sexta-feira, 6 de janeiro de 2017

Quatro selvagens de Chicago raptam e torturam rapaz branco com deficiência mental



Já só é possível encontrar versões editadas e amaciadas do crime de ódio racista.
POST-SCRIPTUM: Youtube, Facebook, Google, Twitter, as chamadas redes sociais e a Internet em geral estão sob domínio do lóbi esquerdista-islamista. Querem fazer com a Internet o que fizeram com a Imprensa: CENSURAR. As imagens da jornalista que traçou a perna a um colono islâmico (que se veio a descobrir ser um terrorista), foram divulgadas semanas a fio. Quaisquer imagens que exponham a natureza terrorista do Islão e da Esquerda, são retiradas. Foi o que aconteceu a este vídeo, BANIDO pela censura islamo-esquerdista. É o que o Islão e o Comunismo SEMPRE fizeram quando tomaram o Poder: apagar a História.

"Quatro suspeitos foram acusados pelo ataque a um adolescente com necessidades especiais, que foi transmitido no Facebook Live. Jordan Hill, 18; Tesfaye Cooper; 18; Brittany Covington, 18; E Tanishia Covington, de 24 anos, foram acusadas de crime de ódio, crime de sequestro agravado, restrição ilegal agravada e espancamento agravado com arma mortal. O vídeo da tortura surpreendeu o país, não apenas por causa do abuso gráfico, mas por causa dos comentários feitos por alguns dos assaltantes."  

- O famigerado bando racista e supremacista Black Lives Matter voltou a fazer das suas. Os vídeos estão a ser retirados à mesma velocidade com que vão sendo postados, pelo sempre politicamente correcto YouTube, mas a descrição já é nauseante q.b..
- Se tivesse sido o não menos repugnante Ku Klux Klan a fazer o mesmo com um rapaz negro/preto/afro-americano/afro-descendente (riscar o que não for politicamente correcto à hora em que lê isto), seria MUITO JUSTAMENTE considerado crime racista. Assim, pelos vistos, não é...
- E haveria motins brutais anti-brancos e manifestações em todo o Mundo. Assim, não se passou nada.
- Os media e as autoridades norte-americanas já estão a camuflar o motivo das agressões, afirmando que o motivo do ódio foi o rapaz ser atrasado mental/deficiente mental/cidadão mentalmente diferenciado/ pessoa excepcional (riscar o que não for politicamente correcto à hora em que lê isto). (P.S.- Aliás, os media estão a divulgar que foram brancos apoiantes de Trump que atacaram um não-branco com deficiência mental)
- No entanto, os racistas obrigaram a vítima a dizer "FUCK WHITE PEOPLE!" e assumiram que o atacaram por ser branco e apoiante de Trump.
- Quando um polícia branco detém um delinquente ou um desordeiro não-branco nos Estados Unidos, as televisões abrem o noticiário com a declaração: "Mais um crime racista da polícia norte-americana!". Neste crime racista, nenhuma menção a que se tratou de um crime racista.
- O racismo estava já fora de moda, até Obama ter sido eleito "o primeiro Presidente negro da História dos Estados Unidos". Com o zelo que este demonstrou em reacender a fogueira do racismo, voltamos a ter que falar em brancos e negros, quando para nós existem fundamentalmente PESSOAS, rigorosamente iguais em dignidade, quaisquer que sejam as suas cores, origens, etc..  
- Serve esta introdução para dizer que Stefan Molyneux é dos poucos brancos que se atrevem a falar publicamente deste crime de ódio:

- As pessoas brancas estão caladas, receiam condenar o ataque, sob pena de serem chamadas racistas. Se alguém fosse para  rua gritar "WHITE LIVES MATTER!!!", seria  extremamente ofensivo.
- Na mundovisão esquerdista (que é a que vigora), só as pessoas brancas podem ser racistas, ou apresentar defeitos. TODAS as pessoas não-brancas são intrinsecamente perfeitas, se por acaso procedem mal, a culpa é os brancos. Daí que a nata do mundo académico advogue até a extinção das pessoas brancas:  

Académico pede 'genocídio branco' como presente de Natal



- Os media, que alimentaram durante um ano o mito do "Trump racista", podem limpar as mãos à parede. Eis o resultado dos seus esforços. Devem estar contentes. Isto vai ser o dia-a-dia do mandato de Trump. Para os jornalistas e para esquerda em geral, quanto pior, melhor. Dividir para reinar. Destruir a Sociedade para erguer a Utopia sobre os escombros. E quem não concordar com a Utopia, é simplesmente eliminado. Assim é o Comunismo/Socialismo (mais de 100 milhões de mortos no século XX).
- O Partido Democrata, a esquerda norte-americana, nunca fez nada pelos afro-descendentes. Todos os avanços sociais dessa população que foi para as Américas em situação de escravidão (ninguém o nega), vieram do Partido Republicano, da direita. Este sequestro e tortura é consequência também da campanha de ódio do Partido Democrata.
- A esquerda quer os negros ressentidos, revoltados, inferiorizados, dependentes do Estado, e... a votarem à esquerda. A esquerda quer os negros num sucedâneo de escravatura, que se traduz em subsídios, em quotas de acesso às universidades, num perpetuar da vida à sombra do patrão que é branco, mas bonzinho. Que "se preocupa" - a grande virtude da esquerda.
- Brancos já escravizaram e discriminaram negros, negros já escravizaram e discriminaram brancos, islamistas há 14 séculos que escravizam, perseguem e chacinam os não muçulmanos (270 milhões de vítimas e a subir todos os dias). Mas não é politicamente correcto referi-lo.   
- As odiadas pessoas brancas (começando pelos judeus, o primeiro povo a proclamar a igualdade de todos os Homens perante Deus) e particularmente os odiados cristãos, fizeram e fazem mais pela dignidade humana do que qualquer outro grupo:

Sem comentários:

Enviar um comentário

Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.