sexta-feira, 26 de janeiro de 2018

Mais um jacto particular de 50 milhões para o mega-terrorista Abbas

Apesar dos grandes cortes de financiamento por parte dos Estados Unidos, a "Autoridade Palestina" comprou mais um luxuoso jacto privado no valor de 50 milhões de dólares para o seu líder, o mega-terrorista Mahmoud Abbas.

"Palestinos" compram jacto privado de 50 milhões para Abbas 
Enquanto verbera a decisão dos Estados Unidos de cortarem a ajuda aos "palestinos", a AP comprou mais um jacto privado para Abbas. 
Por: Margot Dudkevitch, World Israel News 



A "Autoridade Palestina" (AP) anunciou que comprou mais um jacto privado de 50 milhões de dólares para seu líder, Mahmoud Abbas. 
A compra ocorre quando os "palestinos" estão pedir assistência financeira à Europa e a outros países, na sequência da decisão dos EUA de reduzir fundos para a AP. De acordo com relatos na Imprensa "palestina", o avião deverá chegar dentro de algumas semanas a Amã, na Jordânia. 
Explicando a compra, as autoridades "palestinas" disseram que 30 milhões vieram do Fundo Nacional Palestino e o restante do orçamento anual da AP.


O Mundo Livre envia milhões para o mega-terrorista Mahmoud Abbas, líder da organização terrorista Fatah e presidente da Autoridade "Palestina". Abbas gasta tudo em terrorismo contra Israel e em vida faustosa. Está a construir mais um palácio, em Surda, Ramallah, com uma área total de 27,000m2 e o módico custo de 13 milhões de dólaresNão é notícia.

Devido à completa deterioração do relacionamento AP-Estados Unidos nas últimas semanas, funcionários da Casa Branca disseram que os EUA estão a reexaminar  seriamente a sua política de ajuda financeira aos "palestinos", mas insinuaram que, se Abbas retornar à mesa de negociações, isso poderá mudar.
Na sequência da decisão da administração Trump de reduzir cerca de 65 milhões de dólares em fundos para a Agência de Obras e Auxílios das Nações Unidas para Refugiados Palestinianos (UNRWA), a embaixadora dos EUA na ONU, Nikki Haley, também está a pressionar Washington para reduzir o financiamento para a AP. 
Enquanto isso, a agência de notícias oficial "palestina" Wafa publicou no seu site uma carta ao governo Trump enviada por cerca de 20 organizações internacionais, principalmente com sede nos EUA, protestando contra a decisão de reduzir fundos para a UNWRA
"Estamos profundamente preocupados com as consequências humanitárias desta decisão sobre a assistência a crianças, mulheres e homens", afirmou a carta. Eric Schwartz, presidente da Refugees International e ex-secretário adjunto de Estado, População e Refugiados dos Estados Unidos, foi citado na carta, dizendo que "esta decisão visa punir os líderes políticos 'palestinos' e forçá-los a fazer concessões políticas".






COMENTÁRIO


Claro que ler, assistir a vídeos, estudar, raciocinar, procurar a VERDADE, não está nos horizontes de toda a gente. Seguir encarneirado na lavagem cerebral dos media e repetir as imbecilidades das celebridades é mais fácil. É mais in, mais cool e mais trendy.

Os maometanos não toleram a existência de Israel, o único Estado judaico do Mundo. Como não toleram a existência de qualquer Estado não islâmico, e trabalham no projecto do Califado Global há 1400 anos. Com assinalável êxito. 1/4 da população do mundo é hoje maometana. A estratégia é simples: invadir, conquistar, converter pela força, exterminar quem se recusa. E punir com a pena de morte quem queira abandonar o Islão.
A reivindicação maometana sobre Israel (que é apenas 0,02% do mundo muçulmano, sendo os judeus apenas 0,17% da Humanidade) é a mesma que existe sobre a nossa Península Ibérica, que vem a seguir a Israel na lista de terras a reconquistar.

 O chamado "conflito israelo-árabe"...


... não é sobre território.

Não passa pela cabeça de ninguém sentar à mesa das negociações  os líderes do ISIS, da Al-Qaeda, do Boko-Haram, juntamente com os líderes dos países que eles pretendem conquistar e submeter pela via do terrorismo. Mas a Israel é imposto que negoceie com terroristas como Mammoud Abbas (cujo currículo na área é extenso e conhecido).
"Palestina" árabe, que jamais existiu, a não ser na propaganda soviética que se saiu com essa no final dos anos de 1960, é o pretexto actual para a eterna obsessão anti-semita.  
Os países do Mundo, mesmo do mundo não islâmico, enviam biliões às lideranças terroristas islâmicas em Israel. 

Um dos palácios do mega-terrorista Mammoud Abbas, praticante do genocídio e incitador do terrorismo suicida, que não é melhor que o bin Laden mas que VOCÊ ajuda a pagar, com os seus impostos, pois todos os países do Mundo contribuem com a sua "ajuda humanitária" aos pobres colonozinhos muçulmanos que apenas querem exterminar os judeus, os pobrezitos... 

Os Árabes, em Israel, são invasores. E recentes. Em 1920, quando lhes cheirou que o Mandato Britânico da Palestina poderia vir a permitir a restauração da independência de Israel, acorreram de todos os países vizinhos a invadir a nação dos judeus.
Os Britânicos deram 88% da Terra de Israel aos colonos árabes, território que é hoje a Jordânia.  Os nativos, ficaram com 12% da sua terra (que lhes foi atribuída por Deus há 5 mil anos, como consta da Bíblia, e é aceite por cristãos e maometanos), e que é por eles habitada ininterruptamente desde então.
Mas os Árabes  continuam a querer despojar Israel da sua Terra, e a despojar o planeta de Israelitas. É esse o único motivo para todo este burburinho acerca do  "conflito israelo-árabe".
Copiosamente batidos em todas as guerras que moveram ao micro Estado Judaico, mesmo quando fraco e desarmado, os países mometanos usam hoje a difamação global e investem redobradamente no terrorismo da FatahHamas, Jihad Islâmica, Hezbollah e mil e um grupos jihadistas que procuram obliterar Israel.

 
O comunista Chico Louçã e o racista Mamadou Ba em manifestação de apoio ao Hamas. Comunistas e maometanos sempre unidos no apoio à jihad, sobretudo quando é contra Israel.

Tal como os maometanos, os comunistas usam em proveito da sua agenda e interesses pessoais os regimes democráticos e livres que pretendem destruir:


O casal Jocelyne Shashahani aliás Olivia Zemor, e Nicolas Shashahani. Mais dois destacados líderes do movimento pró-terrorista, islamista e neonazi BDS (que pretende a erradicação de Israel e dos judeus). Mais dois "pobres" comunistas milionários. Mais dois HIPÓCRITAS: 


Os cúmplices-chave dea difamação global de Israel são os jornalistas, que alinham ao lado dos terroristas e difundem a narrativa dos judeus maus e dos "palestinos" vítimas. Aconselhamos a leitura deste post e os vídeos onde se mostram as encenações de mortos e feridos, ao melhor estilo de Hollywood:

Jornalistas e terroristas: a mesma luta!

Este artigo em 3 posts é também esclarecedor:




Os líderes terroristas levam vida de luxo, com contas bancárias bilionárias, mansões, aviões particulares, tudo o que um senhor da guerra maometano tem direito. Alguns exemplos (os que temem a VERDADE estão sempre a censurar os vídeos):


O terrorista E BILIONÁRIO Ismail Haniyeh, líder do Hamas poster-boy da Esquerda, Che Guevara do Médio Oriente, passando o copo de whisky para a sua amante ocidental esconder dos fotógrafos.

O Hamas matou 160 crianças 'palestinas' para construir ostúneis do Terror - mas é amado com paixão pela Esquerda e pelos neo-nazis.

VÍDEO: Gaza como nunca a viu




- Vai, meu querido, faz-te explodir e mata muitos judeus, Inch' Allah!...


Mas na cabeça dos ocidentais, existe um imenso continente israelita, e um povo oprimido e faminto, que os malvados dos judeus mantêm prisioneiro, para se divertirem a fazer tiro ao alvo!




1 comentário:

  1. Mais um...
    http://www.chelseafc.com/news/latest-news/2018/01/chelsea-remembers-holocaust-victims.html

    (Quarta, dia 30 jogo com o Bournemouth)

    João Moreira

    ResponderEliminar

Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.