terça-feira, 19 de novembro de 2013

O Triunfo dos Porcos

 AbbasPrisoners.jpg
 Triunfante: Abbas com prisioneiros libertados


"É claro que Israel não pode esperar negociar com quem se dedica à sua destruição. Bem sei que Israel teve divergências com a Autoridade Palestina, mas acredito que você têm um verdadeiro parceiro no presidente Abbas ... " - Barack Obama, 21 Mar. 2013

Enquanto Israel chora os seus mortos em silêncio, os terroristas continuam a ceifar quantas vidas israelitas podem, continuam a ser libertados e continuam a ser recompensados.

A Imprensa Ocidental continua a escamotear o terrorismo islâmico e a fazer passar a ideia de que Israel está num conflito sobre território. Israel ocupa hoje cerca de 1/10 do seu território ancestral. Israel está na única porção do Médio Oriente que não tem petróleo. Israel é pequenino. A única razão para o ódio do mundo islâmico a Israel é ser uma ilha de religião diferente, num oceano hegemonicamente muçulmano. E isso eles não toleram:


 Onde está o Wally, quer dizer, onde está Israel?


Na imaginação difusa do anti-Israelita de cérebro lavado pelos media, Israel é um imenso território povoado por milionários, a alastrar para as terrinhas dos pobres muçulmanos. A realidade, contudo, é bem diferente. Israel é praticamente impossível de detectar no imenso continente islâmico - que aliás continua a expandir-se todos os dias, à bomba, a tiro e à facada.

Veja-se o que se passa em África, em tantos países onde os cristãos são diariamente chacinados pelas milícias islâmicas. É lá longe, ninguém se preocupa. São apenas africanos. Como os israelitas são apenas judeus. Não contam...

 RescueChristians.org

Walid Shoebat, ex-terrorista "palestino", converteu-se ao Cristianismo e luta hoje contra o massacre dos cristãos pelo Islão. Clique em cima, no logo da sua organização.
O encanto dos media e de muitos cidadãos Ocidentais com o terrorismo islâmico deve-se a que este tem como principais alvos Israel, os Estados Unidos, e o Ocidente em geral. E um bem-pensante Ocidental que se preze, odeia aos três com fervor. Porquê, não me perguntem, que não sou psiquiatra.


 ------------------------------------------


"Abbas dá a cada prisioneiro libertado US $50.000 e um emprego de topo"
 por Stuart Winer para o Times de Israel, 18 de Novembro

    Prisioneiros palestinos que foram condenados por matar israelitas e, em seguida, libertados por Israel, como gesto de boa vontade para suavizar o caminho das negociações de paz, foram presenteados com pelo menos 50 mil dólares cada um, bem como um salário mensal confortável da Autoridade Palestina, disse o Coordenador do IDF das Actividades do Governo em comunicado segunda-feira.

    Os 26 presos que foram libertados a 30 de Outubro - o segundo lote de um total de 104 prisioneiros programados para serem libertados - haviam sido quase todo presos antes de 1993 e dos Acordos de Oslo, e tinham realizado ataques mortais contra soldados e civis israelitas.


(...)

    De acordo com informações publicadas no jornal Al-Hayat Al-Jadida da Autoridade Palestina, em 2011, o salário médio mensal pago pelo governo aos familiares dos prisioneiros palestinos é de NIS 3.129 (862 dólares), maior do que o salário médio de um funcionário palestino, que é NIS 2.882 ($ 794 dólares). Dois e meio por cento do orçamento da A.P. vai para os salários das famílias dos presos, indica o documento.

    Issa Abd Rabbo, o mais veterano dos prisioneiros libertados, recebeu um bónus de US $ 60.000, e a Autoridade Palestina ter-se-ia também oferecido para pagar a conta do seu casamento. Rabbo foi condenado pelo assassinato de dois caminhantes israelitas ao sul de Jerusalém, em 1984, depois de os ter amarrado e colocado sacos sobre as suas cabeças ....


A libertação de terroristas por Israel já é habitual. Esta assassina, responsável pela coordenação do ataque que ceifou 15 vidas numa pizzaria, em Jerusalém, foi libertada num lote de mais de 1000 terroristas, trocados pelo soldado Gilad Shalit, capturado pelos seus correlegionários. Recebida como heroína junto dos seus, neste vídeo podem vê-la a descrever a alegria geral dos árabes após o ataque, e o seu famosos sorriso quando soube que tinha assassinado mais crianças do que julgava:



Estes são sobreviventes e familiares de vítimas, dos quais a Imprensa Ocidental não fala:


Continua a achar que é Israel o mau da fita? Porquê? Por não se deixar massacrar mansamente?

Sem comentários:

Enviar um comentário

Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.