terça-feira, 26 de novembro de 2013

Hamed Abdel Samad, amigo da liberdade

 HamedAbdel-Samad.jpg
Hamed Abdel Samad


Haver muçulmanos moderados, reformistas... há! O problema é que poucos têm a coragem de o assumir, sobretudo em países islãmicos. Aliás, a pena para quem deixa de ser muçulmano é a decapitação...  
Hamed Abdel Samad é (ou era), um muçulmano moderado, reformista, amigo da Verdade. "Uma reportagem de um jornal egípcio diz que foi sequestrado". Ele poderá ter sido assassinado. Mas lembre-se: o problema real é a "islamofobia".


"O Egipto investiga o desaparecimento de autor crítico do Islão"
Reuters, 26 de novembro

     A polícia do Cairo investiga o desaparecimento de um autor alemão de origem egípcia e crítico do Islão, disseram fontes de segurança na terça-feira, meses depois de um clérigo o ter declarado infiel e pedido a sua morte.


     Hamed Abdel Samad, autor de "A Queda do Mundo Islâmico: um prognóstico", desapareceu nos últimos dias, de acordo com a participação de pessoas desaparecidas apresentada pelo seu irmão, disseram fontes policiais. Uma reportagem de um jornal egípcio disse que tinha sido sequestrado.

Conteúdo explícito: a decapitação é a pena para quem deixa o Islão, ou é considerado apóstata. Está no Corão, e... há quem a cumpra!

Sem comentários:

Enviar um comentário

Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.