terça-feira, 19 de novembro de 2013

Estas coisas já não deste século!

Explosões, reivindicadas por grupo jihadista, fizeram mais de uma centena de feridos. Incidente é uma nova demonstração do risco de contágio do conflito na Síria - Público

Nota: Artigo não hiperligado pelo Público, o que acontece sempre com algumas jornalistas, nomeadamente a que assina este artigo, onde nunca chama terroristas aos terroristas que levaram a cabo mais esta matança. Chama-lhes antes "militantes". O amor é louco...

 AP
 Homens libaneses recuperam cadáveres das explosões desta manhã

O conflito jihadista sunita-xiita agrava-se no Líbano. Faz lembrar quando na Europa católicos e protestantes se chacinavam mutuamente por amor a Deus. Estas coisas já não deste século! 
"Explosões na capital libanesa contra alvos iranianos causam pelo menos 23 mortos"
 Haaretz, 19 de Novembro:

    
Pelo menos 23 pessoas foram mortas esta terça de manhã, quando uma explosão abalou o sul de Beirute. Segundo alguns relatos, a explosão teve como alvo a embaixada iraniana.

    
Não ficou imediatamente claro o que causou as explosões, e os relatórios locais variam de mísseis para carros-bomba.
Estações de televisão libanesas disseram que pelo menos 100 pessoas ficaram feridas, mas citou fontes diplomáticas iranianas que dizem que nenhum dos seus funcionários dentro da embaixada ficou ferido.

    
Imagens ao vivo de canais de notícias locais mostraram corpos carbonizados no chão enquanto as chamas crepitavam entre os restos de vários veículos. Trabalhadores humanitários e residentes levavam algumas das vítimas em cobertores.

    
De acordo com o Canal OTV libanês, a explosão pode ter sido causada por um suicida.

    
As explosões no bairro de Janah ao sul de Beirute também causaram grandes danos nas construções vizinhas e na missão iraniana. A área é um reduto do grupo militante Hezbollah, que é o principal aliado do presidente sírio, Bashar Assad, na guerra civil ao lado. Não está claro se as explosões estão relacionadas com a guerra civil na Síria.

    
O bairro foi atingida por várias explosões nas últimas semanas, que mataram e feriram dezenas. Esses ataques foram atribuídos a grupos ligados aos rebeldes, e acredita-se serem uma retaliação pelo envolvimento na guerra civil da Síria.

    
Combatentes do Hezbollah têm vindo a apoiar as forças de Assad em várias batalhas estratégicas em toda a Síria, uma medida que também aumentou a tensão sectária nos dois países.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.