quarta-feira, 21 de março de 2018

14 novos órfãos israelitas em um mês graças ao terrorismo "palestino"


Funeral de Adiel Kolman, assassinado à facada em Jerusalém. Não faz mal. São judeus. Nasceram para sofrer.

Por: Giulio Meotti  
Em apenas um mês em Israel, a mesma cena ocorreu três vezes em três lugares diferentes: Har Braja, Havat Gilad e Kojav Hashajar. 

Centenas de pessoas reuniram-se num cemitério, às vezes improvisado.  
As vítimas, todos jovens israelitas, civis, pais, maridos. 
Assassinados pelos terroristas árabes "palestinos" apenas porque eram judeus.  
Famílias em agonia. Jovens esposas e mães de luto, pequenas comunidades devastadas por mortes violentas que destroem o senso de segurança.  
Não há condenações para os "parceiros para a paz" "palestinos".  
Vozes ténues e inaudíveis da Europa.  
Horríveis títulos de jornal. 

As orelhas e os olhos ocidentais estão cheios de imagens de jovens árabes "palestinos", muitas vezes impostores como Ahed Tamimi, a menina mimada da "Intifada popular", mas nunca destes 14 órfãos israelitas. 
Duplos órfãos, porque os seus pais foram mortos duas vezes; primeiro pelos terroristas, e a seguir, pela indiferença ocidental. 
Um ataque estava ser realizado em Jerusalém, enquanto dois serviços funerários estavam a decorrer, pelos dois soldados mortos em Mevo Dotan, e as Forças de Defesa de Israel estavam ocupadas a demolir novos túneis em Gaza construídos pelo Hamas para atacar os israelitas. 
De manhã à noite, os árabes "palestinos" só pensam em como matar os israelitas. 
Eles vêem que a Europa está em silêncio após os massacres, a Imprensa submete-se às suas ideias alucinadas de pesadelo, e a ONU paga-lhes
Em suma, este é um dos únicos casos da História em que o terrorismo é universalmente louvado, especialmente se você for um terrorista que tenha a sorte de sobreviver ao ataque. Refeições quentes, televisão por cabo, artigos de jornal e 2.500 euros por mês oferecidos pela marioneta que vive em Ramallah à custa da ajuda internacional.
Que imagem mais sombria.
Qualquer guerra deve terminar com um perdedor. O "processo de paz" deu aos árabes a ilusão de que eles podem alcançar a vitória final sobre os judeus. A guerra terminará quando os árabes perceberemque perderam.
Infelizmente, os árabes "palestinos" ainda não entenderam que Israel está na sua terra para ficar, e nunca mais perderá a sua soberania.



COMENTÁRIO

A mentalidade geral funciona assim - por exemplo:

"Palestino" executa israelita, pai de 4 filhos




A reacção não existe, porque a Imprensa global ESCONDE o terrorismo que vitima os judeus. Mas se o mostrasse, a reacção seria: 
"- Valente cheguevara árabe que matou o porco do judeu à facada! Viva!"
Por outro lado:
Uma jovem estrela de cinema, profissional da provocação, ataca soldados israelitas ao pontapé e à bofetada, com uma bateria de jornalistas fotógrafos e cameramen de todo o mundo a recolherem as imagens. Os soldados levam pancada, são insultados, e calam-se: 
Soldados levam murros e pontapés de meninas, e calam-se



Passa em todos os telejornais do Mundo. As reacções são: 
" - Pobre menina! Que luta desigual! Os porcos dos judeus com armas de fogo e ela, coitadinha, desarmada!". 
Petições, condenações, marchas, judeus atacados em todo o mundo, acusações de que os judeus causaram o Holocausto apenas para aprenderem a maltratar as pessoas, etc., etc..
"E esse ganda porco do Amigo de Israel ainda defende esses nazis! Os judeus invadiram Israel e expulsaram os árabes, e eles estão apenas a defender-se!".

Não sabem - e sobretudo não querem saber:


1 - Que os judeus são o povo nativo de Israel, onde está ininterruptamente há quase 4 milénios. 
 Ver HISTÓRIA DE ISRAEL 
2 - Que a INTIFACADA é a campanha lançada por Mammoud Abbas para chacinar os judeus por todos os meios - facada, machadada, atropelamento, tiros, bombas, etc., e que os terroristas e as famílias são pagos e canonizados como mártires.
3 - Que antes de 1920 a presença dos Árabes em Israel era esporádica. Israel foi ocupado por muitos povos ao longo da História. Os últimos ocupantes foram o Turcos Otomanos (e nessa altura Israel era um canto esquecido do Império, onde viviam os judeus, como sempre, e alguns esporádicos beduínos, arameus, samaritanos e árabes de passagem). 



4 - Que Israel cumpre todos os requisitos do Direito Internacional e tem ainda a particularidade de ser o único país fundado por Deus. Quem é ateu ri-se, e está no seu direito, mas os muçulmanos e os cristãos podem consultar o Alcorão e a Bíblia, respectivamente.
5 - Que quando os muçulmanos perceberam que Israel poderia ambicionar a restauração da sua independência, invadiram Israel em massa. Foi em 1920 e está bem documentado, inclusive em filmes.   Israel deu-lhes 88% da sua terra, que são hoje a Jordânia, mas não chega... 6 - Que Israel é o único país livre e democrático do Médio Oriente (de que é apenas 0,5% em área), e que tem o exército mais moral da História. E que é atacado por exércitos árabes coligados e por grupos terroristas poderosos, como o ISIS, o Hamas, ou o Hezzbollah.

7 - Que a opinião pública é enganada pela campanha global de demonização de Israel, financiada pelos países islâmicos, pela esquerda e pelos neo-nazis, conhecida como PALLYWOOD:

8 - Que a estória de "pedras contra armas" é uma estúpida falácia, pois não só Israel é permanentemente atacado por grupos terroristas e nações muçulmanas muitíssimo mais fortes, como os "românticos atiradores de pedras" matam civis desarmados.

Umas pedrinhas de nada! - 1

Umas pedrinhas de nada! - 2

Umas pedrinhas de nada! - 3

9 - Que Israel é o único país do Médio Oriente seguro para os não-muçulmanos. Nos outros, eles são perseguidos, torturados e chacinados. Em Israel todas as pessoas são iguais em direitos (os muçulmanos, lá como cá, não têm deveres), e os muçulmanos (ao contrário do que acontece nos seus países) ocupam os lugares que queiram na sociedade. Ao passo que na generalidade dos países islâmicos os judeus nem podem sequer entrar.

10 - Que a Palestina árabe é uma invenção dos soviéticos e antes disso jamais alguém falava de tal absurdo. Um de muitos MITOS SOBRE ISRAEL.
Etc.. A seguir à independência de Israel, a maioria dos países islâmicos expulsou os judeus lá residentes há séculos. Israel, pelo contrário, continua a absorver colonos muçulmanos empenhados em destruir Israel, pelas armas e pela demografia. É hora de Israel os expulsar. É justo. É sensato. E pior não fica.


1 comentário:

  1. https://www.msn.com/pt-br/noticias/mundo/entenda-o-esc%C3%A2ndalo-de-uso-pol%C3%ADtico-de-dados-que-derrubou-valor-do-facebook-e-o-colocou-na-mira-de-autoridades/ar-BBKtAVY?OCID=ansmsnnews11
    https://www1.folha.uol.com.br/mercado/2018/03/entenda-o-escandalo-do-uso-de-dados-do-facebook.shtml

    ResponderEliminar

Os comentários estão desactivados pois o blogue está inactivo. As nossas desculpas por qualquer incómodo.

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.