segunda-feira, 25 de dezembro de 2017

Guatemala segue Trump e muda Embaixada para Jerusalém


A Guatemala mudará a sua embaixada para Jerusalém, seguindo décadas de longa tradição de apoio ao Estado judeu. 
A Guatemala anunciou que mudará a sua embaixada de Tel Aviv para Jerusalém, tornando-se o primeiro país a seguir oficialmente os EUA ao fazê-lo.

O presidente da Guatemala, Jimmy Morales, anunciou na sua página no Facebook que falou no domingo com o primeiro-ministro Benjamin Netanyahu. Os dois discutiram "as excelentes relações" que os dois países compartilham.
Um dos temas mais importantes discutidos foi a mudança da embaixada guatemalteca para Jerusalém, escreveu. "Dei instruções ao embaixador para iniciar a respectiva coordenação para que isso aconteça", anunciou Morales.
A Guatemala apoiou a criação do Estado de Israel e foi o segundo país a reconhecê-lo depois dos EUA. Foi uma das nove nações que votaram contra a resolução das Nações Unidas da semana passada que condenou os EUA pelo reconhecimento histórico do presidente Donald Trump sobre Jerusalém.
O porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros israelita, Emmanuel Nahshon, apresentou agradecimentos à Guatemala pela sua "importante decisão" de transferir a sua embaixada para Jerusalém.
"Notícias maravilhosas e verdadeira amizade! Viva a 'amistad' com a Guatemala", escreveu.
No início deste mês, a ministra dos Negócios Estrangeiros da Guatemala, Sandra Jovel, anunciou que o seu país apoia a decisão dos EUA de reconhecer Jerusalém como a capital de Israel.

 

Morales fez uma visita histórica a Israel em Novembro de 2016. Ele é um devoto cristão evangélico. Pouco depois de assumir o cargo, visitou uma sinagoga na cidade da Guatemala, onde anunciou a sua intenção de visitar Israel. O líder centro-americano disse durante a sua visita que espera fortalecer laços com Israel nos campos da agricultura, ciência, tecnologia e segurança.

"Nesta visita, queremos aprofundar o diálogo entre os dois países e fortalecer os laços bilaterais", afirmou Morales. "Como aliados, as excelentes relações entre nossos países continuarão".  
A primeira de muitas mudanças de embaixada?

Alguns países mostraram apoio à iniciativa de Trump.

O chefe do Parlamento romeno, Liviu Dragnea, declarou na sexta-feira que acha que o seu país "deveria considerar seriamente mudar sua embaixada de Israel para Jerusalém. Devemos pensar muito sobre isso".

"Todas as instituições centrais israelitas estão em Jerusalém, e os embaixadores e a equipas das embaixadas devem mudar de Tel Aviv para Jerusalém", disse ele, fazendo eco essencialmente do raciocínio do presidente Donald Trump sobre o reconhecimento de Jerusalém como capital de Israel.

Netanyahu na semana passada expressou confiança de que a maioria dos países europeus seguirá o reconhecimento de Trump de Jerusalém como a capital de Israel.

"Eu acredito que todos ou a maioria dos países europeus mudarão as suas embaixadas para Jerusalém, reconhecerão Jerusalém como a capital de Israel e comprometer-se-ão connosco na segurança, prosperidade e paz", disse Netanyahu em Bruxelas na última segunda-feira, antes de uma reunião com todos os 28 Ministros dos Negócios Estrangeiros dos Estados membros da União Europeia (UE).

A República Checa reconheceu Jerusalém Ocidental como a capital de Israel, seguindo as mudanças de política de Trump.

A decisão do governo checo sobre Jerusalém Ocidental segue a aprovação da legislação do Parlamento checo em Maio, que reconhece Jerusalém como a capital de Israel.

Em Abril, o Ministério dos Negócios Estrangeiros da Rússia tomou uma decisão semelhante ao reconhecer "Jerusalém ocidental" como a capital israelita.

Por: Aryeh Savir, World Israel News



 




COMENTÁRIO 
Existem mais de 200 países.
Existem 124 disputas territoriais.
Existem pelo menos 60 guerras a decorrer.
Na História das Nações Unidas houve apenas 10 reuniões de emergência.
5 foram sobre Israel.
A mais recente foi porque os Estados Unidos reconheceram Jerusalém como capital de Israel.
Israel é o único país no Mundo a quem é negado o poder de decidir onde fica a sua capital.
CONCLUSÃO: "Os judeus gostam de se armar em vítimas".



Sem comentários:

Enviar um comentário

Os comentários estão desactivados. As nossas desculpas.

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.