quarta-feira, 25 de dezembro de 2013

"Feliz Natal em tempo de Perseguição"

 Deus é Paz, Allah... nem tanto!

Via Jihad Watch

 Nativity Ikon.jpg

"O ícone bizantino acima é trabalho do iconógrafo do século XVI Teófanes de Creta. Muitos muçulmanos ao redor do mundo consideram-no ofensivo e insultuoso ao Islão. Muçulmanos em Creta vandalizaram igrejas e ícones como este, queimado precisamente por essa razão.

Porque é que os muçulmanos pensam que um ícone como este insulta o Islão? De muitas maneiras, incluindo estas:

1. Ele representa seres humanos, o que viola a proibição islâmica tradicional de imagens, aplicada principalmente entre os sunitas, a maioria dos quais consideraria tal imagem idólatra e blasfema.

2. Ela retrata Jesus não como um profeta muçulmano, como este:

Muslim Jesus.jpg

   
Em vez disso, ele retrata Jesus da maneira tradicional cristã, como o Filho de Deus encarnado (...)


3 . (...) retrata o que os muçulmanos consideram ser idolatria, porque a mãe da criança se ajoelha e a adora.


4 . O feixe ou lança vindo do céu para a criança no berço, retrata a actividade do Divino no mundo, assumindo a doutrina da Trindade, que é rejeitada no Alcorão 4:171 e 5:116.


5 . O berço assemelha-se a um caixão, prenunciando o núcleo e o coração do Cristianismo, a morte redentora de Cristo, o que é negado no Alcorão 4:157.
Seja você um cristão ou não, quer você acredite ou não em todas ou em qualquer uma dessas coisas, a pergunta que está diante de nós (...)  é se as pessoas devem ser autorizadas a acreditar nestas coisas livremente, sem serem brutalizados ou discriminadas, vivam elas na Síria, no Iraque ou no Egipto, no Paquistão, na Nigéria ou na Indonésia - e se as pessoas livres de todos os credos e perspectivas devem defender o direito de cada um acreditar no queira.
Nesses países, os cristãos de hoje estão a ser sequestrados, injustamente presos, espancados e assassinados - não por causa de qualquer coisa que eles fizeram, mas porque eles se atreveram a acreditar em algumas das coisas que eu descrevi acima, crenças que são consideradas blasfémia na autoridade do Islão. E não é melhor em qualquer outro lugar no mundo islâmico: em nenhum lugar na maioria dos países muçulmanos de hoje, as pessoas que acreditam nestas coisas desfrutam de plena igualdade de direitos com os muçulmanos.
Vemos isso na Jihad Global todos os dias. Vemos jihadistas atacando cristãos com fúria crescente. Também vemos o mundo, em grande parte, bocejando e indiferente com tudo o que se passa, e líderes cristãos dizendo que não devemos falar sobre isso por medo de prejudicar o quimérico e infrutífero ( na melhor das hipóteses ) "diálogo"  muçulmano / cristão.
Aqueles que se atrevem de qualquer maneira para falar sobre a perseguição aos cristãos que os perseguidores justificam invocando o Alcorão e a Sunnah, são vilipendiados e demonizados como "fanáticos" e "Islamofóbicos".
No entanto, aqui está algo para você pensar neste Natal: se você é um ser humano livre - seja cristão ou não - aqueles cristãos que estão a ser perseguidos na Síria e Iraque, na Indonésia e na Nigéria, no Egipto e no Paquistão, e em outras partes do mundo islâmico, estão no seu lugar. 
Os jihadistas, se pudessem, atacá-lo-iam também a si, como acabarão por fazer, se tiverem essa possibilidade. Lembre-se de que o programa da supremacia islâmica tem-no a si na lista. Você pode não cristão. Você pode não ser judeu. Você pode não ser hindu. Você pode não ser budista. Você pode não querer prestar atenção à jihad global. Mas a jihad é universal, e implacável. E você está na sua lista.
Então, neste Natal, que todos nós os que rejeitamos a conversão forçada, a subjugação, ou a morte que os adeptos da Sharia nos reservam, fiquemos unidos, judeus, cristãos, hindus, budistas, ateus, secularistas, o que cada um for, e levantemo-nos contra aqueles que querem matar-nos ou submeter-nos à discriminação institucionalizada, porque eles acham as nossas crenças ofensivas.

Pode ter a certeza: se não estivermos juntos, eles vão prevalecer. E se prevalecerem, em seguida, todas as manifestações mais ricas do espírito humano, sem restrições, como as de Teófanes o Cretense acima, ou as dos artífices dos Budas de Bamiyan, da Catedral de Hagia Sophia  aos Mausoléus de Timbuktu, das obras de Sócrates e Aristóteles às de Moisés, Maimonides, Dante Alighieri, Winston Churchill e Oriana Fallaci, serão pisada na lama, destruídas, explodidas arruinadas, apagadas. Estaremos todos mais pobres. Os nossos filhos serão os mais pobres.


É hora de lutarmos pela nossa vida.
Feliz Natal a todos os amigos do Jihad Watch que celebram a festa de hoje.
Robert Spencer


----------------------------------------
 O Príncipe Carlos, finalmente, acordou para a realidade. Acode você também!

Sem comentários:

Enviar um comentário

Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.