domingo, 25 de setembro de 2016

Imprensa chora: terrorista de Burlington não era "um latino"

De pouco adianta os Estados Unidos darem aos seus cidadãos o direito de se defenderem dos terroristas armados, se abater um bárbaro assassino destes pode dar direito a pena de morte. Os bárbaros, por seu lado, compram as armas na candonga, matam e depois são libertados pelo irmão Obama.
As nossas condolências e as nossas orações estão com as vítimas, com as suas famílias, e com Donald Trump, a última esperança para o Mundo Livre.

O "homem latino" era afinal um refujiadista turco.

Era palpável a excitação dos media ontem à noite. Depois dos dois ataques da semana passada nos Estados Unidos (à faca e à bomba, respectivamente), desta vez dizia-se que era um "homem latino".
A rogeirada já preparava os seus editoriais pomposos e as suas tiradas moralistas. 5 vítimas mortais no centro comercial, co'a breca! Não é muito, mas já chega para alimentar a propaganda islamizadora. Deve ter jorrado o champanhe. 
Afinal de contas, a PATRANHA Anders Breivik, já começa a estar um bocado gasta:

Breivik: Nazi e Islamista!


Anders Breivik é um nazi e um supremacista islâmico. A Imprensa, sempre alinhada à esquerda e politicamente correcta, esconde-o!

Para grande desapontamento da jornaleirada, o terrorista era o "refugiado" turco, o senhor Arcan Cetin.
Hoje a jornaleirada assobia para o lado, e dedica escassas linhas ao ocorrido, declarando, como sempre, que "as motivações não são conhecidas".
Nas caixas de comentários dos jornais, a matilha esquerdista parou de ladrar as costumeiras imprecações: "Só na América...". "É o que dá deixarem as pessoas terem armas!". "Ah, Ah! Os cow-boys andam sempre a matar-se uns aos outros!". "Está contente, senhor George Bush?", etc..

Aqui está o guerreiro de Alá em acção, cortesia do site DREUZ.INFO:

ESTÁ TUDO BEM! SÃO APENAS DOIDOS!
Como bem sabemos, para cada massacre cometido pelo Islão, os jornalistas e comentadores (verdadeiros taliban ao serviço de Alá, também eles), tratam de arranjar uma estupidez qualquer para ilibar o Islão de responsabilidades.
Na semana passada, na Al-SIC Notícias, um tipo qualquer do Al-Expresso,  um indivíduo com uns bigodes cómicos, parecido com o lendário Luís Pereira de Sousa, decretava, na sua qualidade de "especialista", que:
- o ataque à facada num centro comercial nos Estados Unidos, tinha sido reivindicado pelo ISIS, mas "obviamente que é impossível ao ISIS dar ordens a partir do Iraque ou da Síria para os Estados Unidos". E que portanto, o indivíduo só podia ser "apenas um louco".
- os ataques à bomba em Nova Jérsia, também nos Estados Unidos, tinham sido feitos por outro "doido" e "aprendiz de terrorista", porque "as bombas estavam muito mal feitas e viam-se os fios".


Uma estranha epidemia de loucura que só ataca muçulmanos! Bizarro!

Para o nosso especialista (um tal Rui Cardoso, se não me falha a memória), a única coisa que interessava era "demonstrar" que o terrorismo islâmico não existe. Que são sempre e só "apenas uns doidos" que matam inocentes todos os dias.
Deve ser muito animador para quem é ferido, estropiado ou morto, saber que se tratou apenas de uns doidos!

DITADURA PURA E DURA


O "aprendiz de terrorista" (sic) Ahmad Khan Rahami.

Desde o 11 de Setembro de 2001  registaram-se até agora, contabilizados, 29290 ataques terroristas islâmicos.
Em Agosto deste ano foram 203 ataques, 1637 mortos, 1734 feridos, 29 bombistas suicidas, 33 países atingidos.
Dados do site A RELIGIÃO DA PAZ.

Nenhum - ouviu bem? NENHUM!!! - destes ataques, teve fosse o que fosse a ver com o Islão! São "apenas doidos". Os 270 milhões de mortos que o Islão já causou, foram todos por "doidos".


A nossa compatriota Palmira Silva, emigrada em Londres, foi decapitada por um muçulmano,em nome de Alá, perdão, por "um doido qualquer". Quem disser a VERDADE arrisca pena de prisão.



Sem comentários:

Enviar um comentário

Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.