sexta-feira, 23 de março de 2018

Mais um pequeno massacre em França



Veja também o post anterior:

Muçulmano aos gritos de "Allahu Akbar" tenta matar Angela Merkel


P.S. - Há pelo menos um português entre as vítimas do massacre jihadista de hoje, em França. O jovem emigrante de 26 anos foi baleado pelo jihadista que lhe roubou o carro. Votos de rápida recuperação. Vimos na TV os depoimentos emocionados de amigos e conhecidos.
Acabou por falecer o  tenente-coronel Arnaud Beltrame, que se ofereceu para trocar de lugar com um dos reféns e foi baleado pelo islamista. As nossas homenagens.
Se calhar a vítima libertada até era daquelas pessoas que "não gostam de polícias". E gostam de terroristas cheguevaras.
  
Arnaud Beltrame.

Massacres em nome de Alá, Polícia e Forças Armadas nas ruas.  Se fosse em Israel diriam que a culpa é de Israel e que Israel é um Estado policial.

Mais um massacre em França. No ano passado, por esta altura, contabilizavam-se mais de 1200 vítimas mortais do Islão na Europa - desde o 11 de Março de 2004.
Segundo a Franceinfo,  a Polícia francesa identificou o sequestrador como um conhecido dos serviços de informações, que constava das bases de dados de "militantes islâmicos radicalizados" (leia-se: terroristas islâmicos que andam à solta pela Europa).
Se tiver dúvidas quanto a fontes confira no Jihad Watch, por favor.
Duas perguntas:
- Porque é que a Europa continua a importar milhões de colonos muçulmanos, e com eles centenas de milhar de terroristas?
- Os terroristas como este que assassinam inocentes em Israel, são apoiados e financiados pela União Europeia, louvados pela Imprensa, e Israel é condenado pelo Parlamento Europeu e pela ONU - por se defender. Porquê?
Nós sabemos porquê. Basta o nosso blogue e estudar a realidade do que se passa na Europa.


- Via FRANCE 24:
Sequestrador no sul da França morto por forças de segurança
Um sequestrador no sul da França foi morto numa operação policial, confirmou o Ministro do Interior, Gérard Collomb, na sexta-feira. O grupo ISIS/Estado Islâmico reivindicou a responsabilidade pelo ataque num site jihadista. Pelo menos duas pessoas foram mortas.
O que sabemos até agora:
O grupo do ISIS/Estado Islâmico reivindicou a responsabilidade pela tomada de reféns em Trèbes num site jihadista, confirma o especialistas da FRANCE 24 em grupos islâmicos, Wassim Nasr.


O terrorista islâmico Redouane Lakdim.


O suspeito, 26 anos, Redouane Lakdim, foi morto numa operação policial, disse o Ministro do Interior, Gérard Collomb. Era já conhecido pelas autoridades como um pequeno criminoso.
Pelo menos duas pessoas foram mortas e dezenas ficaram feridas no ataque ao supermercado, segundo a Polícia francesa.
Lakdim exigiu a libertação, em 13 de Novembro de 2015, do suspeito do massacre de Paris, Salah Abdeslam.
Uma terceira vítima foi baleada e morta no início do dia quando Lakdim roubou um carro na cidade vizinha de Carcassonne, ferindo o motorista e matando um passageiro.
NDT - Foi o nosso compatriota.
Falando de Bruxelas, o presidente francês Emmanuel Macron disse que a tomada de reféns em Trèbes parecia ser um ataque terrorista e que retornaria a Paris em poucas horas para coordenar a resposta do governo.

"Parece ser um ataque terrorista", disse o islamizador Macron.


A propósito:

França: voto muçulmano torna impossível vitória de um candidato não pró-islâmico

Marine Le Pen arrisca 3 anos de prisão por mostrar o que é o ISIS




- Via  The Sun:

 "‘ VINGANÇA PARA A SÍRIA! ’ - o horror dos reféns em Trèbes - atirador do ISIS mata talhante, toma oito reféns e abate polícia num supermercado francês"
Jay Akbar e Peter Allen, 23 de Março de 2018:



Aparato policial no exterior do supermercado.


    Um suspeito atirou contra polícias e matou um talhante antes de tomar oito reféns num supermercado francês hoje, segundo informações.

    O atacante foi ouvido a gritar "Vingança para a Síria!" antes de entrar em frenesim, em Trèbes, a sudeste de Toulouse.

    Acredita-se que ele tenha disparado seis tiros contra um grupo de polícias que corriam pela rua, atingindo um deles no ombro, deixando-o em perigo de vida.

O atirador disparou seis tiros contra um grupo de polícias que corriam pela rua, em Carcassonne, atingindo um no ombro. Uma das balas partiu a janela do carro.

    O atacante invadiu a loja Super U num suposto ataque terrorista e matou um trabalhador de loja que é entendido como sendo um açougueiro.

    
"Um açougueiro no Supermercado U foi morto a tiros", segundo uma fonte anónima da cidade.

    
“O atirador foi ouvido gritando slogans sobre a guerra na Síria. Ele diz que representa o Estado Islâmico”.

    
"Ele sacou uma arma e disparou cinco vezes, ferindo um agente", disse outra fonte em Trèbes, que afirma ter visto o homem transportando granadas.

    
O presidente da câmara de Trèbes, Eric Menassi, confirmou o ataque e disse que sete reféns já foram libertados, deixando o atirador sozinho no supermercado com outro polícia.
    A polícia teria cercado o supermercado no sul da França.

Um helicóptero militar sobrevoa o supermercado Super U, onde o atirador tomou reféns.

    O Ministério do Interior francês confirmou que uma operação estava em curso no supermercado, mas não deu mais detalhes sobre os relatos de uma situação de reféns.

    
A AFP informou que o ISIS assumiu a responsabilidade pelo ataque, mas o grupo terrorista, enfraquecido, usa os ataques terroristas como ferramenta de propaganda, mesmo quando não lhe estão associados.

 Veículos de emergência chegam ao supermercado Super U, onde o suspeito do massacre em nome do Estado Islâmico foi morto.


   Houve inicialmente relatos contraditórios no meio ao caos do tiroteio, com o L’independent afirmando que dois homens atiraram contra a Polícia de dentro de um carro. 
  Um dos funcionários da Compagnies Républicaines de Sécurité foi levado à pressa para o hospital depois de atingido com uma bala no ombro.

    
Os polícias que foram baleados em - todos parte da unidade CRS 57, em Carcassonne - estavam de folga quando foram atacados a cerca de 3 quilómetros do supermercado….

...........................................................


Já tivemos portugueses vitimados pela nova vaga de jihad na Inglaterra, em África, em França, na Síria, mas não se fala nisso. A não ser quando são jihadistas portugueses a morrer. Nesse caso são alvo de muita sociologia, muita compreensão e muito carinho. Porque a culpa (não esqueça!) é sempre "nossa", dos ocidentais. Para as pessoas cultas e sofisticadas, nada é o que é. Já devem estar a fazer vídeos a dizer que foi mais um "false-flag".

Palmira Silva decapitada por muçulmano


...........................................................

Este senhor do ISIS que hoje matou (até agora) 3 inocentes e feriu muitos mais, alegou que queria "vingança para a Síria".
Na Síria, o ISIS administra a luz do Islão da forma que o vídeo abaixo documenta: mandam parar uns inocentes camionistas muçulmanos, perguntam-lhes quantas vezes se deve rezar por dia, eles erram a resposta e são sacrificados ali mesmo.
O que têm a ver com isto os franceses e o português que hoje perderam a vida? O que temos nós todos a ver com uma ideologia que se dedica a matar toda a gente, há 1400 anos?




P.S. - Um grande abraço para o grande herói Luís Silva, que por acaso não estava em Carcassone, e foi pena.

1 comentário:

  1. Meu Deus do céu... como ficará este nosso continente daqui a uns poucos anos? Vai sobreviver a isto? Quantas vidas vão ter de ser sacrificadas ao Moloch da igualdade para que a nossa gente acorde? Quanto tempo vamos ter que esperar e sobreviver até que esta Babilónia Europeia queime de vez? ...

    ResponderEliminar

Os comentários estão desactivados. As nossas desculpas.

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.