quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

Europa volta a legalizar o Mal

O NAZISMO QUE VEM DE LONGE


Sob o lema “Gott mitt uns” ("Deus connosco") em 1935, o sistema judicial nazi legitimou a perseguição aos judeus. No 27º aniversário do bando terrorista Hamas, o sistema judicial da União Europeia repete a proeza, sob o lema "Allah U Akbar".

A Europa já não considera o Hamas um grupo terrorista. Para a União Europeia, um bando que rapta, tortura e assassina judeus - crianças e adultos; que bombardeia Israel diariamente (com preferência pelas escolas e infantários); que escraviza as suas próprias crianças na escavação de túneis de terrorismo e as abate a seguir; que executa sumariamente suspeitos de não-antissemitismo; que usa as suas crianças como escudos e bombas humanas; etc., etc., etc.. é um grupo político legítimo.

Vejas as nossas etiquetas HAMAS e OPERAÇÃO PROTECÇÃO LIMITE

Pessoas intoxicadas pelos media cúmplices, não sabem porque morrem os 'palestinos'.

O Hamas tem como objectivo a destruição de Israel e a extinção dos judeus. Ao legitimar tal organização, a União Europeia acaba de dar o tiro de partida oficial para a caça ao judeu na Europa. Outra vez.

GIVE THE DOG A BONE

Sem comentários: a "justificação" do Tribunal da UE foi que a inclusão do Hamas na lista, em 2001, foi influenciada pelos media e pela Internet.

Quem, como nós, gosta de andar pela serra de mountain-bike,  conhece a estratégia de atirar a nossa merenda ao cão que nos salta ao caminho, pronto a atacar. Mais vale ficar com fome do que levar uma dentada. A União Europeia atirou esta "merenda" aos muçulmanos que invadem actualmente a Europa, na esperança de que estes não lhes mordam. De nada vai adiantar.



Como é que o Hamas celebrou o seu 27.º Aniversário? Discursos de incentivo à paz? Tolerância entre os povos? As imagens da "festa" em Gaza são todas deste calibre. Imaginemos que Israel fazia coisas destas, o que não iria por aí de indignação...

Temos actualmente 52 milhões de muçulmanos a a viver na Europa (sem contar o número cada vez maior de convertidos e fãs - com destaque para a extrema-esquerda e para os neo-nazis).

80% destes muçulmanos vivem à custa dos contribuintes europeus - tal como os seus irmãos do Hamas

Um número indeterminado destes muçulmanos dedica-se às mais variadas actividades criminosas, que vão dos gangues de abusadores de crianças ao terrorismo de bomba e faca - tal como os seus irmãos do Hamas.

Um número indeterminado desses muçulmanos (que deve cifrar-se em 100%) tem como objectivo supremo de vida a destruição total de Israel e o genocídio definitivo dos judeus - tal como os seus irmãos do Hamas.

Nos últimos 2 anos, multiplicaram-se as manifestações antissemitas, os ataques contra judeus, os ataques a casas e lojas de judeus, os ataques contra sinagogas:


Armados de machados e barras de ferro, muçulmanos, nazis e extrema-esquerdistas, têm atacado sinagogas. Neste caso (entre outros) se não tivessem sido os valentes jovens da Liga de Defesa Judaica e da Betar, teria havido um massacre.

Os políticos europeus têm esperança de que os colonos muçulmanos satisfaçam a sua sede de sangue nos poucos judeus que restam na Europa. Nunca estudaram filosofia budista, ou saberiam que é impossível saciar certas sedes...


QUANTO MAIS ME DÁS, MAIS TE ODEIO


Esta mole de adeptos da ideologia mais cruel e sanguinária que a Humanidade já conheceu, está a transformar a Europa num sítio decadente, em acelerada desagregação. Há regiões, bairros e cidades completamente perdidos, onde habitam multidões de beneficiários do Estado Social, onde vigora a Sharia e não entram «infiéis» nem Polícia.
Quanto mais se lhes dá, maior é o ódio que os muçulmanos dedicam aos «infiéis»:



O Islão ordena que os seus seguidores executem, escravizem e  submetam os «infiéis».

Nos cinco continentes, a ofensiva islâmica é avassaladora. O Islão está presentemente na "Casa da Guerra", em Jihad Global. Em Novembro morreram 7 pessoas por hora, vítimas da guerra que o Islão está de novo a mover ao Mundo. E falamos apenas de mortes. Não incluimos a persguição, tortura, estupro, e outros horrores.

Timidamente, uma coligação internacional liderada pelo terrorista muçulmano Baarck Hussein  Obama, lança umas bombas para os lados da Síria e do Iraque. O Holocausto prossegue.
Uma compilação de uma hora que demonstra como o Islão está a arruinar a Europa e a América:



 EUROPA DE REGRESSO AO CRESCENTE?


A natalidade dos europeus, decresce, a dos invasores muçulmanos, aumenta exponencialmente. A procriação é a sua principal ocupação, a sua fonte de rendimento e a sua arma de guerra contra os infiéis. 

Se tiver dúvidas, consulte a nossa secção GUERRA DEMOGRÁFICA.

Os políticos europeus, para se manterem no poder, tentam por todos os meios agradar aos muçulmanos. Em França, o voto muçulmano valeu ao PS a eleição. 16% dos franceses (muçulmanos, extrema-esquerda e neo-nazis), apoiam o ISIS, essa encarnação do Mal que dá pelo nome de Estado Islâmico.

David Cameron, o Primeiro-Ministro conservador (!) do Reino Unido, com o seu país em acelerado colapso social e os seus concidadãos vítimas do terror islamista, declarou recentemente que "há demasiados brancos e cristãos na Grã-Bretanha":

Estes líderes interessam aos muçulmanos enquanto marionetas. Na devida altura, pagar-lhes-ão os seus distintos serviços como têm pago aos jornalistas e trabalhadores humanitários ocidentais, lá no Califado. 

E se a esses apoiantes convictos, cujo zelo na submissão os levou até a converterem-se ao Islão, cortam  a cabeça, aqui o amigo Cameron que não tenha ilusões. Os muçulmanos não nutrem quaisquer sentimentos pelos não muçulmanos. Não os consideram humanos, sequer. O pregador muçulmano Anjem Choudary, terrorista assumido e sanguessuga do contribuinte britânico, grita-o alto e bom som pelas ruas todos os dias. Evoca a democracia para pregar o fim da democracia.

Ainda assim, a malta que gosta de cenas e assim, bem como os media, não param de ir a correr, a dar ao rabo, lamber as babouches ao xeque David Munir (outro grande apoiante do Hamas) e a tudo quanto cheire a Islão.


Benjamin Netanyahu, líder do Mundo Livre

Há pormenores pendentes que estão a entravar a plena aplicação desta resolução da União Europeia. Benjamin Netanyahu pediu que a União reconsidere e volte a integrar o Hamas na lista. 

A concretizar-se a legalização do Hamas na Europa, pode muito bem ser lida pelos islamistas como o derradeiro sinal de capitulação, o que lhes falta para quebrarem as últimas barreiras e hastearem aqui a bandeira negra do Califado, à luz do dia. Se assim for, a Europa entrará numa nova Idade das Trevas. 

Demorámos séculos, derramámos rios de sangue, suor e lágrimas, para reconquistar a nossa Terra. Os actuais líderes estão a dá-la de mão beijada aos bárbaros.

Esperemos que no nosso cantinho lusitano haja dignos descendentes de D. Afonso Henriques. 


8 comentários:

  1. Meu Deus!!! Quem nos livrará deste mal? Jà está chegando aqui no Brasil...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. No Brasil os muçulmanos estão a evangelizar os indígenas, a cativar adeptos entre os desinformados, a casar com mulheres brasileiras para adquirirem a nacionalidade, a nlançar as bases para uma futura ofensiva, como fizeram aqui na Europa.. A jihad é global. Só o povo pode fazer a diferença. Dilma, Cameron, Hollande, os líderes de todo o Mundo Livre, estão de joelhos perante o Islão.

      A nossa esperança é que a informação passe, e se vá a tempo de evitar a violência generalizada.

      Abraço,

      J.J.

      Eliminar
  2. Na Alemanha o povo comeca a acordar lentamente, em Dresden o grupo PEGIDA toda segunda feira esta indo as ruas contra a Islamizacao da Alemanha e a imigracao desenfreada que esta acontecendo agora, nessa ultima esteve 12000 pessoas. E aumenta a cada segunda... os politicos a favor dos muculmanos e dos asilados ja comecam a ficar preocupados e comecam a atacar o povo que protesta, dizendo que sao nazis, essas coisas...Mas os ventos estao mudando. Abracos!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Demos graças a Deus por isso. Tal como os Macabeus valentes, cada um de nós pode fazer a diferença. Ficar sentado, abandonado à fatalidade, é que não. É nosso dever proteger os nossos concidadãos, os nossos familiares, a nossa civilização, o nosso modo de vida.

      Abraços e obrigado,

      J.J.

      Eliminar
  3. A Europa vai ser destruída pelos muçulmanos, faltam ainda só uns 25-30 anos, mas pelo menos a Ditadura Judaica do holocau$to e os judeus vão ser mandados também pra o inferno! A degenerada "democracia" abriu as portas da Europa para os islamitas, agora vai ser destruída pelos próprios islamitas, bem feito!!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Concretize sff em que consiste essa tal "ditadura", caro nazignorante.

      Eliminar
  4. A Europa vai ser destruída pelos muçulmanos, faltam ainda só uns 25-30 anos, mas pelo menos a Ditadura Judaica do holocau$to e os judeus vão ser mandados também pra o inferno! A degenerada "democracia" abriu as portas da Europa para os islamitas, agora vai ser destruída pelos próprios islamitas, bem feito!!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Concretize sff em que consiste essa tal "ditadura", caro nazignorante.

      Eliminar

Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.