sábado, 28 de maio de 2016

O Imã Voador e o "Mistério" do Voo 804



Há muito que não vejo voluntariamente noticiários na TV, por razões de higiene. Por vezes, de passagem, em casa alheia, sou obrigado a isso. 

Sobre o desastre do avião egípcio que vitimou 66 pessoas, o que me tem chegado aos ouvidos e aos olhos são os passageiros os muçulmanos que a TV mostra, em detrimento dos não muçulmanos, e a comovente história do piloto muçulmano, "bom profissional, cuja mãe fez sacrifícios para que seguisse a sua vocação"

Entretanto, nos media alternativos, são divulgadas as informações  que circulam nos media árabes, mas que os media ocidentais ESCONDEM.


A classe profissional de islamo-papagaios que indevidamente ostenta o título de "jornalistas" jamais lhe irá mostrar isto, mas o nosso amigo Walid Shoebat, ex-terrorista da OLP convertido ao Cristianismo, amigo de Israel e herói do Bem, conta tudo, no seu site.

Para que os nossos leitores e amigos entendam, através deste exemplo, o estado PODRE da nossa Imprensa, vamos passar a traduzir, adaptar e resumir, da notícia original

O piloto do voo 804 converteu o avião em mesquita e despediu-se dos familiares e amigos antes de fazer despenhar o avião e matar toda a gente a bordo.
A juntar a tudo o que os media alternativos têm trazido a público nos últimos dias (a inscrição "Haveremos de derrubar este avião", os potenciais cúmplices entre o pessoal do aeroporto, etc., etc.),  mais evidências demonstram que o piloto do voo 804 entrou em modo de frenesim suicida islamista. 
Converteu o avião numa mesquita improvisada, utilizava o equipamento para dizer aos passageiros a direcção de Meca, ofereceu uma última refeição em que se despediu, e telefonou ao seu irmão antes da descolagem dizendo-lhe para "orar por ele", como se se fosse para o martírio. O piloto tinha ligações com um dos pregadores mais radicais e simpatizantes do terrorismo, no Egipto.
O testemunho de Osama Abdel Basset, relações pública da companhia aérea egípcia, diz tudo:
"O capitão Mohammed Shakeer, o piloto daquele voo fatídico, organizou uma 'última ceia', em que revelou que iria morrer".


A agência de notícias islâmica Al-Hurra (não confundir com o Al-Público, que é mais radical) intitulou o seu artigo "Piloto egípcio dá as boas-vindas ao apelo da morte durante sua última ceia".
Mesmo o Telegraph, em Inglês, anotou alguns comportamentos, ainda que ignorando as pistas:


Mohammed Shakir, a.k.a. o Imã Voador!


Estranho sentido de humor para uma hospedeira, mas enfim...




 



O piloto e auto-proclamado "mártir", e o líder terrorista. 
Ahmad Musa, um conhecido jornalista e personalidade da TV, expõe as actividades de Amr Khaled, responsável pelo envio de jovens e material de guerra para terroristas na Líbia e para Benghazi - para a Jihad.

Khaled também é um conhecido pregador televisivo islamista, que dirige um programa de TV chamado "The Makers of Life" usado para recrutar jihadistas. No vídeo, Khaled [traduzido por Shoebat] diz:

"Esta é uma mensagem para os nossos irmãos em Mistrata, Tripoli e Benghazi. Que Alá vos proporcione a vingança contra os malfeitores (o Ocidente). Alá vai dar-vos a vitória. Oramos por vocês dia e noite. Enviamos jovens [do Egipto] para vos ajudar, recrutados através dos nossos programas na TV, aí para Benghazi. Vamos enviar-vos os médicos. Enviei uma equipa que irá comunicar-se com vocês continuamente e com a equipa em Benghazi. Continuaremos a comunicar usando o You Tube. Queremos que a justiça [do Islão] seja estabelecida através das vossas mãos na Líbia".





As evidências são claras. Khaled esteve ligado aos acontecimentos de Benghazi.

Durante o ataque a Benghazi, Shoebat expôs médicos egípcios enviados para assistirem os terroristas. (Leia o relatório aqui).

Então aqui está Khaled (o mesmo indivíduo que aparece na foto com o piloto Shakeer), apelando à vitória dos jihadistas contra o Ocidente, na Líbia, em 2 de Maio de 2011.
A guinada da aeronave sugere algum tipo de luta dentro do cockpit, disse Philip Baum, da Aviation Security International.
Baum disse que os pilotos poderão ter tentando controlar a aeronave desactivada por uma explosão, como em 1976, quando duas bombas explodiram num avião cubano após a descolagem a partir de Barbados, e o piloto tentou manobrar a aeronave para uma praia.

Ou poderão ter lutado com alguém que tentava assumir o controle do avião.

"Pode ter havido uma luta no convés, entre os tripulantes, um suicida e outro não. Ou um sequestrador tentando tomar o controlo", disse Baum.
Um piloto ligado à Jihad, uma 'última ceia', o pedido para ser chamado "mártir", a declaração "Vou morrer em breve", são mais que suficientes para levantar fortes suspeitas no Egipto e em Washington. 
A lista de passageiros e da tripulação devem também ser reanalisadas.



VOAR JÁ NÃO É SEGURO


Fiz cerca de 3.000 voos durante anos, mas decidi suspender completamente. Contrabandear um refrigerante com uma bomba é facílimo. 
Ninguém pode confiar no crescente número de muçulmanos que trabalham na indústria das viagens aéreas. As listas de empregados e trabalhadores estão cheias de suspeitos. 
Posso até dar uma olhadela numa simples lista de passageiros e encontrá-los. Al Mutairi é um nome na lista de passageiros e deveria ser de interesse para os investigadores, pois pode tratar-se de um dos terroristas que Obama tem libertado de Guantánamo e que imediatamente regressam ao terrorismo:


Uma jóia de rapaz...

Temos também o Salaheldin Abu Laban, um "palestino" que consta da a lista de detenções feitas da Síria, de indivíduos que se juntaram ao grupo terrorista Hizbul-Tahrir.
Embora não possamos confirmar se havia desses terroristas a bordo, há que verificá-lo. Se Obama continuar a libertá-los, veremos em breve mais aviões a cair do céu, e para o impedir, os custos de funcionamento das companhias aéreas serão imensos.

Após os atentados de Novembro, as autoridades francesas usaram a ameaça do terrorismo para justificar as revistas nos armários de funcionários do aeroporto Charles de Gaulle, bem como uma revisão sistemática dos cerca de 87.000 funcionários do aeroporto que têm credenciais que dão acesso às áreas de segurança que incluem a pista, as zonas de manuseio de bagagem e de armazenagem de carga. Essas avaliações têm levado as autoridades a revogar dezenas de credenciais por razões de segurança, de acordo com a polícia do aeroporto.

Outros exemplos chegam da Alemanha. Um empregado de limpeza do aeroporto, um turco conhecido das autoridades como islamista radical, teve acesso às áreas de segurança mais sensíveis dos principais aeroportos alemães, quase um ano depois de as autoridades de Berlim terem lançado um programa de segurança nos aeroporto para detectar funcionários com crenças radicais.

Muçulmanos salafistas nos aeroportos alemães. É o progresso...

O funcionário acabou por ser demitido em Outubro de 2015, depois de quatro anos de trabalho. No entanto, a sua demissão foi desencadeada não por preocupações com uma possível ameaça terrorista, mas por um incidente envolvendo uma violação de segurança. Ele havia sido detido por agentes de segurança do aeroporto ao tentar contrabandear uma soqueira para a área de segurança do aeroporto de Schönefeld.

Eu dedico a minha vida a mostrar factos a um mundo que aparentemente está a dormir. Perante a indiferença com que deparo, é como se as fotos e os vídeos que divulgo fossem montagens. Parecem más demais para serem verdadeiros.
Sinto que todo o mundo se tornou uma cidade fantasma, e que toda a gente está surda, muda, cega, morta, ou de algum modo incapaz de ouvir.
Fazemos nossas as palavras de Walid Shoebat, ex-terrorista da OLP. 

3 comentários:

  1. Não estava a par de muitos destes detalhes ... de repente este "acidente" foi esquecido na comunicação social.

    Não tenho nada a opor que conduzam assim os que pensam como o piloto mas fazer o mesmo aos restantes já me causa repugnância.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Os não muçulmanos, para os chamados islamistas, não contam para nada. São menos que objectos. Mas seria ideal que quem assim pensa embarcasse em aviões e fossem todos ao encontro do deus Alá, isso seria...

      Quanto aos media e a este acidente, tudo se dissolveu depressa em conjecturas sem substância, em palavrório de circunstância para ocultar o óbvio.

      Eliminar
  2. העולם הזה הוא גרוש מעקרונות אלוהים ומרוחק יותר ויותר מדרך השלום .
    שאלוהים יברך ולהגן ישראל .
    שלון

    ResponderEliminar

Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.