quarta-feira, 30 de maio de 2018

União Europeia financia terroristas que tentam obliterar Israel

União Europeia dá milhões a grupos que promovem boicotes contra Israel 
Por JNS 28 de Maio de 2018 em Israel Breaking News
“Não entreis no caminho dos ímpios; Não andeis no caminho dos homens maus.” 
Provérbios 4:14


Um novo estudo publicado na sexta-feira pelo Ministério de Assuntos Estratégicos de Israel revela que a União Europeia, em contradição com as suas próprias políticas, fornece milhões de euros anualmente a organizações não-governamentais (ONGs) com laços conhecidos com grupos terroristas e que promovem deslegitimação e boicotes do Estado de Israel. 
Segundo o relatório, mais de uma dúzia de ONGs que promovem boicotes anti-Israel receberam cerca de 5 milhões de euros por ano em financiamento da União Europeia. Além disso, estima-se que vários milhões de euros adicionais foram canalizados para ONGs promotoras de boicote através de terceiros que recebem assistência da União Europeia. 
"Esse [financiamento] contrasta directamente com a posição oficial da UE, com a Alta Representante Federica Mogherini [tendo] enfatizado a oposição da União Europeia aos boicotes contra Israel e a sua firme rejeição das tentativas da BDS de isolar Israel", observou o relatório. 
Exemplos do relatório incluem a ONG Norwegian People's Aid (NPA), um grupo que recebeu € 1,76 milhões em 2016. O NPA foi investigado e multado em US $ 2 milhões no mês passado pelo Departamento de Justiça dos EUA depois de ter sido descoberto que o grupo realizou um projecto em conjunto com as organizações terroristas do Hamas e Frente Popular de Libertação da Palestina (FPLP), e prestou serviços ao Irão. Tanto o Hamas quanto a FPLP são reconhecidos como entidades terroristas pela União Europeia, pelos Estados Unidos e por Israel.

Ainda esta manhã (escrevemos o post ontem, dia 29 de Maio de 2018, esta manhã foram centenas de mísseis sobre casas, escolas, hospitais, etc.) os terroristas do Hamas bombardearam Gaza com dúzias de mísseis:


O sistema anti-míssil de Israel fez o seu trabalho, mas ainda assim foi atingido um infantário. Toda a Imprensa internacional diz que "Israel bombardeou Gaza". Os terroristas assumiram a autoria do bombardeamento, mas nem assim a corja imunda dos jornalistas diz a verdade.


Crianças de Sderot observam os efeitos de mais este bombardeamento do Hamas. Estes mísseis são pagos pelos contribuintes europeus.

Outros grupos mencionados no relatório incluem o Trocaire, da Irlanda, que promove petições na União Europeia para impor sanções económicas contra Israel; o PAX na Holanda, que apoia abertamente e promove o movimento BDS; o Un Ponte Per, que promove activamente o BDS na Itália; o EuroMed na Dinamarca, que trabalha sistematicamente para suspender o Acordo de Associação entre Israel e a UE; e Wzr on Want no Reino Unido, que há anos participa em campanhas pedindo o boicote de empresas que operam em Israel.
O relatório do ministério também observa que fundos da União Europeia foram canalizados através de terceiros para o Centro Palestino para os Direitos Humanos (PCHR) e Al-Haq, que têm ambos ligações com a organização terrorista PFU designada pela União Europeia.


Depois dos túneis, dos homens-bomba, dos bombardeamentos com mísseis, dos assassinatos a tiro, dos raptos com torturas e execuções, dos papagaios de papel incendiários, e de tantas outras atrocidades, agora os terroristas de Gaza usam drones com explosivos para atacar Israel. Estes drones são pagos pelos contribuintes europeus.



"Essas descobertas levantam a preocupação de que o dinheiro dos contribuintes europeus está a ser usado para manter laços com organizações terroristas designadas pela UE", disse o relatório.
O relatório enfatizou que é concedido financiamento da União Europeia para além do que é concedido independentemente pelos seus Estados membros. Assim, muitas das organizações recebem “duplo financiamento”, da União Europeia e de países europeus individuais. 
 
Mais de 300 papagaios incendiários, transportando cocktails molotov e muitos com suásticas pintadas, foram largados sobre Israel nas últimas semanas, provocando elevados danos nas culturas e no ambiente. 

Numa declaração sobre a publicação do relatório, o ministro israelita dos Assuntos Estratégicos, Gilad Erdan, pressionou pela mudança: “É inconcebível que a União Europeia esteja a dar milhões em dinheiro dos contribuintes europeus a organizações que promovem boicotes contra Israel - algumas dos quais também estão ligadas a grupos terroristas designados pela UE. Eu espero que a UE defenda a sua política declarada de oposição aos boicotes anti-Israel e de não apoiar organizações com ligações ao terror.


Os terroristas do Hamas (financiados pela União Europeia), destruíram pela terceira vez nas últimas semanas aas infra-estruturas através das quais Israel fornece a Gaza os bens de que a população refém do Hamas necessita. O objectivo é culpar Israel.

A delegação da União Europeia em Israel disse que não recebeu nenhuma informação do governo israelita sobre este assunto, mas que gostaria de verificar as informações relativas a este financiamento. “Estamos certos de que o financiamento da União Europeia não visa apoiar actividades de terrorismo ou do BDS, como sugere este relatório”, disse a delegação num comunicado.
Por: Yossi Lempkowicz/EJP

........................................................................................


Para ver os mais recentes capítulos (e os vídeos) das acções dos terroristas de Gaza, visite a nossa secção .
O Hamas e a Jihad Islâmica, financiados pelo Irão e pela União Europeia, são quem põe em prática a partir de Gaza a ambicionada tentativa de, finalmente, e após mais de 5.000 anos de tentativas goradas, destruir Israel e assassinar todos os judeus.
Israel existe, e, por muito pequenino que seja, isso é uma profunda afronta aos muçulmanos, cuja religião manda exterminar os judeus.
Quanto à Europa,  é mais uma teima. Os países europeus entregaram os judeus a Hitler sem este sequer ter pedido. O Holocausto decorreu sem que as nações tivessem feito qualquer tentativa de o impedir. Algumas bombas sobre os carris que levavam aos campos de concentração teriam poupado uns milhõezitos de vidas humanas, digo, judaicas, que valem muito menos mas ainda assim talvez sejam gente. Churchill preferiu gastar bombas a arrasar Dresden, que não tinha qualquer interesse militar, por mera vingança.  
(Até o pândego do Professor Martelo (a quem alguns chamam palhaço, mas nós achamos que tal ofende os palhaços) foi jurar amor eterno aos que vivem para destruir Israel).
Sobreviveram alguns judeus ao Holocausto. Inadmissível! E foram juntar-se aos judeus da Terra Santa, onde, em 70 anos, contra tudo e contra todos, num pedaço de terra minúsculo, desértico e insalubre, ergueram a única democracia do Médio Oriente. Um insulto!
Os judeus são como que uma mosca que esvoaça na sala enorme que é o mundo. A Europa não consegue dormir descansada enquanto não lhe mandar uma valente chinelada e lhe meter as tripas à mostra.  
Só assim a Europa conseguirá finalmente descansar, embalada pelos discursos hipócritas que "lamentarão" a extinção de um povo pequenino e tão singular, que tanto deu ao Mundo... 
É por isso que a União Europeia de bom grado envia milhões aos terroristas.  Nos tempos que correm, atacarem Israel de cara descoberta, joga um bocadinho mal com o discurso humanista de fachada. Mas não tardará muito, atentem bem os caros leitores e amigos. Os tempos são chegados.

1 comentário:

  1. check this one http://redefininggod.com/2018/05/globalist-agenda-watch-2018-update-18-how-the-united-nations-general-assembly-will-unleash-erdogans-invasion-of-israel/

    ResponderEliminar

Os comentários estão desactivados pois o blogue está inactivo. As nossas desculpas por qualquer incómodo.

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.