quinta-feira, 15 de março de 2018

Activista "palestina" confirma relatório de Israel sobre o incidente mortal da flotilha de 2010

Armas encontradas no navio turco Mavi Marmara, parte de uma frota para Gaza em 2011. (Itamar Moatty / IDF / Flash90)

Uma activista pró-'palestina' envolvida na infame flotilha de Gaza de 2010,confirmou o relatório israelita dos eventos que levaram a várias mortes.
Por: JNS.org
Uma importante activista pró-'palestina' envolvida na flotilha Mavi Marmara, que se propôs infiltrar-se nas águas territoriais israelitas a caminho de Gaza, em Maio de 2010, confirmou a versão israelita dos eventos que levaram a várias mortes e a um grande impasse diplomático entre Israel e Peru.
Oito activistas turcos e um turco-americano morreram depois de os comandos das Forças de Defesa de Israel terem tentado assumir o controle do navio ilegal, que saiu da Turquia para a Gaza controlada pelo Hamas e invadiu o perímetro de segurança israelita destinado a impedir que o grupo terrorista importasse armas.
Postando num grupo secreto pró-'palestino' britânico do Facebook, a co-fundadora e porta-voz do Movimento de Gaza Livre, Greta Berlin, declarou que as tropas israelitas não abriram fogo antes de Ken O'Keefe, um ex-Marine dos Estados Unidos que seguia a bordo do Mavi Marmara, ter arrancado uma arma de um dos soldados.
"Ele foi responsável por algumas das mortes a bordo do Mavi Marmara", escreveu Berlin. "Se ele não tivesse desarmado um soldado israelita ... eles não teriam começado a disparar. É o bastante. A maioria de vocês não tem ideia sobre aquilo de que falam".
Os comentários de Berlin, publicados no grupo Palestine Live em 2014, foram descobertos pelo pesquisador e blogger David Collier, que também revelou a participação do líder do Partido Trabalhista da Grã-Bretanha, Jeremy Corbyn.
Os comandos do IDF relataram que foram atacados com tacos, facas e varas de metal, quando desceram ao barco em cordas a partir de helicópteros, com três soldados sendo capturados.
No entanto, os activistas - incluindo Berlin, que não estava no navio - afirmam publicamente que as forças israelitas abriram fogo assim que chegaram a bordo.
Berlim e Corbyn usaram a sua versão dos eventos para difamar Israel na praça pública.
"Vocês acham que foi inteligente ele tirar a arma a esses doidos a bordo do MM [Mavi Marmara]?", perguntou Berlim em outro post. "E depois escondeu-a, para que os israelitas pudessem dizer que encontraram uma arma a bordo? Está bem...".
O'Keefe havia dito anteriormente que Israel "deve ser destruído", e que o Estado judeu estava "directamente envolvido" nos ataques do 11 de Setembro.

..............................

 No post

Reino Unido: Líder Trabalhista amigo dos jihadistas e dos nazis

já tínhamos sublinhado a hipocrisia destas pessoas, que sabem a verdade, mas contam mentiras para denegrir o país que escolheram odiar - sem qualquer razão justa. Este caso é mais um exemplo.
Esta flotilha dirigiu-se a Gaza numa acção de propaganda, atacou os soldados, e, como de costume, queixou-se de que estes não se deixaram matar pacificamente.
Para quem se interesse, os filmes dos acontecimentos estão abaixo:
 

 


Sem comentários:

Enviar um comentário

Os comentários estão desactivados. As nossas desculpas.

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.