segunda-feira, 9 de janeiro de 2017

Identificadas quatro jovens vítimas do ataque de ontem em Jerusalém


O Mundo reprova os terroristas do ISIS, mas aprova os da Fatah de Mammoud Abbas, e culpa Israel por não oferecer a sua soberania nacional (as vidas dos israelitas, portanto) aos terroristas:

Abbas "parceiro para a paz" recusa receber Rivlin


As Forças de Defesa de Israel todos os dias desmontam células terroristas islâmicas (como aqui na Europa). Mas o mega-terrorista Mammoud Abbas e outros da sua craveira, continuam a apelar a que os colonos muçulmanos ataquem os israelitas com facas, veículos ou o que tiverem à mão. Esse tipo de terrorismo é extremamente difícil de prever. Ontem, um ataque ao estilo do ISIS atingiu Israel: 


Terrorista mata em Jerusalém. Jornalistas culpam camião.

Israelitas esmagados por terrorista islâmico. Jornalistas culpam camião.

Soldados hesitaram em atirar no terrorista, temendo repercussões legais




Abbas, o herói da Imprensa e dos políticos ocidentais, condecora Fatima Barnawi, cujos "feitos heróicos" foram ter posto uma bomba num cinema cheio de judeus.



   Entretanto, os inocentes vão sendo ceifados, porque o Mundo assim quer:



Foram identificadas quatro jovens vítimas do ataque de ontem em Jerusalém
O terrorista, inspirado pelo ISIS, e as quatro jovens vítimas que perderam a vida num ataque com um camião em Jerusalém, foram identificados. Os líderes israelitas prometem lutar contra o flagelo do terror islâmico. 
O autor do ataque com um camião na tarde de ontem, domingo, em Jerusalém, que custou a vida de quatro jovens soldados e feriu pelo menos 15, dois seriamente, é um árabe-israelita de Jerusalém oriental com conexões aparentes com o grupo terrorista do ISIS/Estado Islâmico. 

 
Nota nossa: Este é Fadi al-Qanbar, mais um colono muçulmano, um "muçulmano simpático" (ser simpático aparentemente desculpa o terrorismo) que respondeu presente aos apelos do líder terrorista Mammoud Abbas - ver secção INTIFACADA. O terrorista Mammoud Abbas, que não é melhor que o Bin Laden, é apresentado ao Mundo como se fosse uma pessoa de bem. Visita o Vaticano e encontra-se com Chefes de Estado de todo o Mundo. Porque mata judeus. Se matasse pessoas propriamente ditas, era morto, como mataram o Bin Laden.

O terrorista de Jerusalém foi identificado como Fadi al-Qanbar, de 28 anos, do bairro de Jabel Mukaber, no leste de Jerusalém, um viveiro de terroristas. 
As quatro vítimas mortais, todos soldados das Forças de Defesa de Israel, são: Tenente Yael Yekutiel, 20, de Givatayim; Shir Hajaj, 22, de Ma'aleh Adumim; Shira Tzur, 20, de Haifa, e Erez Orbach, 20, de Alon Shvut. 
Observadores notaram a semelhança entre o ataque de Jerusalém e os ataques mortíferos  em 2016 em Nice e em Berlim, ambos cometidos pelo ISIS.
O primeiro-ministro Benjamin Netanyahu e o ministro da Defesa, Avigdor Liberman, visitaram o local do ataque no bairro de Armon Hanatziv em Jerusalém, onde foram recebidos pelo Comandante da Polícia do Distrito de Jerusalém Yoram Halevy.
 'O Mesmo Padrão Inspirado pelo ISIS'
"Acabamos de sofrer mais um ataque terrorista não provocado aqui em Jerusalém, um ataque assassino que tirou a vida de quatro jovens israelitas e feriu vários outros. Isto faz parte do mesmo padrão inspirado pelo Estado Islâmico, pelo ISIS, que vimos primeiro na França, depois na Alemanha e agora em Jerusalém. Isto faz parte da mesma batalha em curso contra este flagelo global do novo terrorismo. Nós só podemos combater isto eficazmente se estivermos unidos, mas temos que o fazer, e vamos fazê-lo", afirmou Netanyahu.

A vítima Erez Orbach, de 20 anos.

"Este ataque brutal não é obviamente por outra razão senão uma: porque somos judeus e vivemos aqui em Israel", declarou Liberman. "Não há outra razão, e não há necessidade de inventar uma desculpa - não é sobre assentamentos ou negociações , mas um ataque inspirado pelo ISIS".
"Vimos isto na França, vimos isto em Berlim, e infelizmente, vemos isto hoje em Jerusalém", continuou ele. "Nós vamos lutar contra este terrorismo com todas as ferramentas à nossa disposição, e tenho certeza que vamos ganhar".

'O corpo do terrorista nunca será retornado'
O ministro da Segurança Pública, Gilad Erdan, prometeu que o corpo do terrorista nunca será devolvido, mas "será enterrado, mas apenas pelas forças de segurança e em lugar ao qual a família e os seus partidários não terão acesso".

A vítima Shir Hajaj, de 20 anos.

"Este foi um ataque atroz, doloroso e especialmente grave, que poder levar a outros ataques por imitação. Não permitiremos que este vil terrorista ou a sua família façam um funeral onde seja tratado com honra, encorajando outros ataques", afirmou Erdan.
"Estou agora em visita de Estado à Geórgia, embora o meu coração permaneça em Israel, e é um coração muito pesado", disse o presidente Reuven Rivlin em comunicado. "Eu e Nechama enviamos o nosso apoio às famílias que perderam aqueles que lhes eram mais queridos, e oferecemos força aos feridos que estão a ser tratados no hospital. No meu regresso, vou visitar as famílias".
"Nós não pensámos nem por um momento que o terror não voltaria a erguer a sua cabeça feia, e não seremos vergados por mais este ataque, continuaremos erguidos e lutando contra o terrorismo", acrescentou. "Envio o meu apoio aos serviços de segurança, que estão a trabalhar permanentemente contra esta ameaça, e agora especialmente".
Por: World Israel News , traduzido por nós.


Foi assim a matança:

Sem comentários:

Enviar um comentário

Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.