro. A Imprensa designou (e bem) o ataque como um crime de ódio e um acto de racismo.  

Obama também designou assim este ataque. E bem. Mas quando os autores são muçulmanos, Obama diz que se trata de actos tresloucados e isolados de desequilibrados mentais. Quando as vítimas são judeus, ainda é pior. O ataque terrorista islâmico de 9 de Janeiro  contra uma mercearia judaica em Paris, que causou 4 mortos, foi descrito por Obama como um ataque casual contra uns tipos numa mercearia. 


ASSIM SE PAGA O BEM


 
Em Israel, diversas organizações humanitárias estão a prestar todo o apoio aos fiéis muçulmanos para celebrarem condignamente o Ramadão. O Primeiro-Ministro Benjamin Netanyahu, em  discurso à nação, desejou um feliz Ramadão aos muçulmanos e lembrou os muçulmanos israelitas de que são parte integrante de Israel

Israel é 0,5% do Médio Oriente, e é o único país livre e democrático da região, onde todos os credos são respeitados. 

O Mundo deseja que os muçulmanos passem bem o seu Ramadão. Infelizmente, para muitos deles, isso implica destruir os não-muçulmanos por todos os meios ao alcance.

A Imprensa, como sempre, tem um peso e duas medidas.

4 comentários:

  1. Muitos nem noticiaram que o culturalmente enriquecido, e mais uma vez perturbado mentalmente devido às repetidas cabeçadas no chão, saiu do carro e começou a esfaquear a torto e a direito.

    ResponderEliminar
  2. Só pra você sabe há mais de 40 % de cristãos que vivem no Líbano , Na siria há judeus e até mesmo no Irã com mais de 20.000 judeus (pesquise). Não generalize todos os mulçumanos como terroristas , tenho certeza que você não ia gosta nada de comentários anti semistas então porque difama tanto o islam ?? Recentemente em Israel uma igreja foi incendiada por extremistas Judeus porque não cita isso no seu blog ?? Em Jerusalém há uma escola para crianças judias, árabes cristãs e mulcumanos.. chama Hand in Hand ..

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Luiza Oliveira,

      Ainda me lembro muito bem de si e dos aplausos que deixou num vídeo no youtube, em que os seus camaradas terroristas atacavam um infantário em Israel, com mísseis, como fazem rotineiramente.

      Ainda há pouco respondi a comentários de um seu alter ego no Facebook, com argumentário idêntico.

      Neste blogue apenas citamos FACTOS. Com isenção. Se encontrar algum facto errado, alguma difamação, neste blogue, queira sff indicá-la, que a corrigiremos de imediato.

      O facto de viverem judeus e cristãos nesses países não obsta a que vivam na condição de dhimmi, em submissão, destituídos de direitos e obrigados a pagar jyziia, como muito bem sabe, pois é muçulmana e está aqui a aplicar a taqyiia.

      Não difamamos ninguém, e até louvamos os muçulmanos realmente moderados. Veja o post de ontem, por exemplo, sobre os ataques do Boko-Haram contra muçulmanos pacíficos, no Quénia.

      Não comentámos o incêndio na igreja. Até que se saiba exactamente quem foram os autores. Preferimos esperar. Já nos anganámos tantas vezes... Há tempos, louvámos como herói o Lassana, o muçulmano do Hyper Casher em Paris, e afinal era tudo uma invencionice da Imprensa.

      Mas se acha que uma igreja incendiada por eventuais fanáticos judeus equilibra os 11 cristãos que os seus irmãos de fé assassinam por hora...

      Diga-nos, sff:

      - É a favor ou contra a lei Sharia (lapidação de homossexuais e adúlteras, submissão/escravatura/escravatura sexual/ assassínio de não muçulmanos, etc., etc., etc.)?

      - É a favor ou contra a mutilação genital feminina?

      - É a favor ou contra o terrorismo do ISIS, Hamas, Boko-Haram, Irmandade Muçulmana, Hezbollah, Fatah, Al-Qaeda, Al-Nushra, etc., etc., etc..? (Claro que é a favor! Já no-lo disse no youtube!).

      - É a favor ou contra o direito dos judeus a viverem, a existirem, a morarem nos 20% da décima parte da sua Terra ancestral?

      - É verdade ou mentira que o seu Alcorão afirma que Deus deu Israel aos judeus?

      Não gaste as suas energias nem nos faça gastar as nossas com esse tipo de argumentos vazios. Se é verdade (e jamais dissemos o contrário) que nem todos os muçulmanos são terroristas, não o é menos que mais nenhuma religião no mundo assassina milhares de pessoas por semana em nome da respectiva divindade.

      E se nem todos os muçulmanos são terroristas e supremacistas, o número dos que os apoiam é alarmante. Mostramos regularmente os vídeos, mas quem queira pode pesquisar as centenas largas de sites que PROVAM cabalmente tudo o que afirmamos e que o Mundo vê.

      Oliveira

      Eliminar
    2. P.S. - Nos (ainda) não falámos do incêndio, mas outros blogues pró Israel falaram : http://shalom-israel-shalom.blogspot.pt/2015/06/ataque-igreja-na-galileia-e-um-ataque.html

      A diferença é que, enquanto a sua religião e os Estados por ela dominados não admitem liberdade religiosa e em muitos casos incentivam o ataque contra judeus e cristãos, Israel é um Estado de Direito, onde ocorrências como esse incêndio são investigadas e os culpados severamente punidos. Na sua «Palestina», os terroristas que assassinam famílias e crianças israelitas são premiados.

      Eliminar

Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.