terça-feira, 1 de agosto de 2017

Azarito, vampirito!



Tal como o embaixador da "Autoridade Palestina" na ONU, a Al-Jazeera lusitana, vulgo Al-Público, continua a promover o terrorismo abertamente, deixando de lado a duplicidade de discurso até aqui vigente - com a ajuda dos Al-Públicos da vida, o anti-semitismo já está a níveis pré II Grande Guerra e já se pode.
Perante a onda de assassinatos de israelitas a que aqui chamamos INTIFACADA, o velho  Al-Público dá voz à conhecida jihadista Shahd Wadi, (membro do Bloco de Esquerda e outros grupos de gente de ideologias assassinas) que, entre as clássicas mentiras da propaganda neo-nazi/islamista e os habituais libelos de sangue, afirma:
Pode ir lá à notícia e deixar a sua "sugestão de correcção".
O anti-semitismo puro e duro, à luz do dia, está de volta: Narciso Machado.

Mas a má-fé, a mentira descarada, a difamação, o branqueamento do terrorismo, a manipulação, o anti-semitismo mais raivoso e mais fanático, deste outro propagandista do Al-Público, é ainda pior. Esta criatura pelos vistos é juiz e debita as mais descabeladas ALDRABICES, toldada pelo ódio doentio que lhe corrói o ser.

Israel, o minúsculo Estado que cabe 4 vezes dentro de Portugal,  respeita escrupulosamente o Direito Internacional, os Direitos Humanos, é a única democracia do Médio Oriente e possui o Exército mais ético da História. A Jordânia, Gaza e a Península do Sinai foram dados aos Árabes - e nem 1 milímetro de Israel lhes deveria ter sido dado! Porque raio há-de Israel dar a sua Terra???
- Diz esta espécie de nazi requentado com batatas a murro, que Israel pratica "apartheid" porque instalou detectores de metais na entrada do Monte do Templo. O Monte do Templo está ilegitimamente ocupado pelos muçulmanos, que aí praticam o apartheid, como praticam em todo o lado. Desde logo, judeus e cristãos não entram!
- Omite que os detectores foram instalados após o assassinato de mais dois israelitas, por muçulmanos armados que levaram as armas para a mesquita no Monte do Templo. E que existem detectores de metais em Meca, no Vaticano, em toda a parte - e aí já não são "apartheid"!
- Omite a campanha islâmica de genocídio dos judeus que dura desde o século 7, e que é diariamente instilada por Mammoud Abbas e Companhia, e cita um episódio de uma represália de jovens judeus que mataram um árabe - e que foram condenados a prisão perpétua. Não diz que esses jovens judeus estavam de cabeça perdida por causa do rapto e assassinato de três jovens judeus
- Omite ainda que, enquanto a política oficial dos seus amigos "palestinos" é premiar com milhões os assassinos de judeus, Israel condena a perpétua os judeus que pagam na mesma moeda aos terroristas.
 - Afirma que existem "refugiados palestinos", mas não diz que são colonos árabes que chegaram a Israel em 1920 e que saíram de Israel voluntariamente para que os exércitos árabes coligados "atirassem os judeus todos ao mar". Israel ganhou a guerra, sem ter exército nem armas! Azarito, Narciso! :-)
 - Fala de "territórios ocupados", quando estes não existem, pura e simplesmente. A Judeia E Samaria são Israel:

Usem as palavras CORRECTAS

Imprensa e entidades oficiais: Usem as palavras correctas; a "Cisjordânia" não existia há 46 anos, e a "Palestina" é uma pura invenção.


- Mas, mesmo assim, Israel deu aos árabes a Jordânia, a Península do Sinai e Gaza. E quer há décadas negociar a doação de terras na Judeia e Samaria - o que se passa é que os árabes apenas aceitam a destruição total de Israel:

História de Israel - Porque é que não há paz?


Mas a vampiros assim, que não têm nenhuma crítica aos países islâmicos e  à jihad, nada contenta, a não ser a extinção dos judeus.
Exige este sinistro indivíduo que Israel dê ainda mais terra aos "palestinos", que por sua vez não aceitam menos que TODO o território de Israel.



Mas mais vale que cuspilhe o seu veneno do que chore lágrimas de crocodilo pela extinção dos judeus - que ele tão ardentemente deseja! Tal como Hitler, Stalin ou Maomé, a quem estes narcisos odeiam é ao Deus de Israel. Não lhE podendo chegar, fuzilam o mensageiro. Mas...

ISRAEL VIVE!


 Gênesis 12
2Eis que farei de ti um grande povo: Eu te abençoarei, engrandecerei teu nome; serás tu uma bênção! 3Abençoarei os que te abençoarem, amaldiçoarei aquele que te amaldiçoar. Por teu intermédio abençoarei todos os povos sobre a face da terra!” 4Então partiu Abrão como o orientara o SENHOR, e Ló o acompanhou. Abrão tinha setenta e cinco anos de idade quando saiu das terras de Harã.…


-----------------------------










Q Al-Público, sempre aberto aos assassinos de judeus e seus apoiantes - como a jihadista Shahd ou este Narciso - já tinha dado voz, por exemplo, ao terrorista  representante da "Autoridade Palestina" em Portugal, apelando à continuação do Holocausto em versão século 21:

TERRORISMO NO PÚBLICO 



O Al-Público é o exemplo de uma Imprensa podre, que só sobrevive como nós sabemos, e só porque me mandaram o libelo da terrorista é que passei os olhos por essa folha de couve nauseabunda.

 Questionário «palestino»:

1. Quando é que o país foi fundado e por quem?  
2. Quais foram as suas fronteiras?  
3. Qual foi a sua capital?  
4. Quais foram as suas cidades mais importantes?  
5. Quais foram as bases de sua economia?  
6. Qual foi a sua forma de governo?  
7. Pode citar pelo menos um líder palestino antes de Arafat?  
8. A Palestina alguma vez foi reconhecida como um país cuja existência, então ou agora, não deixa margem a interpretação?  
9. O que era a língua da Palestina?

10. Qual era a religião predominante da Palestina?


11. Qual era o nome de sua moeda? Escolha uma data qualquer na história e diga qual era a taxa de câmbio da moeda palestiniana em relação ao dólar dos EUA, ao marco alemão, à libra esterlina, ao iene japonês ou ao yuan chinês na referida data.


12. E, finalmente, dado que este país não existe actualmente, que é o que causou o seu desaparecimento e quando é que ocorreu? Você que lamenta o "afundamento" de uma orgulhosa e nobre nação ", diga s.f.f, quando exactamente é que essa "nação" era orgulhosa e nobre?

Poucos países possuem a legitimidade de Israel, e nenhum deu tanto do seu território e fez tantas cedências em troca de uma paz que jamais virá, enquanto o Mal imperar - personificado pelas Shahds e pelos Machados da vida:


Os heróis dos narcisos:





No ataque terrorista contra a delegação israelita nas Olimpíadas de Munique, planeado pelo actual líder "palestino" Mammoud Abbas, os  jihadistas torturaram e mutilaram os atletas antes de os assassinarem (como aconteceu em Paris, no Ba-ta-Clan). O halterofilista Yossef Romano foi castrado e os companheiros obrigados a presenciar. O ódio e o supremacismo islâmico é a única razão do conflito israelo-árabe.


Porque é que não há paz?
Os palestinos tiveram inúmeras oportunidades para criar um Estado independente, mas têm repetidamente rejeitado as ofertas:
Em 1937, a Comissão Peel propôs a divisão da Palestina e a criação de um Estado árabe.

Em 1939, o Livro Branco britânico propôs a criação de um Estado árabe, mas os árabes rejeitaram o plano.


Em 1947, a ONU teria criado um Estado árabe ainda maior como parte do seu plano de partição. Israel aceitou o plano. Os estados Árabes atacaram quando Israel declarou a Independência.


As negociações de paz de 1979 entre Egipto e Israel ofereceram a autonomia dos 'palestinos', o que teria levado à plena independência.


O processo de Oslo, iniciado em 1993, visava a criação de um Estado 'palestino', mas o terrorismo  dos 'palestinos' destruiu os acordos.


Em 2000, o primeiro-ministro Ehud Barak ofereceu-se criar um estado palestino, mas Yasser Arafat rejeitou o acordo.
Além disso, de 1948 a 1967, Israel não controlava a Judeia e Samaria, (vulgo Cisjordânia). Os 'palestinos' poderiam ter exigido um Estado independente dos jordanos.
Mohammed Assaf, um embaixador da juventude do UNRWA, vencedor do “Arab Idol” e organizador de campanhas para recolher doações, vem glorificando violência no seu Facebook. O seu novo vídeo encoraja a onde actual de ataques, esfaqueamentos, motins, e ataques à mão armada, cantando "Lute até que o agressor seja derrotado". Os muçulmanos vêem-se sempre como vítimas, sendo eles os agressores.

A respostas dos "palestinos" às ofertas de paz por parte de Israel:


Os líderes religiosos islâmicos admitem que ter um Estado é apenas um pretexto: o seu objectivo é o extermínio dos judeus:


O historiador Benny Morris sugeriu que os 'palestinos' têm razões religiosas, históricas e práticas para se oporem a um acordo com Israel, dizendo que "Arafat e sua geração não podem abandonar a visão de que toda a toda a Terra de Israel deve ser conquistada pelos árabes".
Os muçulmanos, que, tal como os cristãos, criaram a sua religião a partir do Judaísmo, decidiram que Israel é uma Terra Santa... islâmica. Decidiram que Israel pertence ao Dar al-Islam [o mundo do Islão].
Tendo uma terra estado uma vez nas mãos dos muçulmanos, então, segundo o Islão, essa terra será sempre dos muçulmanos. É o que vemos actualmente o Califado Global a reivindicar, quando proclama, por exemplo, que a Península Ibérica é por direito deles.
Aliás, ninguém está em segurança: o Islão, tal como o Comunismo e a sua variante alemã, o Nazismo, reivindica todo o planeta.
É inconcebível para os muçulmanos que "infiéis" como os israelitas o receberiam. "Os 'palestinos' também acreditam que o tempo está ao seu lado. Eles acham que a demografia vai derrotar a Judeus em 100 ou 200 anos, assim como aos Cruzados".
Os 'palestinos' também esperam que os árabes adquiram armas nucleares no futuro, que lhes permitam derrotar Israel. Porque é que eles deveriam aceitar um compromisso que é percebido por eles como injusto hoje?".



História das sucessivas tentativas de paz com os árabes, e da sua renúncia a qualquer solução que não seja o extermínio dos israelitas e de Israel:



ALGUNS VÍDEOS QUE DEMONSTRAM QUE O ÓDIO AOS JUDEUS E A NECESSIDADE DE OS EXTINGUIR (SOB PENA DE INVALIDAR O ISLÃO) É A ESSÊNCIA DA IDEOLOGIA MAOMETANA:





  

  

  

O canal PALESTINA LIVRE, enquanto não for censurado, é uma excelente fonte de vídeos traduzidos para Português.
Releia:

DA ALDRABICE E DA POUCA VERGONHA!



2 comentários:

  1. escrevi no al publico:
    «Cara Srª Wadi:
    Os detetores foram colocados porque 2 meliantes árabes usaram um «local de oração» como armazém de armas. Se os crentes não se entendem, a autoridade tem de exercer-se. Em meados do séc. XIX, soldados otomanos estacionavam na Igreja do Sepulcro (veja Eça em «A Relíquia»).

    Em Israel, como em Portugal não há detetores à porta das pessoas, só de edifícios públicos.

    Ninguém entra no Monte Moriá, livremente, senão os muçulmanos -às vezes o fluxo é interrompido por que há motins. Judeus e cristãos visitam, em horas pré-determinadas e sem parar, ou rezar. Parece que o apartheid é dos muçulmanos, só eles podem rezar no topo do monte, sagrado pra Judeus e Cristãos, por ser o local de inserção do Templo judaico, que Jesus usava.

    Em 48 a Jordânia ocupou o Monte até 67 -judeus não entravam para rezar no Muro; cristãos a conta gotas e pagando jizya; em 67, Israel concedeu o controle do Templo à entidade anterior -Waqf de Jerusalém.
    Palestina? Existiu algo com esse nome antes da invenção russa dos anos 60? O nome nem se pode pronunciar em árabe, que não tem P.

    'Tadinhos dos terroristas com facas e metralhadoras -inocentes? A imagem que fala de brutalidade policial: é como aquelas os mortos a rirem da foto do seu enterro? Ou a do puto a chorar pela mãe e noutra posterior com a foto encenada na mão os dois a rir!

    Os habitantes árabes de Jerusalém são israelitas desde 48, ou jordanos (os que estavam na zona oriental da cidade).

    Identidade Palestiniana? Quê? A zona até ao Mandato chamava-se al Cham (sul).

    Colonatos? É o nome que dá ás casas dos judeus que vivem naquela terra Há mais de 3.000 anos?
    Gaza é independente de Israel e...do Egipto -não tem infraestruturas para o povo? Mas tem Mansões para os lideres do Hamas! ou para túneis de contrabando de pessoas, drogas, armas (you name it). Aliás o Egipto já criou uma zona vazia -demolindo casas- do seu lado para controlar o crime organizado!
    Há detetores à entrada da Caaba, mas não pode haver na base do Monte Moriá?

    Os terroristas e assassinos judeus estão presos por Israel; os assassinos árabes -e famílias- são sustentados com o dinheiro que a ONU e UE dão para infraestruturas... -é a diferença entre um estado de direito e um bando de facínoras
    Cara Senhora, vá pregar as suas pós verdades para outra freguesia -aqui há quem saiba ler...


    ResponderEliminar

Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.