sábado, 31 de agosto de 2013

Obama, o Químico



 O Prémio Nobel da Paz apoia abertamente a al-Qaeda. Alô, Mundo... já acordaste?...

Acusação de que Assad usou armas químicas é "absurdo completo", diz Putin

 in Público

No xadrez político, militar e económico da região, os cidadãos da Síria e dos países vizinhos são menos que peões. Putin, que não é mais angelical que os outros, é bem capaz de ter razão nas suas alegações.

Esta notícia pode ter a mesma credibilidade que as "provas" de John Kerry sobre o uso de gás sarin pelo regime sírio, mas apostamos que os media politicamente correctos não vão investigar. Há que não contestar Obama, o poster-boy, o ícone, o campeão, o... Nobel da Paz!

Displicência total em anteriores oportunidades de chegar à paz pela via do diálogo, e ânsia de uma guerra com a Síria, têm caracterizado a actuação da Administração Obama, que continua a adiar encontros com a diplomacia russa para se evitar a "intervenção" - como agora se chama à guerra.

Pensando um pouco como os senhores do Mundo e da Guerra: os sauditas têm todo o interesse num ataque norte-americano contra o regime sírio, amigo do seu arqui-inimigo, o Irão xiita.

Esta imagem fornecida pela Shaam News Network na quinta-feira, 22 de Agosto, 2013, pretende mostrar vários corpos sendo enterrados num subúrbio de Damasco, na Síria, durante um funeral na quarta-feira, 21 Agosto, 2013, na sequência de alegados de um ataque com armas químicas que mataram 355 pessoas. (AP Photo / Shaam News Network).
"EXCLUSIVO: sírios em Ghouta alegam que a Arábia Saudita forneceu gás aos rebeldes para o ataque químico"

Dale Gavlak e Yahya Ababneh para Mint Press News, 29 de Agosto

    
Ghouta, Síria - Com a máquina de guerra a aprontar-se para uma intervenção militar norte-americana na Síria, após o alegado ataque da semana passada, com armas químicas, os EUA e seus aliados podem estar a perseguir o alvo o culpado errado.

    
Entrevistas com pessoas em Damasco e Ghouta, um subúrbio da capital síria, onde as agências de ajuda humanitária Médicos Sem Fronteiras disseram que pelo menos 355 pessoas morreram na semana passada do que elas acreditam ter sido um agente neurotóxico, parecem indicá-lo.

    
Os EUA, Grã-Bretanha e França, bem como a Liga Árabe, acusaram o regime do presidente sírio, Bashar al-Assad, de realizar o ataque com armas químicas que visou principalmente civis. Navios de guerra americanos estão estacionados no Mar Mediterrâneo para lançar ataques militares contra a Síria em punição pela realização de um grande ataque com armas químicas. Os EUA não estão interessados em examinar qualquer prova em contrário, com o secretário de Estado John Kerry dos EUA a dizer esta segunda-feira que a culpa de Assad "é evidente perante o mundo."

    
No entanto, a partir de inúmeras entrevistas com médicos residentes Ghouta, combatentes rebeldes e suas famílias, um quadro diferente emerge. Muitos acreditam que certos rebeldes receberam armas químicas, através do chefe dos serviços secretos sauditas, o príncipe Bandar bin Sultan, e foram responsáveis ​​por realizar o ataque com gás.

    
"O meu filho perguntou-me há duas semanas sobre que armas eram as que ele tinha sido incumbido de guardar", disse Abu Abdel- Moneim, o pai de um rebelde que luta para derrubar Assad, e que mora em Ghouta .

    
Abdel- Moneim disse que o seu filho e outros 12 rebeldes foram mortos dentro de um túnel usado para armazenar armas fornecidas por um militante saudita, conhecido como Abu Ayesha, que estava a liderar um batalhão de rebeldes. O pai descreveu as armas como tendo uma "estrutura em forma de tubo", enquanto outros as compararam a "botijas de gás enormes."

   
Habitantes da cidade disseram que os rebeldes estavam a usar mesquitas e casas particulares para dormir, enquanto o armazenamento das armas tinha lugar em túneis.

    
Abdel-Moneim disse que o seu filho e os outros morreram durante o ataque com armas químicas . Nesse mesmo dia, o grupo militante Jabhat al-Nusra, que está ligada à al-Qaeda, anunciou que iria igualmente atacar civis no reduto de Latakia, afecto ao regime de Assad, na costa oeste da Síria, em suposta retaliação.

    
"Eles não nos disseram o que essas armas eram ou como usá-los", reclamou uma combatente chamada 'K.'. "Nós não sabíamos que eram armas químicas. Nós nunca imaginámos que eram armas químicas".

    
"Quando o príncipe saudita Bandar dá tais armas às pessoas, ele deve dá-las a quem saiba como lidar com elas e usá-los", acrescentou. Ela, assim como outros sírios, não querem usar os seus nomes completos por medo de represálias .

    
Um líder rebelde conhecido em Ghouta e chamado 'J' concordou. "Militantes da al- Nusra Jabhat não cooperaram com outros rebeldes, excepto na luta terrestre. Eles não compartilham informações secretas. Eles simplesmente usaram alguns rebeldes comuns para transportar e operar este material ", disse ele.

    
"Nós estávamos muito curiosos sobre essas armas. E, infelizmente, alguns dos combatentes manusearam indevidamente as armas e originaram as explosões", disse 'J'...

------------------------------

 Enquanto isso, a Al Qaeda já está posicionada para tirar vantagem da ajuda de Obama.

"Em nenhum lugar na Síria controlado pelos rebeldes há uma força de combate secular com quem falar" - New York Times, 28 de Abril de 2013



"Síria: rebeldes juram de lealdade à Al -Qaeda" - USA TODAY, 11 de Abril de 2013





"Rebeldes sírios planeiam ataques para explorar ataques ocidentais" 

Erika Solomon para a Reuters, 31 de Agosto

    
(Reuters) - Os combatentes da oposição em toda a Síria estão a preparar ataques que explorem os previstos ataques militares lideradas pelos EUA, mas não há planos para a coordenação com as forças ocidentais, disse um comandante rebelde sírio no sábado .

    
Os Estados Unidos disseram nesta sexta-feira que estavam a planear uma resposta limitada para punir o presidente sírio, Bashar al- Assad por um ataque com armas químicas "brutal e flagrante" que matou mais de 1.400 pessoas em Damasco há 10 dias. Washington tem cinco destroyers, equipados com mísseis, na região.

    
O governo sírio nega o uso de armas químicas.

    
Qassim Saadeddine, um ex-coronel do exército sírio e porta-voz do Supremo Conselho Militar dos Rebeldes, disse que o conselho enviou aos grupos rebeldes um plano de acção militar para usar caso os ataques ocorram.
    "A esperança é aproveitar quando algumas áreas estiverem enfraquecidas. Nós pedimos a alguns grupos para se prepararem em cada província, para terem os seus combatentes prontos para quando o ataque acontecer", disse ele à Reuters, falando por Skype.

    
"Foi-lhes enviado um plano militar que inclui os preparativos para atacar alguns dos alvos que esperamos sejam atingidos por ataques estrangeiros, e alguns outros que esperamos
atacar ao mesmo tempo".

    
O Conselho Militar Supremo é o braço armado ligado à Coligação Nacional, um grupo considerado a liderança política da oposição no exterior.

    
Saadeddine disse que os planos tinham sido elaborados sem qualquer ajuda de potências estrangeiras. Ele disse que nenhuma informação lhes tinha sido oferecido pelos Estados Unidos ou por quaisquer outros países ocidentais, como a França, que tem apoiado a realização de um ataque a Assad ...

 BONUS TRACK:

 Obama e o Islão
  Um livro de Robert Spencer & David Horowitz


"Obama e o Islão" explora a relação do presidente Barack Obama com o Islão, a sua própria origem muçulmana, a sua ânsia de chegar aos terroristas da Jihad e as consequências desastrosas que estes poderão trazer para a política externa dos Estados Unidos.

Encomende o seu exemplar aqui.

Porquê? Porquê? Porquê?

O The Sun, com as suas capas politicamente incorrectas e o seu estilo popular, anuncia a morte da "relação especial" do Reino Unido com os Estados Unidos.


Obama revelou "provas" dos tais ataques com armas químicas? 


A PERGUNTA: Porque não as leva imediatamente ao seu amigo Cameron, para que este convença o Parlamento Britânico a entrar em mais esta guerra com os Americanos?

AS "PROVAS": As "provas" são a palavra de Kerry em Conferência de Imprensa de 30 de Agosto: "Nós sabemos que o regime (de Assad) usou essas armas várias vezes este ano". Sem comentários.

O QUE NINGUÉM EXPLICOU AINDA: Porque é que os Estados Unidos estão a apoiar a al-Qaeda. 

(Alguém sabe explicar?...)


 Mais uma série de perguntas sem resposta, num testemunho importante:
Patriarca sírio: "Parem com a intervenção'
Por Doreen Abi RaadCatholic News Service
 
BEIRUIT ( CNS ) -  O Patriarca
Melquita Católico Gregório III Laham alertou contra a intervenção armada no seu país, dizendo: "Ela trouxe-nos a tragédia que estamos a viver agora na Síria."
 
Falando à Catholic News Service por telefone, a 27 de Agosto na residência patriarcal de Verão em Ain Traz, no Líbano, o Patriarca disse que este passo "seria uma tragédia, uma tragédia, uma tragédia - para todo o país e de todo o Médio Oriente. Parem com a intervenção".

"Ela alimenta o ódio, alimenta a criminalidade, alimenta a desumanidade, alimenta o fundamentalismo, o terrorismo - todas estas coisas são o fruto da intervenção externa".

"Vai espalhar-se como uma guerra mundial", disse.
O Patriarca lamentou a decisão dos EUA de adiarem mais uma vez um encontro com a Rússia que visa a preparação para a conferência de paz sobre a Síria .

"O Santo Padre foi muito claro a 25 de Agosto", disse o Patriarca referindo-se ao apelo do Papa Francisco pela paz na Síria durante o Angelus dominical, quando o pontífice disse: "Não são os confrontos, mas a capacidade de escutar e o diálogo, que oferecem perspectivas de uma esperança de resolver os problemas".
 
"Esta é a verdadeira voz para ser ouvida, e não a voz de armas e de intervenções e de navios de guerra", disse o Patriarca Laham .

"Em vez de tentar mudar o Governo (sírio ), ajudem o Governo a mudar. Somos todos pela mudança. Estamos todos sedentos de reformas. Mas não desta forma, com sangue."
 
O Patriarca disse ainda que a intervenção externa "está a destruir todo o sentido de comunidade, de amizade de amor entre os povos, de convívio, de viver juntos, cristãos e muçulmanos." 
"Porquê enviar armas? Porquê enviar criminosos?", pergunto, fazendo notar que a Síria é "agora um lugar para todos os criminosos do mundo", referindo-se aos combatentes vindos de outros países.

"Porque enviam essas pessoas para lutar? Porque trazem pessoas de fora? Eles estão a alimentar o ódio entre as pessoas."
 
O Patriarca disse que a oposição síria tinha o direito de "falar com o Governo e perguntar o que eles têm de perguntar. " 
"Mas os criminosos vêm de fora, porquê?". 
O Patriarca Laham, que divide o seu tempo entre a Síria e o patriarcado no Líbano, disse que estava feliz por estar entre as pessoas na Síria, mas ressaltou que estas "estão a viver no medo, numa situação muito incerta." 
"Nenhum lugar em Damasco e na Síria é seguro. Há caos e insegurança em todos os lugares", disse ele .
Em 26 de Agosto um morteiro atingiu  o Patriarcado ortodoxo arménio em Damasco. No mesmo dia, um outro morteiro destruiu a entrada do Patriarcado ortodoxo sírio no mesmo bairro.
"Isto é muito duro e muito trágico", disse ele .
"Nós oramos, oramos porque claramente a chave para a paz no Médio Oriente está relacionada a uma solução política e pacífica para a crise na Síria. A chave para a solução do conflito palestino está relacionada com a paz na Síria."

"A paz na Síria e na Palestina é a chave para a paz no Oriente Médio e no mundo inteiro", disse ele .

sexta-feira, 30 de agosto de 2013

"Eu estou com Israel!"


Movimento Face to Zion/ Mosaico da Fé
A sua face em Israel, declarando: "Eu estou com Israel!".

www.facetozion.com

Funciona assim:  

1 - Escolha a sua tribo,
carregue uma foto,
escreva a sua mensagem,
e ... entrou!

 2- Em seguida, junte-se a nós na Terra de Israel! 
 A sua imagem, a sua mensagem, neste belo monumento 
com vista para o Mar da Galileia.

3 - Esteja com Israel para o mundo inteiro ver, 
e pela alegria de saber que um décimo em cada
doação vai ajudar uma família carente em Israel! 


Face to Zion reúne amigos de Israel em todo o mundo, amigos da antiga Terra Prometida e do moderno Estado de Israel. Através da unidade de fé e de boa vontade, Face to Zion fornece aos amigos de Israel uma poderosa experiência virtual, espiritual e real na pátria de Jesus. Um monumento maravilhoso à beira do Mar da Galileia, onde Jesus viveu e ensinou. Comece aqui.

 Orgulhosos embaixadores de Israel - como você, eu e quem mais queira.

Mesmo que não adira a esta iniciativa, o Facebook do Face to Zion merece uma visita. É um belo concentrado de paz, boa disposição, harmonia, cuidada apresentação estética, e optimismo.

Para todos os nossos amigos, para todos os nossos inimigos, desejamos um bom fim-de-semana, que Deus vos abençoe a todos (os ateus e os não crentes em geral que não se ofendam, sff), Shabbat Shalom para todos!

Pedimos as vossas preces por Israel, terra de Paz, mais uma vez com uma guerra à porta. Que mais uma vez não procurou e com a qual nada tem a ver. Que Deus proteja os israelitas, os sírios e todas as vítimas inocentes da loucura humana.

Sugestão às Mulheres Bloquistas!

SOU TÃO TOLERANTE QUE QUANDO OS MUÇULMANOS VIOLAM E MATAM PESSOAS, EU CHAMO INTOLERANTES ÀS PESSOAS QUE PROTESTAM.

Elisabeth G.


POST-SCRIPTUM: NÃO SE ESQUEÇAM, CAMARADAS FRESCAS E LOUÇÃS, QUE A MUTILAÇÃO GENITAL FEMININA SE PRATICA EM LARGA ESCALA ENTRE A COMUNIDADE MUÇULMANA RESIDENTE EM PORTUGAL. LEVEM ESSE ASSUNTO AO FÓRUM! O NOME DA CAMPANHA PODE SER "ENGOLE A TUA EXCISÃO!".

No Público

O BE deseja apenas debater a questão do assédio verbal, colocando-a em discussão e não protagonizar qualquer iniciativa proibicionista do piropo, segundo a militante Adriana Lopera, presente no Fórum Socialismo2013.
A mesa-redonda intitulada "Engole o teu piropo", pelas 10h30 de sábado, numa das salas de aula do histórico Lyceu Camões, na qual Lopera vai participar, originou muitas reacções durante o dia nas redes sociais.


No jornal I (quando ainda não tinham tomado consciência do RIDÍCULO infame da coisa):

Elsa Almeida e Adriana Lopera criticam banalização da ideia de que a mulher "está aí para ser tocada"
Duas bloquistas querem que o piropo seja controlado. Como? Ainda não sabem como e se é preciso a legislação travar os elogios pouco elegantes nas ruas portuguesas, mas acreditam que há frases que de elogiosas têm pouco e podem até ser consideradas assédio sexual. O tema vai estar em debate este fim de semana no Fórum Socialismo, a iniciativa de rentrée política do Bloco.
Para já, o assunto não vai passar do debate que este fim-de-semana os bloquistas vão fazer no Liceu Camões em Lisboa, mas Elsa Almeida e Adriana Lopera, duas feministas militantes do BE que promovem a discussão, querem que o piropo seja considerado assédio e defendem que o "assédio só pode estar enquadrado na área na violência contra as mulheres, portanto da violência de género ou violência machista".
Mas as próprias autoras da iniciativa não querem, para já, que isto passe do debate para a legislação. Adriana Lopera explicou ao i: "Não estamos a discutir legislação, estamos a discutir o piropo como violência de género. Temos de começar devagar."
Adriana Lopera faz parte de várias associações que lutam contra a violência sobre as mulheres e por isso quis trazer ao debate algo que considera uma agressão. Diz Adriana que, além da violência doméstica, há outro tipo de violência, como o assédio sexual, que pode ser exercida via piropos. Mas o próprio partido afasta à partida qualquer iniciativa para enquadrar legalmente a questão. As promotoras concordam que é cedo e defendem que "neste debate veremos como podemos fazer para viabilizar esta questão e a importância de agir sem fazer ouvidos moucos".
O debate vai acontecer no sábado às 10h30, mas num artigo online no esquerda.net as duas militantes avançam as linhas gerais. Para Adriana Lopera e Elsa Almeida, "o homem é ensinado desde pequeno a ser sujeito sexual, a ter desejo, prazer, orgasmo e a falar disto abertamente fazendo alegoria dos seus dotes de engate e não só" e "pelo contrário à mulher é reservada apenas a possibilidade de ser objecto sexual".
A prova de que, no entender das militantes do BE, o assunto deve ser discutido é que "está instituído que o piropo é inofensivo" e está banalizada a ideia da "mulher enquanto ser que está aí para cumprir o seu papel, ser vista e avaliada, tocada". A situação só poderá ser alterada se as mulheres conseguirem acabar com uma "sociedade patriarcal e machista", que "expulsou a voz das mulheres do palco". Além do debate no Fórum Socialismo, Adriana Lopera e Elsa Almeida estão a preparar várias iniciativas para levar a cabo no dia 25 de Novembro para protestar contra a violência sobre as mulheres.

 No Correio da Manhã:

Discurso Direto

"Piropo é assédio sexual"

Adriana Lopera, militante bloquista, quer acabar com os piropos e vai levar o tema a debate no encontro do BE 

Por:Mariana Flor

Correio da Manhã – Por que motivo vai hoje debater o tema ‘piropo’ no fórum do BE?
Porque queremos debater a violência contra as mulheres e o direito à liberdade. Achamos importante debater o problema da violência em todas as suas vertentes, incluindo a questão do assédio sexual e do machismo.


Considera, então, os piropos uma forma de assédio sexual...
Sim, assédio sexual consiste tanto em comportamentos e ameaças, como em palavras ou atitudes de caráter sexual. O homem que manda o piropo não se importa nada com a mulher. 

Foi dito que queria acabar com este tipo de "assédio" através de legislação, é verdade?
Nós não propomos isso neste debate. O debate baseia-se na sua análise enquanto fator de opressão de um género sobre outro.

Acha que há forma de controlar os piropos?
Claro, lutando contra o mutismo cultural e o silenciamento deste tipo de agressões. Visibilizando a questão e abrindo o debate.

Considera que este tema é relevante, no contexto social e político atual?
Certamente, a opressão de género e a luta pela igualdade é sempre relevante em todos os contextos sociais. Nós estamos empenhadas na construção de uma sociedade onde a igualdade de género seja uma realidade.

- Muito bem! Muito agradecidos por mais este inestimável serviço prestado pelo Bloco de Esquerda à sociedade, nestes momentos difíceis da vida do país! Estamos certos de que com a proibição legal do piropo, as coisas vão finalmente melhorar! Sugerimos que sejam erguidos campos de concentração para internar quem se atreva a lançar de cima de um andaime qualquer coisa como "És como um helicóptero: gira e boa!". E para gasear quem solte um "Com um c* desses deves c**** bombons!".

Agora: permitam-nos uma sugestão às valentes mulheres bloquistas. Os vídeos falam por eles mesmos:



 

Faisal Hamid Abdur- Razak, Monty Python e Karl Popper



Clérigo muçulmano em Ontário, Canadá, afirma que a morte por apedrejamento faz muito bem à alma do pecador. É pena é que esta gente nunca exemplifique na primeira pessoa...


UMA NOVA ERA DE PURIFICAÇÃO ESPIRITUAL


Talvez faça bem à alma. Mas ao corpo, nem tanto. No artigo que a seguir reproduzimos, fique ciente de que muito mais muçulmanos do que julgamos seguem estas ideias, que no Ocidente achamos bárbaras e extremistas.

Um grande Allah Akhbar para o Sheikh Faisal Hamid Abdur-Razak!

" O apedrejamento é bom para a alma , diz clérigo canadiano", por Simon Kent para a Agência QMI, 28 de Agosto

    
TORONTO - Morte aos pecadores. Essa é a mensagem religiosa trazido até ao grande público pelo YouTube. Homossexuais e adúlteros/as, é melhor começarem a correr, porque esta é-vos dirigida.

    
Não acredita em mim? Bem, muita gente testemunhou na quarta-feira como o Sheikh Faisal Hamid Abdur- Razak pôs a morte por apedrejamento nas auto estradas da Informação, via Internet.
    Num vídeo do YouTube, com um olhar perspicaz, o pregador afirmou que os "pecadores", como definido pela sua própria interpretação da lei islâmica, podem beneficiar de um bom e alegre apedrejamento. O vídeo esteve online durante todo o dia , até que foi tardiamente retirado.

    
O xeque explicou que um muçulmano que é sentenciado à morte por apedrejamento sob a lei islâmica, na verdade colhe benefícios dessa punição terrível, porque a sua alma é purificada, enquanto as pedras caem sobre a sua cabeça pecaminosa.

  
Seria engraçado se fosse num filme dos Monty Python. Quase engraçado, mas não completamente. Não há piada numa forma medieval de punição como o apedrejamento. Nem na condenação pelos motivos supracitados.

    
Infelizmente, estas ideias podem estar mais difundidas no país do que a maioria dos canadianos possam crer.

    
Em 2010, o Centro de Pesquisas Pew em Washington publicou os resultados de uma extensa pesquisa em países do Médio
Oriente e das suas visões sobre a vida moderna.

    
De acordo com os resultados, pelo menos três quartos dos muçulmanos no Egipto e Paquistão dizem aprovar o apedrejamento de pessoas que cometem adultério, chicotadas e cortar as mãos para crimes como furto e roubo, e a pena de morte para aqueles que deixam a religião muçulmana.
    
Maiorias de muçulmanos na Jordânia e Nigéria também aprovam essas punições severas .
Felizmente ninguém será punido no Canadá , porque somos uma sociedade livre, aberta e tolerante, que nunca se irá tornar uma teocracia em que o Direito comum é subjugado ao dogma religioso.

    
Ser uma sociedade livre, aberta e tolerante, também significa que pessoas como o Sheikh Faisal Hamid Abdur- Razak podem tirar proveito da liberdade de expressão para espalharem a sua própria versão de purificação moral.Isto vem de um homem que é o presidente do Fórum Islâmico do Canadá e vice-presidente do Conselho Islâmico de Imanes do Canadá . Foram feitas tentativas de contacto com o xeque para comentar para este artigo, mas não foram bem sucedidas .
(...)


                    Monty Phyton: quando a lapidação no Ocidente pertencia ao domínio da comédia


 ALERTAR PARA A VIOLÊNCIA NÃO É SER VIOLENTO


O artigo continua, com considerações acerca da política do youtube, que mostra cenas de violência inenarráveis. É verdade. São horríveis estas cenas. Mas mesmo assim a generalidade das pessoas não querem acreditar que o Islão NÃO É a auto proclamada religião da paz que diz ser. Que faria se não houvesse imagens destas.

Aqui é um apedrejamento de supostos adúlteros, no Afeganistão. Os motivos para estas execuções podem ser perfeitamente absurdos, como por exemplo uma menina xiita gostar de um rapaz sunita. Mas também há muitas denúncias falsas, como por cá nos tempos da Inquisição - que matou em 350 anos tanta gente como os islamistas matam em 1 ano actualmente!

Só IMBECIS podem emitir sentenças tais como "quem mostra estas cenas é tão violento como quem as pratica". Se não percebe porquê, não adianta explicar-lhe. É um imbecil.



ERA UMA VEZ A CIVILIZAÇÃO

Não concordamos com o articulista quando este diz que numa sociedade livre e tolerante há lugar para visões totalitárias e terroristas como as deste xeque. Karl Popper explica, muito melhor do que nós, o porquê:


Karl Popper
  • "Temos pois de proclamar, em nome da tolerância, o direito de não sermos tolerantes com os intolerantes. Temos de proclamar que qualquer movimento que promova a intolerância se coloca fora da lei, e temos de considerar criminoso todo e qualquer incitamento à intolerância e à perseguição, como consideramos criminoso o incitamento ao homicídio, ao rapto, ou ao restabelecimento do tráfico de escravos."
- Fonte: Livro "A Sociedade Aberta e os seus inimigos"
  • "Não é possível discutir racionalmente com alguém que prefere matar-nos a ser convencido pelos nossos argumentos."
- citado em "Filosofia Do Direito E Justica‎" - Página 115, Andityas Soares de Moura Costa Matos, Editora del Rey, 2006, ISBN 8573088745, 9788573088748
  • "Não devemos aceitar sem qualificação o princípio de tolerar os intolerantes senão corremos o risco de destruição de nós próprios e da própria atitude de tolerância."
- Si nous étendons la tolérance illimitée même à ceux qui sont intolérants, si nous ne sommes pas disposés à défendre une société tolérante contre l'impact de l'intolérant, alors le tolérant sera détruit, et la tolérance avec lui.
- Karl Popper; The Paradox of Tolerance, Karl Popper, The Open Society and Its Enemies, Vol. I, Chapt. 7, n.4, at 265 (Princeton University Press 1971)

Síria: o Mundo Anestesiado!


Muçulmanos são grossa fatia dos actuais habitantes da França, e... da base eleitoral de Hollande

Decisão de Washington será tomada na defesa dos interesses americanos, diz a Casa Branca, depois de o Parlamento britânico rejeitar a proposta de acção militar de Cameron. Hollande confirma empenho francês.
Público

O parlamento Britânico conseguiu  travar um lacaio assumido do processo de islamização global. Não há problema. Avança outro.


O mundo Ocidental parece estar a entrar numa fase de Portugalização. Ou seja: diariamente, as aberrações de certos políticos atingem novos patamares, e a população parece não ter no seu universo mental a capacidade de reagir. Estamos atordoados e sem capacidade de responder ao ultrapassar de todas as linhas vermelhas da indignidade. Não estávamos preparados para isto, como não estávamos preparados para Hitler.



A invasão da Síria está iminente. O pretexto foi um gaseamento, que Obama atribuiu às forças governamentais. Agora vejamos:

- Um membro da ONU explicou que são os rebeldes que usam o tenebroso gás sarin, e não o Governo.  

- Gente inocente anda a morrer na Síria há dois anos por diversos processos, não apenas com o gás sarin.

- Os media convencionais não mostram, mas as atrocidades que têm sido reportadas são-no invariavelmente dos alegados «rebeldes». 

- Só nos Estados Unidos, cerca de 80% dos americanos NÃO CONCORDAM com a invasão da Síria.

- Os «rebeldes» da Síria são TERRORISTAS IRAQUIANOS DA Al-QAEDA. São esses que Obama e Hollande vão apoiar! Os que em 2001 declararam guerra santa ao Ocidente. Os que o Ocidente anda a tentar conter desde 1001.


 Muçulmanos celebram em Lyon a eleição de Hollande. Eles lá sabem porquê.


Temos pena de não poder incorporar legendas, mas este vídeo explica o que se passa na Síria e os media não mostram. Os «rebeldes» sírios são terroristas que exigem a Sharia e um regime teocrático na Síria. Aos 5 minutos do vídeo, após a tomada de mais uma cidade pelos «rebeldes», celebra-se o 11 de Setembro e o colapso iminente do Ocidente às mãos dos islamistas:


Neste post comentámos a situação na Síria, onde continua a chacina de muçulmanos de várias orientações religiosas, alauítas, cristãos e judeus, e mostrámos alguns dentre as centenas largas de vídeos disponíveis no youtube com as atrocidades cometidas pelos terroristas ditos «rebeldes».

A escolha - desgraçadamente - é enorme.  Ficou famoso o vídeo do terrorista islâmico a canibalizar o adversário morto (a BBC glorificou o canibal, aliás). Mas vídeos como os dos sacerdotes cristãos a serem decapitados, ou dos camionistas a serem abatidos por não pertencerem à seita islâmica "certa", não passam. Como não vai passar este, chegado hoje, de terroristas a abaterem crianças por estas apoiarem Assad:




Poderiamos estar aqui o resto do dia a mostrar vídeos das atrocidades dos terroristas que Obama e Hollande vão apoiar. Neste, por exemplo, entraram num autocarro e mataram toda a gente que lá viajava. Depois verificaram as identidades, para verem de havia algum membro das Forças Armadas da Síria. O que mais é preciso para que os cidadãos do Mundo Livre ACORDEM???


quinta-feira, 29 de agosto de 2013

'Nós Amamos a Diversidade'

Mas não se pense que casos como o do post anterior são casos isolados. Em muitos países do norte da Europa, a epidemia de violações por muçulmanos é avassaladora. Há países europeus onde a percentagem de violações cometidas por muçulmanos é 100% do total de casos. Enquanto escrevíamos o post anterior, chegou-nos mais um caso, o de uma menina de  14 anos, violada na Noruega por este simpático grupo de cidadãos muçulmanos:

 
A notícia completa está aqui, e refere o silêncio da elite bem-pensante local, que como todas as elites bem-pensantes, aprovam que as nossas filhas sejam violadas e mortas pelos muçulmanos, porque os desejos deles são ordens. E quiçá um cartão de agradecimento.

A Imprensa Ocidental ESCONDE. Os políticos contam com o voto muçulmano.

Olha, espera aí... mais esta: Elin Krantz, jovem sueca activista da organização “We like diversity” (Nós Amamos a Diversidade), foi a uma festa, e um muçulmano chamado Ephrem Yohannes, cheio de diversidade, violou-a e matou-a. Desta vez vai com imagem. Os bem-pensantes que vão bardamerda:



Um grande Allah Akhbar, Isabel!

'Ela estava a pedi-las'


Vítima de violação por muçulmanos na Suécia: "Ela estava sem véu - uma p*** - estava a pedi-las" - Palavras de um dos violadores quando lhe perguntaram "Porquê?"

via BARE NAKED ISLAM:

Lembram-se da história do estupro horrível por requerentes de asilo muçulmanos de uma jovem de 29 anos de idade, mãe sueca de dois filhos menores? Há pior.




Violação em grupo, actualização: Sete horas non-stop de estupro por 12 refugiados muçulmanos afegãos foi 'uma das maratonas de estupro mais terríveis da história da Suécia', dizem os magistrados. A violação foi por via oral, anal e vaginal, com até três violadores a abusarem dela ao mesmo tempo. Apenas 7 dos 12 violadores foram condenados. Mas agora, aquele que não foi condenado, mas participou por se masturbar ao lado o rosto da mulher, enquanto os seus companheiros a estupraram, vai receber mais de 20.000 dólares em compensação por causa de um erro de escrita.

 O outro lado da Suécia


Um dos oito homens afegãos que tomaram parte no estupro colectivo de uma jovem sueca num campo de refugiados em Mariannelundguide 2011, vai receber uma grande compensação monetária.
 
O homem foi absolvido embora tenha participado no estupro colectivo. Assistiu e masturbou-se ao lado do rosto da mulher, enquanto os seus companheiros a violavam. Por causa de um erro burocrático no processo, o cúmplice foi absolvido e agora  premiado com 20 mil dólares!

 
Danos, bem como outras despesas do homem com alojamento e segurança, o processo de asilo, etc., estão a ser suportados pelos contribuintes suecos. A compensação, de acordo com o Chanceler da Justiça, é maior do que o normal devido ao estado de requerente de asilo do homem.

 
Os outros espectadores muçulmanos da violação em grupo batiam palmas e aplaudiam, chamando-lhe "puta" e "vadia", como os homens muçulmanos descrevem todas as mulheres sem véu. A vítima está agora confinada a uma cadeira de rodas, e sofre de depressão grave. Os meios de comunicação suecos esconderam a etnia dos agressores e rapidamente abafaram a história. os socialistas suecos disseram que seria "racista" deportar os violadores.

- Os ocidentais tardam a perceber o Islão e o fosso civilizacional que torna impossível a convivência entre dois mundos que estão a séculos de distância. Neste post, um escritor líbio explica como os muçulmanos na Holanda vão ao banco e ameaçam os funcionários de morte para receberem o dinheiro que os contribuintes lhes dão para viverem na Holanda sem fazerem nada. Julgam que têm de ameaçar, como Maomé ensinou a fazer aos infiéis no século VII.

O Sorriso do Terror

Pelo menos 71 mortos numa vaga de ataques em Bagdad - Público

E a gente quase já nem liga. À força de notícias destas várias vezes ao dia, e da intrincada política da região, acabam por ser mais números numa contabilidade triste, triste, triste...

 

Sorrindo ternamente, o terrorista da Al-Qaeda lutador treina uma CRIANÇA para disparar armas de fogo, em mais um vídeo revoltante vindo do Afeganistão dilacerado pela guerra. O jovem é instruído a usar uma pistola para efeito mortal. A Al-Qaeda treina crianças, muitas delas órfãs, para serem terroristas.  

A Al-Qaeda prepara assim a próxima geração de terroristas a partir da idade de apenas cinco anos - e às vezes até mais jovens. Sentados em longas filas, como numa excursão escolar, os jovens lutam para experimentarem a mortal AK-47. Os  seus corpos minúsculos são projectados para trás pelo recuo.

O vídeo contem cenas horríveis recolhidas num campo de terror da Al Qaeda no Waziristão do Norte, perto da fronteira entre Paquistão e Afeganistão.

Ataque oculto: As mulheres também são usadas no terrorismo islâmico. Nesta imagem, uma mulher ataca com um lança granadas. Mas é uma mulher decente. Está de burqa... Nisto há igualdade: a lavagem cerebral para travarem a Jihad no Ocidente e tornarem-se homens-bomba é a mesma para os homens, as crianças e as mulheres!

 Nascidos para matar, é o que se pode dizer destas pobres crianças.

Muitas das crianças são órfãs da organização terrorista "Mártires", seguindo a mesma rota mortal que os seus pais.

                              O vídeo em questão: