segunda-feira, 25 de janeiro de 2016

Odiadora Margot Wallström em escândalo de corrupção

 
Margot Wallström

Não abordamos este tema em atitude de regozijo com o mal dos outros. Não nos agrada ver ninguém ser publicamente envergonhado, por muito mau que seja. Nem ninguém está isento de dar maus passos na vida. A razão pela qual vos trazemos esta notícia, é outra.
 
Margot Wallström é uma representante da nova vaga de políticos hippies islamistas de extrema-esquerda que assolam o Ocidente. É uma nossa velha conhecida.

Ultimamente tem-se dedicado febrilmente a acusar Israel de "executar" sumariamente "palestinos" - ou seja, a senhora Wallström censura as forças da ordem de Israel por abaterem terroristas que estão em pleno acto de massacrar inocentes, na presente Intifada.

Israel, numa atitude que louvamos vivamente, passou a considerá-la persona non grata, a ela e aos seus comparsas. Chega de Israel levar pancada e ainda pedir desculpas por cima! Se o faz, o Mundo acha que tem culpas no cartório!


"É infame, é imoral e é estúpido!" - foi assim que Netanyhau classificou as acusações da Ministra sueca. Bravo, senhor Primeiro-Ministro!

Do muito que poderia ser dito sobre esta ministra sueca, fizemos o sacrifício de lhe dedicar alguns posts.
 
A senhora Wallström culpou Israel pelo massacre de Paris:

A senhora Wallström acha que Matar à facada NÃO É terrorismo! *

* - Dependendo de quem são as vítimas...

A senhora Wallström  é uma representante desta vaga de hippies que amam o Islão de paixão, e que num regime islâmico seriam imediatamente executados, por múltiplas razões:

 
A Suécia detém o triste recorde de estupros de mulheres e crianças na Europa, e o segundo a nível mundial. Os estupradores são muçulmanos, no estrito cumprimento da jihad sexual, e o facto de ter milhares de compatriotas mulheres e crianças brutalmente estupradas, dá muita vontade de rir à senhora Margot Wallström:
 

Rindo da Jihad Sexual na Europa - 2


Ministra dos Negócios Estrangeiros sueca anti-Israel, apanhada em escândalo de corrupção

Margot Wallström, a Ministra dos Negócios Estrangeiros sueca que deixou de ser bem-vinda em Israel devido ao seu extremo preconceito contra o Estado judaico, está em sarilhos por suposta corrupção.

 
A Ministra dos Negócios Estrangeiros sueca Margot Wallström, que tem acusado Israel de lidar de forma desproporcional com os terroristas árabes, e que foi ao ponto de dizer Israel tinha levado a cabo "execuções extrajudiciais" de terroristas, pode ter obtido de forma ilícita o seu apartamento de Estocolmo. De acordo com o diário sueco Aftonbladet, ela recebeu o apartamento do maior sindicato da Suécia, o Kommunal, contornando a lista de espera de alguns anos a que toda a gente tem de obedecer.

Bem, nem todos. De acordo com o jornal diário, houve vários importantes políticos de esquerda que tiveram o mesmo tratamento VIP.

Wallstrom alegou que não se lembra de ter recebido tratamento especial, dizendo que quando tomou posse do apartamento, insistiu em receber "a confirmação ao mais alto nível de que foram cumpridas todas as regras e procedimentos de atribuição de apartamentos, e de que não estava a passar à frente de ninguém na lista de espera."

Wallstrom acusada de hipocrisia

Um porta-voz de Wallström disse que o apartamento lhe foi oferecido na Primavera passada, durante uma conversa informal com o líder do Kommunal. Mas um porta-voz do partido Moderaterna disse que este transferir de culpas da parte de Wallstrom não a favorece. "Ela deve esclarecer as suas próprias acções ... Ela é parte do Governo e não deve criar uma relação de dependência com um sindicato", disse.

Outro jornal, o Expressen, que tem sido crítico dos ataques de Wallström contra Israel, disse que ela é "uma hipócrita, fingindo ser uma mulher do povo, enquanto salta por cima das outras pessoas na lista de espera de habitação."

Por: JNI Media via United With Israel


Como muitos outros apologistas do Islamismo e perseguidores de Israel, esta é mais uma pessoa que deixa muito a desejar em honestidade. Não nos admiraria que, à semelhança de tantos políticos, jornalistas, agitadores profissionais, dirigentes desportivos e outros, Margot Wallström também estivesse a ser paga em petrodólares por baixo da mesa, para apoiar os esforços de extinção de Israel e dos judeus. Não há nada oculto que não venha a ser conhecido...

1 comentário:

  1. Também lia a notícia. Tão vigarista quanto os terroristas que defende.

    ResponderEliminar

Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.