sexta-feira, 19 de dezembro de 2014

Um Templo, Dois Templos, Três Templos

A propósito deste post, um amigo perguntou-nos quantos Templos tiveram afinal  os judeus - dois ou três? Vamos lá então:

O TABERNÁCULO

O primeiro templo judaico foi o Tabernáculo.


 Recriação do Tabernáculo, o templo portátil dos judeus durante o Êxodo

O Tabernáculo era um templo portátil, com que os judeus viajavam, na sua peregrinação pelo deserto, após a famosa fuga do cativeiro egípcio, comandada por Moisés e pelo seu irmão Aarão. No Livro do Êxodo (um dos cinco livros da Torá, e o segundo do Antigo Testamento) encontram-se as instruções para a construção do Tabernáculo, seus artefactos e vestuário dos sacerdotes. Este belíssimo vídeo mostra como era o Tabernáculo:




Não está aqui em causa se foi Deus que criou o Judaísmo (como defendem os judeus e os cristãos mais tradicionalistas) ou se o Judaísmo é uma criação dos judeus (como defendem por exemplo as correntes do Judaísmo Reconstrucionista ou do Judaísmo Humanista).  O blogue não é sobre religião, teologia ou filosofia, interessa-nos o aspecto cultural, genérico. E há que convir que isto é absolutamente 'cool'! Um povo cria/recebe a revelação da primeira religião estritamente monoteísta da História, quando se encontra em fuga pelo deserto (carente de água, de comida e de quase tudo), e leva o seu templo às costas... Não é por acaso que há mais de 3 mil anos que esta epopeia inspira o Mundo.


O PRIMEIRO TEMPLO 

O Primeiro Templo de Jerusalém foi construído no reinado de Salomão, no local onde Abraão havia oferecido o seu filho Isaac como sacrifício. Foi arrasado por Nabucodonosor II da Babilónia, em 586 a.C.. Os seus tesouros foram saqueados e transportados para a Babilónia, e grande parte dos judeus foram feitos cativos. O Exílio Babilónico ou Cativeiro em Babilónia, foi um período particularmente doloroso na História judaica.



Seria assim o Primeiro Templo de Jerusalém

Se falarmos no Salmo 137, possivelmente não se vos acenderá nenhuma luzinha. Mas experimentemos a transcrição da sua passagem mais conhecida:


Junto aos rios da Babilónia- Balada do Exílio


1 Sentados junto aos rios da Babilónia, chorámos, recordando-nos de ti, Sião.
2 Nos salgueiros que lá havia pendurámos nossas harpas.
3 Os que nos levaram cativos pediam-nos uma canção; os que nos tinham oprimido pediam que os alegrássemos e diziam: "Cantem-nos uma cantiga de Sião!"
4 Mas como podíamos nós cantar um cântico do Senhor, estando numa terra estranha?
5 Se me esquecer de ti, Jerusalém, fique inutilizada a minha mão direita.
6 Se de ti me não lembrar, Jerusalém, se não fizer de ti a minha suprema alegria, que a língua se me pegue ao céu-da-boca.

Se não estão a reconhecer, experimentem escutar este clássico de reggae, cuja letra foi extraída do Salmo 137:


A rapaziada que viveu a euforia do disco-sound deve lembrar-se disto...

 O SEGUNDO TEMPLO

Em 516 a.C., após o regresso de mais de 40.000 judeus do Cativeiro Babilónico, foi iniciada a construção, no mesmo local, do Segundo Templo. Este foi destruído em 70 d.C., pelos Romanos, sob o comando do general Tito, como represália pela Grande Revolta Judaica.

Desde há mais de 4 mil anos que a Terra de Israel conhece periodicamente invasões e chacinas, mas os judeus sempre se bateram bravamente, sempre houve resistentes que ficaram, e dos que partiram, muitos tiveram a felicidade de voltar.


Os Romanos arrasaram o Templo, saquearam as suas riquezas, e levaram (um)a Menorá, como ficou imortalizado no famoso Arco do Triunfo de Tito, em Roma.


Esta é a mais famosa das pinturas que retratam a destruição do Segundo Templo. É da autoria de Francesco Hayez (1791 - 1882), considerado um mestre do Romantismo histórico.



Tito deu ordens pouparam um dos muros de suporte do Templo, de modo a que as gerações vindouras fizessem uma ideia da dimensão da construção. A porção de muralha é conhecida como Muro das Lamentações, e é ainda hoje usado como lugar de oração. 



 Jerusalém em tempo real, via Internet, para todo o Mundo

Graças às maravilhas da tecnologia, esse resto de muralha (chamado Kotel), pode ser visto em directo em qualquer parte do mundo, através da KOTEL CAM. Há outras câmaras em Jerusalém, neste e em outros sites, onde qualquer pessoa, em qualquer parte do mundo, pode ver o que lá se passa, em tempo real.


 O TERCEIRO TEMPLO


 Jovem judeu no Instituto do Templo, junto à maqueta do Segundo Templo

Desde o ano 70 da nossa era que o Templo aguarda a reconstrução. Romanos, Persas, Bizantinos, Árabes, Turcos, Cruzados, Mamelucos, Mongóis, Franceses, Aliados da I Grande Guerra, Britânicos, e mais uns quantos, foram invasores da Terra de Israel, também conhecida como a Terra Santa. Apenas sob o domínio judeu Israel e Jerusalém conheceram paz e convívio harmonioso entre credos e povos.

 Antevisão: este terceiro milénio, erguer-se-á em Jerusalém o Terceiro Templo.

Em 1948, a Jordânia - criação pós colonial britânica - invadiu e arrebatou 80% da Terra de Israel. Israel consentiu, em nome da paz... Dos 20% que restaram e após muitas concessões territoriais, muitas tentativas de anexação, muitas guerras desiguais movidas pelo mundo islâmico, os judeus não abrirão mão. Porque ceder mais território tornaria indefensável o pequeno Estado.


Pelo contrário, neste terceiro milénio, Israel construirá o seu Terceiro Templo. O Instituto do Templo está a tratar disso.


Actualmente, é praticamente proibido aos judeus o acesso ao Monte do Templo, o local mais sagrado do Judaísmo e de Israel. Os colonos muçulmanos ocupam o local, com a ajuda dos terroristas do Hamas e do ISIS. Mas este lamentável estado de coisas não será eterno. A famosa Mesquita de Al-Aqsa, que é uma profanação e de um local sagrado, pode ficar no seu lugar. Mas o Templo será reerguido no seu devido local também. Esperemos que se cumpra o velho ditado luso, e que às três, seja de vez!


Chaim Richman, director internacional do Instituto do Templo, com uma réplica da réplica da Arca da Aliança.

Na ficção, muitos têm sido os aventureiros que, como Indiana Jones, procuraram a Arca da Aliança. Os seus colegas do mundo real, não tiveram ainda a sorte de encontrar. Mas quem nos diz que um dia destes não aparece? Seria realmente a cereja em cima do bolo, reconduzir a Arca ao seu devido lugar. 

Que o Terceiro Templo marque uma era de  Paz para toda a Humanidade são os nossos votos.

Shabbat Shalom!

1 comentário:

  1. Há quem diga que o verdadeiro "Terceiro Templo" é este, e que apenas a sua construção trará realmente paz a toda a região: www.elohimembassy.org

    Num artigo que li há uns tempos, falavam que já foram feitos vários pedidos ao governo de Israel para o deixar construir. Será verdade ou mentira? Não sei. No entanto o nome do edifício não deveria deixar nenhum judeu indiferente...

    ResponderEliminar

Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.