terça-feira, 28 de abril de 2015

Também tu, Conan O'Brien?


Tá quieto, macaquinho! - Chamar "macaco" (na melhor das hipóteses) a George Bush era uma obrigação de todo o humorista que se prezasse e não só. Hoje, quem se atrevesse a tomar tais liberdades com Obama, seria proscrito.

Após um dia de trabalho, uma das minhas maiores recompensas é estender-me a ver o magnífico programa de Conan O'Brien. Um oásis de humor louco e inteligente, que nos faz esquecer as chatices todas da vida. Conan é uma instituição. E uma terapia.

Pelo menos assim costumava ser. Ultimamente, o programa tem-se Jonstewartizado * perigosamente.  

* Jon Stewart, para quem não sabe, é (ou era, que parece que já lá chegou o novo apresentador islamonazi) o apresentador do Daily Show. Outro programa que foi bom até se ter convertido num órgão de propaganda de Barack Hussein Obama e seu gangue.

Jon Stewart deu o seu melhor para vulgarizar o horror da jihad.
Deixei de o ver. Desde o dia em que ele achou boa ideia promover a islamófila Hillary Clinton usando o sórdido episódio de Chris Stevens, embaixador dos Estados Unidos na Líbia, sodomizado até à morte por uma turba de bárbaros islamistas, que assassinaram quatro norte-americanos no processo.
Os terroristas amigos de Obama atacaram a embaixada em Benghazi, enquanto Sua Excelência jogava o seu golfe e a sua equipa flanava. O Mundo esteve-se nas tintas (como se está para a subida vertiginosa de baixas Aliadas e do terrorismo islâmico desde que Obama é presidente). Stewart "brincou" com o envolvimento da pré candidata Hillary. Eu diria que é no mínimo mau gosto. Mas, para as mentalidades modernaças, é tudo completamente relativo - eu digo batata, tu dizes terrorismo....

Graças a Deus, hoje há Internet, e há cidadãos corajosos que põem os pontos nos ii:



 CONAN CONFRANGEDOR

Conan costumava ser isento. Depois veio Obama, e Conan passou a incluir no seu monólogo de abertura uma secção fixa de propaganda, sob a forma de umas piadas fofinhas, a louvar as gracinhas do presidente, da sua bela Esposa, das suas encantadoras filhas e do seu patusco cão de água português. Para ajudar a tapar o descalabro desta presidência, e do consequente desmoronamento dos Estados Unidos e do Mundo Livre. É confrangedor.


Conan O'Brien ao serviço de Sua Majestade...

Fazer vénias de submissão a Obama é uma regra não  escrita da nossa época. Não há fim-de-semana em que o assunto candente que arrepia de emoção o planeta Terra não seja mais uma gracinha da Família Real norte-americana. Nem a carismática família de John F. Kennedy exerceu um fascínio tão grande.

Não temos a mínima dúvida de que um humorista ou um jornalista mainstream que se atrevessem a expor Obama e as suas ligações ao terrorismo islâmico global, teriam a carreira acabada - se não a integridade física em risco.

Rever: 


E a secção Obama.

A propaganda despudorada a Obama monopoliza já o sector do entretenimento. Conan incluído.

DEUS E O DIABO


O jovem muçulmano Obama e o jovem cristão Bush, ou Deus e o Diabo, para a Imprensa.

O norte-americano George W. Bush foi provavelmente o líder de um país democrático mais vilipendiado da História. A Imprensa transformou-o na própria imagem do Diabo, e a Esquerda ampliou esse efeito tanto quanto pôde. 

O muçulmano queniano Barack Hussein Obama é provavelmente o líder de um país democrático mais aclamado da História. A Imprensa transformou-o na própria imagem de Deus, e a Esquerda ampliou esse efeito tanto quanto pôde.

CONAN SEM GRAÇA



Vídeo removido pelo lóbi islamofascista.

Será isto entretenimento? Ou puro servilismo ao Poder? Se se tratasse de Laura Bush e não de Michelle Obama, seria, obviamente!

Desde que a pré campanha eleitoral norte-americana deu os primeiros sinais, que Conan passou a arrasar sistematicamente todos os líderes republicanos, que retrata como broncos que acreditam na leitura literal da Bíblia e renegam a Ciência; seres sanguinários que possuem arsenais de armas em casa (Conan não fala do terrorismo islâmico e dos campos de treino de jihadistas em solo norte-americano); robôs capitalistas que se alimentam do sangue dos pobres trabalhadores.

Ontem o programa simplesmente não teve graça. Para além das habituais piadas venenosas sobre os republicanos, para além da habitual propaganda a Obama (Michelle Obama enviou um vídeo a exortar Conan a fazer mais exercício físico, vejam que fofinho!), a Senadora Elizabeth Warren, democrata, Obamista, trajando de vermelho por fora e por dentro, montou um pequeno comício comunista, sem oposição.

O resto foi basicamente uma cena confrangedora de Ricky Gervais deitado sobre Conan e com Andy Richter deitado sobre os dois. Bóf!

Não te reconheço, Conan O'Brien.



Vídeo removido pelo lóbi islamofascista.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.