quinta-feira, 2 de abril de 2015

Irão - "Apagar Israel do mapa não é negociável"!

 

Enquanto Barack Hussein Obama se impacienta com a demora do Mundo em tornar o regime terrorista Irão uma potência nuclear, os iranianos gritam em uníssono: "MORTE À AMÉRICA!!!". O grupo P5+1 precipita-se para um acordo que permitirá ao Irão possuir bombas atómicas. Enquanto isso, um destacado líder militar declarou que destruir Israel é "não negociável".


Um regime terrorista desta magnitude com armas nucleares é fiável?

 "APAGAR ISRAEL DO MAPA"

Mohammad Reza Naqdi, o comandante da milícia Basij do Corpo da Guarda Revolucionária do Irão, declarou que "apagar Israel do mapa" é assunto "não negociável".


"Os Sionistas que fiquem cientes de que a próxima guerra não se limitará às suas fronteiras. Os Mujahedeen vão invadi-los", declarou em Agosto de 2014, quando a República Islâmica do Irão anunciou a sua intenção de "acelerar" o rearmamento dos Árabes via Autoridade Palestina na Judeia e Samaria.

"O Irão vai acelerar o rearmamento da Cisjordânia e reserva-se o direito de responder como lhe aprouver" - disse também nessa altura o General Amir-Ali Hajizadeh no Sepah News, órgão oficial do supracitado corpo de guardas.

Carregamento de armas do Irão para o Hamas, apreendido pelas Forças de Defesa de Israel, em Março de 2014.
Para além de abastecer a entidade terrorista "Autoridade Palestina", liderada por Abu Mazen, vulgo Mammoud Abbas, o Irão é um dos maiores fornecedores de armas aos terroristas do Hamas.

NETANYAHU INSISTE...



Benjamin Netanyahu
"Ontem, um general iraniano voltou a declarar abertamente que - e cito - 'a destruição de Israel não é negociável'" - disse o Primeiro-Ministro de Israel esta quarta-feira.

"Isto é inaceitável. Concordo com aqueles que disseram que a alegação do Irão de que o seu programa nuclear é apenas para fins pacíficos não se enquadra com a insistência do Irão em manter as instalações nucleares subterrâneas, centrifugadoras avançadas e um reactor de água pesada.  

Também não se enquadra com a insistência do Irão no desenvolvimento de mísseis balísticos de longo alcance e com a sua recusa em clarificar a situação perante a Agência Internacional de Energia Atómica em relação aos seus esforços de desenvolvimento de armas. 

Ao mesmo tempo, o Irão acelera a sua campanha de terror, subjugação e conquista de toda a região, mais recentemente, no Iémen." 

"As concessões oferecidas ao Irão em Lausanne garantiriam um mau negócio que colocariam em risco Israel, o Médio Oriente e a paz do mundo", continuou o líder israelita . "Agora é o momento de a comunidade internacional a insistir num acordo melhor. (...) O Irão deve parar a sua agressão na região, parar o seu terrorismo em todo o mundo e parar as suas ameaças de aniquilar Israel. Isso deve ser inegociável, e é nisso que as potências mundiais devem insistir".


A IGNORÂNCIA NÃO PROTEGE NINGUÉM!


 - Os líderes do Mundo Livre parecem pouco preocupados com a devastação que o Irão está a provocar no Médio Oriente e no mundo inteiro, como patrocinador número 1 do terrorismo global. O muçulmano Obama continua no seu golfe. Tudo de encaminha para um confronto de proporções inéditas, que não envolverá unicamente Israel e o Irão, pois o Eixo do Mal não deixará de responder ao chamamento para aniquilar a única democracia do Médio Oriente. Mais uma vez, teremos David contra Golias.

"E que posso eu fazer para evitar estas tragédias todas?" - perguntará quem nos lê. Pode fazer muito. Pode passar palavra, pode não alinhar na indiferença, e pode assinar a petição contra o terrorismo islâmico


Sem comentários:

Enviar um comentário

Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.