terça-feira, 20 de fevereiro de 2018

Devem os cidadãos ter armas?

A censura acontece não apenas nos enclaves liberais na orla marítima dos Estados Unidos, mas também na França. O Eagles of Death Metal - conjunto americano que estava se apresentando na casa de espetáculos Bataclan em Paris quando terroristas do ISIS invadiram o teatro e assassinaram 89 pessoas em 13 de novembro de 2015 - foi banido de dois festivais de músicaRock en Seine e Cabaret Vert. O motivo? Jesse Hughes, vocalista da banda, concedeu uma entrevista politica extremamente incorreta:
"Será que o controle de armas francês evitou que um único infeliz morresse? Eu acho que a única coisa que interrompeu o massacre foi a intervenção de alguns dos homens mais valentes que eu já vi na minha vida se atirando de cabeça no palco da morte com suas armas de fogo. Ao meu ver a única coisa que mudou na minha maneira de pensar é que talvez, até que ninguém mais tenha armas, todo mundo deveria tê-las. Porque eu nunca vi que alguém que tivesse uma fosse morto e eu gostaria que todos tivessem acesso a elas, eu vi pessoas morrendo que talvez pudessem estar vivas, não sei".





No post anterior, e em outros, falámos do massacre recentemente ocorrido numa escola secundária na Florida, Estados Unidos. Como desta vez não foi um acto de jihad, as forças políticas de esquerda estão a tentar culpar os conservadores e Donald Trump em particular. Visto que a confusão ideológica do atirador não permite muito mais, o foco está agora no aproveitamento da tragédia para desarmar a população.
Os media dão voz à onda de contestação do direito de posse de armas, pintando os contestatários como virtuosos, e os partidários das armas como campónios desdentados que só pensam em matar pessoas.
O apelo da propaganda mediática é à emoção e à facilidade. Os dados concretos e o debate sério ficam na gaveta.
Ludwig von Mises foi um teórico economista conservador, que por acaso era judeu, vale a pena lembrar, pois muita gente acha que os teóricos judeus são todos de esquerda, como Marx. O site do Instituto Mises (entre muito outro material que merece estudo aprofundado) tem disponíveis diversos artigos sobre a questão das armas:




"Quase todas as chacinas cometidas por indivíduos desajustados nos Estados Unidos desde 1950 ocorreram em estados que possuem rígidas leis de controle de armas.
Com uma única exceção, todos os assassinatos em massa cometidos nos EUA desde 1950 ocorreram em locais em que os cidadãos são proibidos de portarem armas.  Já a Europa, não obstante sua rígida política de controle de armas, apresentou três dos seis piores episódios de chacinas em escolas."
Vinte fatos que comprovam que a posse de armas deixa uma população mais segura


Políticos de esquerda e estrelas de cinema e da música pregam o desarmamento do cidadão comum, enquanto eles e as famílias vivem permanentemente guardados por armas. Hipocrisia.


 Uma teoria geral (e libertária) sobre controle de armas 
 Porte de armas nos EUA cresce 178% em sete anos; criminalidade despenca 
 Em defesa do armamento da população - fatos e dados sobre as consequências do desarmamento 
Três comentários sobre o desarmamento no Brasil 
A arma de fogo é a civilização 

O terrorista Timothy MvVeigh matou 168 pessoas (19 das quais crianças como menos de 6 anos)  e feriu 680 sem usar qualquer arma, de fogo ou outra. Vemos todos os dias casos de esfaqueamentos e atropelamentos cometidos por jihadistas.

Aquilo que se vê e aquilo que não se vê na questão do desarmamento 
O estado é cúmplice dos 50 mil homicídios que ocorrem anualmente no Brasil 
Desarmamento e genocídios 
Vinte fatos que comprovam que a posse de armas deixa uma população mais segura 


O profundo pensamento da esquerda: o Senador  do Colorado Jesse Ulibarri considera que "contra um bandido armado com uma arma de fogo é melhor usar-se uma caneta e não uma arma de fogo, por causa do fogo cruzado".

Sobre a legalização da faca  
Armas, drogas, distintivos e cartéis 
 O desarmamento e as lições sobre a violência europeia 
Como o porte irrestrito de armas garantiu a liberdade dos suíços 
 O direito de portar armas é um direito humano essencial 
 O anárquico Velho Oeste não era nada selvagem 
 Armas e liberdade 
 Palmas para os suíços 
 Uma maneira eficaz de controlar o uso de armas 

Carolyn McCarthy, do Partido Democrata, tem a solução: "Se deixar de haver lojas de armas, estas deixam de poder ser compradas". Foi assim que se acabou o tráfico de cocaína, não foi? Não, não foi.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Os comentários estão desactivados. As nossas desculpas.

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.